MENU

8 de fevereiro de 2020 - 09:2624 Horas de Le Mans, Mundial de Endurance

Velhas novidades para o fim da temporada do FIA WEC

RIO DE JANEIRO – A caminho das últimas corridas dentro do atual regulamento técnico, o FIA WEC terá velhas novidades para o final da temporada 2019/20, principalmente na classe LMP1, cuja trajetória se encerra justamente após as 24h de Le Mans, em junho.

A primeira é o retorno já anunciado do segundo Rebellion R13 com motor Gibson V8, visando as duas provas finais do calendário, incluindo Spa: a equipe anglo-suíça inclusive revelou os três pilotos que vão se revezar a bordo do carro #3.

Serão o veterano francês Romain Dumas, vencedor da prova em 2010 (Audi) e 2016 (Porsche) na classificação geral – afora um triunfo de LMGTE-PRO em 2013, também com Porsche; o também francês Nathanaël Berthon – único remanescente da participação em Silverstone, que teve Pipo Derani e Loïc Duval; e o suíço Louis Déletraz, filho do folclórico Jean-Denis Déletraz, de curta passagem pela Fórmula 1 mas de nove presenças em La Sarthe.

Duval não poderá comparecer à última etapa do ano por compromissos já assumidos no DTM com a Audi. Sobre Derani, não é impossível que esteja negociando ou já fechado com alguma outra equipe especificamente para a clássica prova francesa.

A segunda boa nova vem através da ByKolles: ainda com seu ENSO CLM P1/01 em atividade através de alguns testes de quilometragem, a equipe de bandeira austríaca confirmou pedidos de inscrição para as 6h de Spa-Francorchamps e também para as 24h de Le Mans.

O carro passará por mais baterias de testes antes dos últimos desafios e da despedida da classe LMP1, já equipado com motor Gibson GK458 4,5 litros V8 igual ao dos chassis Rebellion.

Inclusive, num dos testes do ano passado, quem colaborou com o time foi o brasileiro João Paulo de Oliveira.

Com a confirmação da Rebellion e seu segundo carro e a possível adesão da ByKolles, a se confirmar pelo ACO, o grid das últimas etapas terá aceitáveis sete carros – bem melhor que os três que correrão no COTA dia 23 por conta do forfait dos dois Ginetta, em razão de alegados problemas logísticos.

Compartilhar

1 comentário

  1. Jonny'O disse:

    Fim de feira total!!!
    Realmente constrangedor este fim da LMP1, este carro da ByKolles tem mais botox que a tia da mãe Joana , sempre muito lento é um retrato de onde a categoria chegou. as falhas constantes de participação da Ginetta ….etc.

    Mas eu vejo com naturalidade uma receita não funcionar , isso é normal , ninguém investe em algo pra dar errado. Mas o que decepciona mesmo é a incapacidade de reação rápida dos donos da brincadeira, a dois anos todo mundo viu que a coisa tava enfiada no brejo , e o caminho DPi era de fácil e rápida articulação , era a formula certa pro momento , mas não , o ego talvez tenha feito demorarem tanto . Tenho pena dos que investiram dinheiro nisso , acho que foi desnecessário empurrar por 2 anos a coisa do jeito que tá.
    Agora todos esperam a nova formula que no fim das contas foi pro caminho certo , aproximar da IMSA e sua receita .Esperemos pois até 2021.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *