Direto do túnel do tempo (470)

D

RIO DE JANEIRO – Ano de 1980, 48ª edição das 24h de Le Mans. A clássica prova francesa, disputada nos dias 14 e 15 de junho naquela oportunidade, viram um pequeno construtor francês marcar território e fincar bandeira como o último independente a triunfar em La Sarthe.

E com o criador ao volante de sua criação: em dupla com Jean-Pierre Jaussaud, campeão da prova em 1978 pela equipe Alpine-Renault, Jean Rondeau (1946-1985) é também até hoje o único piloto-construtor vitorioso na principal corrida de Endurance do planeta.

O modelo Rondeau M379B que bateu a poderosa Porsche era um projeto baseado nos Inaltera GTP que estrearam na prova em 1976. Rondeau era associado a Gérard Welter, que depois faria seus protótipos conhecidos como WR e WM, sempre com motor Peugeot. Jean preferiu receber unidades Cosworth, derivadas dos blocos de Fórmula 1.

Um outro carro, o #15 da dupla Jean Ragnotti/Henri Pescarolo, partiu da pole enquanto Rondeau/Jaussaud vinham de quinto no grid que apresentava 55 carros participantes. O começo da disputa foi – ao que consta – o pior em condições climáticas das 24h de Le Mans em todos os tempos. Jacky Ickx, que depois se consagraria como um dos maiores vencedores da pista, queixou-se do “fog” levantado pelos carros fechados – ele guiava um Porsche 908/80 alinhado pela Joest Racing com patrocínio Martini & Rossi – e o próprio Joest, junto a bordo.

O carro alemão chegou a liderar quando cessou a chuva e a pista secou, mas perdeu 14 minutos nos boxes por conta de uma correia da bomba de combustível, que se rompeu. Ickx/Joest alcançaram Jaussaud/Rondeau – que lideravam – pegaram a ponta e vinham sólidos em primeiro quando, restando cinco horas para o fim, quebrou o câmbio.

A bem da verdade, a equipe subestimou a regularidade do Rondeau M379B de cor escura e patrocinado pela ITT LePoint. A dupla francesa ficou à frente com três voltas de diferença – Ickx descontou uma apenas –  e nem mesmo a chuva que voltou a pouco menos de uma hora da quadriculada atrapalhou alguma coisa. Jean-Pierre Jaussaud optou por não trocar de pneus e a escolha por permanecer de slicks quase pôs tudo por terra na última volta, quando a tempestade apertou.

Por sorte, Jaussaud saiu da pista e não bateu em nada. Cruzou a meta final com 338 voltas concluídas, à média de 191,899 km/h. Desde então, Rondeau se tornou o último independente a vencer em Le Mans e o primeiro (e até hoje único) piloto-construtor campeão da prova desde 1923.

Há 40 anos, direto do túnel do tempo.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

6 Comentários

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames