Acura fica na IMSA e com novidades…

A
A Wayne Taylor Racing encerra um vínculo de décadas com a General Motors e será equipe representante da Acura na IMSA a partir de 2021

RIO DE JANEIRO – A Acura (leia-se Honda) agiu mais rápido do que se imaginava e antes da etapa deste fim de semana da IMSA, que acontece em Mid-Ohio, anunciou seus planos para 2021.

E que planos! A marca segue na classe DPi do certame ianque de Endurance não mais com o Team Penske – e sim com uma velha parceria e também uma novidade pra ninguém botar defeito.

Uma relação de décadas chegou ao fim: a Wayne Taylor Racing rompeu o vínculo com a General Motors e será uma das duas escuderias que vai alinhar o protótipo ARX-05 DPi montado na plataforma do Oreca 07 LMP2 no próximo ano.

“Estou extremamente animado por ter esta oportunidade dada a mim pela HPD e Acura Motorsports”, disse Wayne Taylor.

“Desde que conheci todos na HPD e Acura Motorsports, sinto que eles têm muito respeito pela família Wayne Taylor Racing. O que eu realmente gosto é que eles têm a mesma paixão e visão que eu. Estou ansioso para administrar o DPi nos próximos anos. Estou igualmente entusiasmado por poder trazer para o programa a minha parceria de longo prazo com a Konica Minolta, Rick Taylor e Michael Mathe. Todos nós mal podemos esperar para começar.”

Isso deve fazer da Action Express, dos brasileiros Felipe Nasr e Pipo Derani, a principal equipe Cadillac em 2021 – a menos que surjam novidades no horizonte.

De volta à turma de cima: a Meyer-Shank Racing, hoje na IMSA com dois NSX-GT3 EVO e também na Fórmula Indy, terá o outro DPi Acura a partir de 2021

A outra organização que estará na classe principal da IMSA é a Meyer-Shank Racing, cuja gênese no Endurance são os protótipos – primeiro os Grand-Am e depois, na unificação entre a Rolex SportsCars Series e a American Le Mans Series, o Ligier JS P2 com motor HPD biturbo.

Depois, a parceria seguiu nos GTs e a MSR foi a equipe representante da Acura nos últimos quatro anos, inclusive liderando a atual temporada.

Em tempo: a volta da Meyer-Shank para a turma de cima não indica de forma alguma o fim do programa cliente da Acura na classe GTD em 2021. A montadora, através de seu braço de competições nos EUA, já trabalha para costurar novos acordos e novas parcerias.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

2 Comentários

  • Que grande noticia, o Imsa hoje é sem dúvida o melhor campeonato de endurace do planeta, superando na minha opinião o WEC que se encontra numa situação de várias baixas. A Daytona 24 hrs + a Petit Le Mans são hoje depois da Le Mans 24 hrs as principais corridas de endurace do mundo. Muito disso construido por 3 grandes industrias que competem na classe 1, GM-Cadillac, Mazda e Honda, vida longa ao IMSA e é claro ao meu idolo o piloto hamburger, vítoria ou muro JP Montoya LENDA…

    • Perfeito!
      Sinto só a falta do chassi Ligier-Nissan , que foi abandonado.
      A IMSA tem o melhor pacote de regulamento e provou ser viável mesmo em tempos tão difíceis .
      Me preocupa essa união com o WEC para 2022, parece que os custos vão subir , a meu ver é uma grande erro .

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames