Dez anos depois, deu BMW nas 24h de Nürburgring

D
Quando o assunto é 24h de Nürburgring, ninguém tem mais vitórias que a BMW: mesmo com um intervalo de dez anos desde a conquista anterior, os bávaros triunfaram pela vigésima vez em 48 edições da clássica prova alemã de resistência

RIO DE JANEIRO – A chuva fez questão de tumultuar a edição 2020 das 24h de Nürburgring, a 48ª da história do evento realizado desde 1970 e que só não aconteceu por três oportunidades em pouco mais de meio século por conta da crise mundial do petróleo no binômio 74/75 e também em 1983, quando a pista passou pelas reformas que a adequaram a receber a Fórmula 1 novamente, num traçado de pouco mais de 4km de extensão.

Esta foi uma edição atípica em todos os sentidos, posto que acabou adiada em mais de quatro meses – a tradição indica a disputa sempre em maio ou junho, no máximo – e o grid foi bem menos cheio que em outros anos. “Apenas” 97 carros largaram – pode parecer pouco já que em Le Mans vemos 60 a 62 nos últimos anos – mas para uma pista com 25,378 km de extensão, é pouco mesmo.

A água que caiu no Nordscheleife interrompeu por completo a disputa após a 6ª hora e assim as 24h de Nürburgring permaneceram em neutralizado com bandeira vermelha a noite inteira. A corrida só foi retomada quando as condições melhoraram e aí já faltavam pouco menos de 8h para o final.

Por isso, o total de voltas – 85 – completado pela BMW M6 GT3 dos vencedores Nick Yelloly/Alexander Sims/Nicky Catsburg (Philipp Eng estava inscrito, mas não guiou) é um dos mais baixos da história do evento. Para os bávaros e a ROWE Racing, isso pouco importou: a marca dos triângulos dixi volta a triunfar na clássica prova de Endurance após uma década exata e esta foi também a 20ª conquista da turma de Munique, abrindo oito triunfos de vantagem para a Porsche.

Campeã da prova ano passado, a Audi terminou em 2º lugar com o carro conduzido por Mirko Bortolotti/Christopher Haase/Markus Winkelhock, enquanto o brasileiro Augusto Farfus subiu ao pódio como terceiro colocado ao lado de Martin Tomczyk, Sheldon Van der Linde e Jens Klingmann em mais uma BMW – esta, do Team Schnitzer.

BMW e Audi se revezaram nas seis primeiras posições, com os quatrargólicos ainda completando em quinto e sexto e outra M6 GT3 da ROWE Racing em quarto lugar. Só aí veio o melhor Porsche, com a Frikadelli Racing completando em sétimo e com a tripulação formada por Lars Kern/Mathieu Jaminet/Maxime Martin/Lance David-Arnold.

A Mercedes, pole position da disputa, abocanhou apenas um desdentado oitavo posto com o carro #6 da equipe de Hubert Haupt, guiado por Maro Engel/Nico Bastian/Dominik Baumann/Patrick Assenheimer. Outro carro da estrela de três pontas figurou entre os dez primeiros, assim como mais um Porsche, do Team Falken.

Ao todo, o plantel foi dividido em 21 subclasses e dos 97 carros que largaram, setenta e quatro receberam classificação ao fim da corrida.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

1 Comentário

  • Assisti boa parte da prova pelo link aqui do blog. Mas não vi o final.
    Pena a interrupção tão longa. Torci muito pela BMW 42, que andou sempre no grupo da frente.Queria ter visto o Augusto ganhar de novo, mas não foi dessa vez.
    Ultrapassar no Inferno Verde com chuva, em disputa de posição, é uma arte para poucos. Isso dificultou um pouco as coisas e influenciou no resultado. O encurtamento da corrida influenciou mais ainda.
    De qualquer jeito, 24H de Nurburgring é sempre show.

    Antonio

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames