4h de Monza com 34 carros na entry list

4

RIO DE JANEIRO – No próximo domingo (11), o European Le Mans Series volta à carga após a disputa das 24h de Le Mans, com as 4h de Monza. A penúltima etapa da temporada 2020 terá a presença de 34 carros, divididos em 27 protótipos (quinze LMP2 e doze LMP3) e sete LMGTE.

Com o calendário de corridas congestionando o fim de ano, alguns pilotos estão ausentes neste próximo fim de semana e um deles é Loïc Duval, ocupado com o DTM. O francês não defenderá a equipe Algarve Pro Racing no Oreca 07 Gibson #24 e será substituído por Arjun Maini no carro que conta ainda com Jon Lancaster e Henning Enqvist.

A DragonSpeed substitui o dorsal #21 pelo #27 e apresenta uma novidade: Charles Milesi, que defendeu a Graff nas 24h de Le Mans, estreia no time de Elton Julian junto a Henrik Hedman e Ben Hanley. A trinca formada por Timothé Buret/Ryan Cullen/Memo Rojas Jr. está fora e não há informações se retornarão na corrida final em Portimão.

No mais, Will Stevens volta à Panis Racing após defender a Jackie Chan DC Racing em La Sarthe e da mesma forma regressam Thomas Laurent e Alexandre Cougnaud ao #39 da Graff junto a James Allen. E as 4h de Monza serão também a primeira corrida em que a Richard Mille Racing terá seu trio 100% feminino, que em Le Mans andou muito bem: a holandesa Beitske Visser segue a bordo junto a Tatiana Calderón e Sophia Flörsch.

Com três corridas disputadas, a dupla Filipe Albuquerque/Phil Hanson domina o certame, tendo somado até aqui 68 pontos contra 39 do trio formado por Will Owen/Alex Brundle/Job Van Uitert, todos da United Autosports. A terceira posição é de Mikkel Jensen e Roman Rusinov, que defendem a G-Drive Racing, com 36 pontos.

Na classe LMP3, o brasileiro Thomas Erdos está novamente fora do lineup da Eurointernational. Lesionado após a disputa das 4h de Spa, o piloto radicado há anos na Europa não foi escalado para Monza e em seu lugar correrá o suíço Nicolas Maulini. O italiano Jacopo Baratto completa o trio que será encabeçado por Niko Kari.

A RLR MSport promove a terceira mudança de companheiro de equipe de Malthe Jakobsen e James Dayson no carro #15: Gustas Grinbergas, da Lituânia, chega para a vaga já ocupada antes por Ryan Harper-Ellan e depois por Robert Megennis. A BHK Motorsport, onde Grinbergas correu na etapa anterior em Le Castellet, recrutou o belga Tom Cloët e o francês Philippe Paillot para compor o trio com Lorenzo Veglia.

A classificação do campeonato aponta liderança de Robert Wheldon/Tom Gamble/Wayne Boyd (United Autosports), com 52 pontos somados contra 38 de David Droux/Esteban Garcia (Realtime Racing) e 34 de Duncan Tappy/Andrew Bentley (United Autosports).

Entre os pilotos da LMGTE, Nicklas Nielsen faz uma aparição via Iron Lynx no carro #60 junto a Claudio Schiavoni e Rino Mastronardi, enquanto Niki Cadei regressa ao #74 da Kessel Racing, após ser substituído por Marcos Gomes nas duas últimas provas. A AF Corse registra o único “no show” da categoria, tendo em vista o acidente da Ferrari de Alexander West/Christoph Ulrich/Steffen Görig nas 24h de Le Mans.

Na tabela de pontos, a trinca formada por Alessio Picariello/Michele Beretta/Christian Ried, da Proton Competition, colidera o campeonato em empate com David Perel e Michael Bronizsewski, da Kessel Racing. Duncan Russell Cameron/Aaron Scott/Matt Griffin, que defendem a Spirit of Race, vêm em 3º lugar com 40 pontos.

As 4h de Monza serão disputadas domingo a partir de 11h locais (6h de Brasília). A definição do grid terá início no sábado às 8h40 com pista aberta para 10 minutos de treino das classes (pela ordem) LMGTE, LMP3 e LMP2.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

1 Comentário

  • Este grid demonstra o sucesso dessas categorias Lmp2,Lmp3,LmGTE.
    Acho que automobilismo se faz com times independentes , e deve se adaptar as fabricas neste mundo real , acho que o ideal era a primeira versão dos DPi , onde um Lmp2 lutava pela ponta se tivesse qualidade.
    Pra mim os dois primeiros anos da IMSA DPi era o ideal , e devia fazer o mesmo pra classe GT .

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames