Stock na Band

S
A Stock muda de emissora em 2021 na TV aberta: por cinco anos, a Band transmite novamente a principal categoria do automobilismo nacional (Foto: Duda Bairros/Vicar)

RIO DE JANEIRO (É verdade esse bilete) – A surpresa do dia: às vésperas da rodada tripla em Goiânia, a direção da Vicar anuncia um novo acordo de transmissão da Stock Car brasileira para 2021. Na TV aberta, a principal categoria do país será exibida pela Band.

O contrato será fechado por cinco anos e só falta assinar. As equipes e pilotos seriam informados do novo acordo de mídia da categoria nesta sexta-feira.

É o fim de uma relação de 20 anos com a Globo, pelo menos na TV aberta – pois nada impede, nas palavras de Carlos Col, que o grupo continue com a Stock Car na TV fechada, via SporTV. “Portas abertas”, confirmou o dirigente.

A Stock começou exibida pela própria Bandeirantes nos anos 1980, com narrações de Edgard Mello Filho e comentários de Giu Ferreira. A emissora paulista permaneceu com a exibição da categoria até a passagem desta às mãos da TV Record e até da TV Jovem Pan em UHF.

A partir de 1992, as provas foram exibidas primeiro pela Rede Manchete e depois pela própria Band, novamente, fazendo parte do chamado Chevrolet Challenge. Na TV fechada, a Stock encontrou abrigo há muitos anos no SporTV e quem fez a ponte para a chegada do campeonato à poderosa emissora do Rio de Janeiro foi Galvão Bueno, que intermediou e conseguiu que Carlos Col e mais Ingo Hoffmann e Paulo Gomes fossem recebidos por Luiz Fernando Lima, então diretor de esporte da Globo na época.

A primeira corrida exibida seria no oval de Jacarepaguá, mas choveu e a disputa foi num ‘híbrido’ entre a pista construída para a Fórmula Indy e parte do misto. Não me perguntem quem ganhou porque a memória, de sopetão, não recorda. Pelo menos da primeira corrida da vida que comentei, três anos depois disso, lembro o vencedor – David Muffato.

Enfim, nesse tempo todo o que mais ouvi, mesmo trabalhando no SporTV até 2012 e depois, no Fox Sports, foram queixas generalizadas de pilotos e de gente envolvida na categoria reclamando da pouca atenção que a Globo dava à Stock. Com poucas provas na TV aberta nos últimos anos – a última, creio eu, será a decisão do campeonato em Interlagos – a categoria virou refém da emissora.

A parceria com a Band pode significar também um fortalecimento da marca Show do Esporte, que a emissora ressuscitou em 2020 – e que teve muito automobilismo nos anos 1980/90 por conta da Indy e das categorias nacionais – Stock, Fórmula Chevrolet e Fórmula Uno/Palio, principalmente.

É torcer pra dar certo.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

9 Comentários

  • Eu vou torcer que der certo, até porque, eu sou um dos que reclama da falta de exibição das corridas da Stock, na TV Aberta. Espero que outras categorias como: o TCR South America, a Sprint Race, a Supercars Autraliana, o Super TC 2000 Argentino e etc, entrem na TV Aberta Brasileira.

  • A Globo parece a mão de Sadim, Midas ao contrário, tudo que ele toca, Fode!
    Futebol, Stock Car, São Silvestre, todo e qualquer esporte, tudo tem que se enquadrar nos interesses da Vênus Platinada… e aí muda o o horário, duração, forma de disputa e a maionese desanda.
    A Stock foi para a Globo para surfar na audiència do Esporte Espetacular nas manhãs de Domingo, e aí aconteceu exatamente o que descrevi acima, com a complicação de mudar 90% das transmissões para o Sportv 2, às vezes com a generosidade mostrar a largada no EE.
    Acertadíssimo a categoria mudar para a Band aberta + cobertura detalhada no Bandsports, algum espaço no Bandsports para a Stock Light, que é tão mal divulgada que parece que não existe.
    E ainda com um possível Bonus, a confirmar, ser narrada pelo maior Locutor de corridas do Brasil, disparado, Luc Monteiro (sem demérito aos demais).

  • Me lembrei de quando eu era criança; eu vi o Wilsinho Fittipaldi andando de Ômega, IMSA em pistas de rua obscuras quando o Raul Boesel ainda andava de protótipos e mais um monte de categorias cujas imagens eram geradas pela TV Tarobá.

    Também me lembro do Super Kart com pilotos lendários, só não lembro se era na Record ou na Bandeirantes mesmo. De qualquer forma, estou contente em poder ver as provas de volta na TV aberta!

  • A Stock realmente necessita de maior visibilidade na TV aberta, só não sei se a Band seria a escolha mais indicada, visto que as transmissões da Indy e da DTM (Band Sports) são de pouca qualidade.
    Tomara que dê certo e que a emissora consiga profissionais de alto nível para transmitir as provas.

  • A Globo sempre adquiriu direitos para tirar das outras emissoras, e não para ela mesma transmitir.
    Historicamente esses esportes perdem muita audiência, porque a Globo impõe horários e formatos que não agradam aos telespectadores. Também faz questão de ocultar os patrocinadores, mudam até o nome de equipes e times. Com isso, aqueles que investem perdem o interesse.
    Por impor horários, por exemplo, a São Silvestre era uma corrida que todos esperavam para ver, e todos sabiam o nome do vencedor.
    Agora, as pessoas nem sabem que a corrida existe.
    Na Fórmula 1 , não mostrar pódio é evidência de descaso com o esporte, com os esportistas, com os patrocinadores e principalmente com a audiência.

    Infelizmente não acredito que a Band vá trazer melhoria nesse cenário, porque da mesma forma, anuncia e não transmite, corta pódios para iniciar um VT de um jogo de futebol sem graça, e ainda conta com narradores que nunca viram uma corrida ao vivo na vida e não procuram se informar sobre o esporte.

  • Saudações a todos !

    Sempre lembrando de que o Sportv ainda transmitirá, simultaneamente por 2 anos, com Sérgio Maurício.

    Na Band Temo que seja o Datena : ” Lá vem o carro #1 patrocinado pelo governo do Rio, que está sem leitos, uma vergonha esses políticos, diga lá Latino- o melhor da Tv ” . ” Shiii! os carros # 118 e 90 bateram ! será que houve mortos, diga aí capitão Saraiva, o melhor do ar “, ” Vai parar nos boxes o carro 9, tem chances de explodir ? diga lá Almeida “, Tragédia na curva do bacião envolvendo o carro madrinha e os caminhões de limpeza ” , põe no ar, me ajuda aí Porra ! “, ” Que céu carregado é esse ? vai ter alagamento no S do Senna e pode ter afogamento. Estou certo Marize ?. Sabe Daten…- Obrigado ! vai morrer gente “…

    Vai ser dureza.

    abs

  • Eu torço pela ressurreição da Band no automobilismo.
    Aprendi o que era Fórmula Indy com eles. E uma lição muito importante. Que há vida automobilística pujante, competitiva e consagradora fora da caixinha da F-1. Cresci vendo Emerson, Boesel, Moreno, e depois tantos outros.
    Dá pra fazer com qualidade. É só querer, planejar, e trazer gente boa, compromissada, e que entenda do assunto, ou se comprometa a querer entender.
    E, conforme outros comentaram, poderiam vir a reboque outras categorias que têm pouca divulgação, mas que são igualmente divertidas e competitivas. Bem que a TC argentina poderia vir.
    O que seria um justo reconhecimento a uma categoria altamente competitiva. E de quebra uma justa homenagem indireta a um povo que hoje chora a morte de seu maior ídolo.

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames