Fox Nitro: bandeira quadriculada

F

RIO DE JANEIRO (Triste…) – Esperei o Flavinho se manifestar, afinal de contas em 28 de março de 2016, quando a atração entrou no ar, ele era o apresentador e lá estavam, junto a ele o Thiago Alves e o Felipe Motta. Eu fui integrado aos poucos ao Fox Nitro e o mestre Edgard Mello Filho, também.

Mas já teve comentário ‘off-topic’ aqui, não é novidade pra mais ninguém e então não tenho mais o que esconder: acabou segunda-feira o Fox Nitro. Já sabíamos do cancelamento do programa, do qual fomos informados duas semanas atrás. Chorei muito, copiosamente, como há muito tempo não chorava, no dia do anúncio do cancelamento e mais ainda no dia seguinte. Pra mim, foi como se arrancassem de mim um pedaço, comigo vivo, e jogassem às feras.

Porque eu e todos os colegas primeiro de estúdio e depois de home office, nesse período de Pandemia, nos doamos, dedicamos, empenhamos e tentamos fazer sempre o melhor dentro de todas as limitações impostas e existentes. Paciência… sempre há pequenas falhas e elas acontecem. Ninguém é perfeito. Mas era um dos únicos programas de um esporte tão de nicho quanto o motorizado, que permaneciam de pé na televisão brasileira.

O problema de ter sido extinto antes do ano motorizado terminar não foi falta de audiência. Muito embora estando no Fox Sports 2, e em bom horário – 20h – depois de tantas mudanças, reclamações e idas e vindas na grade, porque o programa realmente era exibido num horário não muito favorável – tenho que concordar, mas a responsabilidade jamais foi nossa – nunca deu traço. Mas os índices não eram tão bons quanto no Fox Sports 1.

Infelizmente, como disse o FG, fomos vítimas da fusão que vem sendo implementada via Argentina pelo Grupo Disney. Veio de lá a decisão sem muitas explicações, comunicada para todos nós do Nitro pela direção executiva (igualmente extinta) do Fox Sports, via Márcio Moron, a quem sou muito grato por ter aceitado a sugestão do companheiro de redação Rogério Micheletti para que eu assumisse inclusive a parte editorial do programa.

Fiz espelho, pauta, produção, edição, coordenação, participei como debatedor. E com orgulho imenso do meu trabalho. Acredito que nós todos, que estivemos no Nitro um dia – Flavinho, Motta, Thiago, Edgard, eu, Hamilton Rodrigues, Teo José e Renan do Couto, junto a todos os convidados, nacionais e internacionais – nosso último, dia 23, inclusive, foi o argentino Matías Rossi – temos orgulho do que fizemos em quatro anos, oito meses e dois dias.

Ciclos existem e um dia acabam. O do Nitro chegou ao fim.

Paciência.

O nicho do automobilismo na TV fechada fica, a cada dia, mais empobrecido.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

20 Comentários

  • Simplesmente inacreditável, se a audiência não “dava traço”, pq acabar?!

    Não tem como entender a cabeça desses CEOs ou o que quer que seja!!!

  • Sinto muito Rodrigo e amigos do Nitro,como amante dos esportes a motor foi como muita tristeza que vi o ultimo programa nesta segunda feira.
    Nâo consigo mais entender o mundo em que vivemos e as pessoas que o comandam,dinheiro{audiência} não é tudo.
    O programa sempre foi disparado o melhor no seu formato,principalmente pela qualidade de seus apresentadores e edição.
    Espero que a emissora tenha planos de mantelos e fazer algo neste formato pois fará muita falta para nós assinantes e se não o fizer e vier com uma programação populista via futebol etc eu serei um dos primeiros a cancelar minha assinatura do fox sports.
    Grande abraço e boa sorte a todos na proxíma jornada.

  • Também sou mais um a fazer coro àqueles que ficaram estupefatos com o fim do programa, com o mundial de F1 ainda a ter desfecho!
    A Disney por acaso irá fechar completamente as portas da Fox Sports essa semana? Não né?
    E até mesmo devido a tamanho das populações e mercados, argentino e brasileiro, não entra na minha cachola de jeito algum o motivo de ter “hermano” apitando no mercado midiático brasileiro.
    Enfim, é desejar o melhor para você Rodrigo, que se esmera em tudo o que faz, assim como seus colegas da Fox.
    Grande abraço.

  • Boa noite Rodrigo, se permite a intimidade de quem convive com vc a muito tempo. Rodrigo , gostaria que vc fizesse chegar nos outros que estavam no programa com vc. Rodrigo será que os caras sabem que agente ficava ligado na segunda só pra ver o programa. Esses caras me deixaram órfão aos 58 anos, mas no mundo corporativo o sonho não vira realidade. Vida que segue, estou triste até agora. Vi a reprise e se tivesse gravado iria ver muitas vezes vcs são d++++++++ . O Flávio, Vc, o Edgar (adoro os comentários dele) , sei lá eu amo o Edgar, espero ter a oportunidade de dizer isso a ele pessoalmente , o Thiago esfregando as mãos kkkk cara vcs são de mais. Mas me diz uma coisa, e agora ???? O cara da band Parece Que gosta de automobilismo…. será que vamos ter nitro em outra Tv???? Band nitro, ou sportnitro???? Como vou fazer agora pra me manter informado?????? Vcs se separaram tb, porque acabou o programa ou estão com planos pra continuarem juntos cobrindo as corridas???? Um grande abraço de um pequeno admirador

  • Uma pena, continuam os infindáveis e descartáveis debates sobre futebol e acaba mais um programa de automobilismo.
    Infelizmente ao que parece caminhamos para mais debates sobre futebol, abandonando os fãs de outros esportes. Uma pena.

  • Meus caros,
    grandes corporações não possuem país!
    Elas transcendem os países e se tornam estruturas globalizadas. Fica pior quando duas grandes são fundidas num esquema do tamanho da Disney.
    O pessoal vê números.
    O medão é o que vai acontecer ano que vem com as transmissões de todas as categorias que o Fox acompanhava. O medão é o que vai acontecer com a excepcional equipe que faz esse espetáculo acontecer!
    Nós, que adoramos esse negócio, temos que ficar bem preocupados com o que vem por aí.
    Que preservem as transmissões e os responsáveis por elas!

  • ‘Bola’ fora da emissora. Melhor dizendo, ‘motor’ fora.
    2020 realmente um ano para ser deletado; este ja vai tarde.
    Obrigado pelo empenho e dedicacao de todos voces.
    Espero que mentes lucidas futuramente possam repensar o programa.
    Que lastima!

  • É triste perdermos um dos únicos programas sobre esporte a motor. E além de triste, é revoltante saber que esse horário vai ser preenchido com mais uma mesa redonda sobre futebol, ou com a reprise de um jogo irrelevante de um campeonato também completamente irrelevante. Toma futebol goela abaixo do povo! Ou outros esportes? Que se fodam, todos.

  • Rodrigo e time do Fox Nitro, em especial ao mestre Edgard gênio do automobilismo, lámentavel terminar com o melhor programa de esportes a motor, ainda agora com a Moto GP na Fox.
    Não dá para entender, mas espero que voces continuem narrando as corridas.

    abraço a todos, nos avisem se forem montar um novo programa.

    A ESPN só tem de bom NFL o resto é lixo.

  • Seria possível vocês criarem um programa semelhante pra colocar no Youtube? Ou contratualmente não é permitido? (mesmo que não haja nenhum programa semelhante nos canais ESPN/Fox Sports?)

  • Muito triste, você definiu exatamente a realidade.
    Considero um dos melhores programas da TV brasileira.
    Quem tomou esta decisão não sabe o que faz. Não ia assistir a fox no horário, buscava o programa, agora, terei a internet pra obter parte do que o programa oferecia em informações sobre automobilismo…

  • Sugestão:

    Transformem o Nitro num programa on-line pela internet…
    Recebam a monetização do programa por isso, pelas visualizações.
    Em pouco tempo o público que via na tv estará acompanhando on line…
    Será até mais fácil assistir aos programas a qualquer hora….

  • Senti uma profunda tristeza com o último episódio do Fox Nitro. Vocês fizeram parte da minha vida nesses 4 anos. Com muita alegria, informação, qualidade. Enfim não tem explicação do motivo dessa decisão.
    Fica aqui o meu agradecimento, admiração e respeito. #PéNoPorão

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames