Sete vezes Ogier

S

RIO DE JANEIRO – Quem é rei não perde – nunca – a majestade. Mesmo numa temporada em ritmo atípico, com diversos cancelamentos de eventos, o Mundial de Rally (WRC) conseguiu encerrar o ano de forma digna. E coroando um velho campeão.

Sébastien Ogier chegou a mais um título (o sétimo) pela terceira montadora diferente na carreira. Exceto ano passado, quando esteve na Citroën e perdeu justamente para a Toyota guiada por Ott Tänak, o francês de 36 anos – faz 37 em alguns dias – não perdeu o faro, mesmo num ano em que considerou se aposentar, mudando de ideia e adiando os planos pelo menos até o fim de 2021.

O piloto e seu navegador Julien Ingrassia venceram o Rally de Monza, que foi alocado como o sétimo e último evento final de um campeonato que teria tido também a etapa de Ypres, na Bélgica, cancelada devido à segunda onda forte de Covid-19 naquele país.

E não só venceram como Elfyn Evans deu sua parcela de colaboração para entregar de bandeja a taça ao companheiro de equipe, com um erro crucial numa das especiais de sábado – a SS11. O galês terminou somente em 29º na geral. Ainda acabou em 3º no Power Stage, mas com a liderança de Ogier, com boa vantagem para os adversários, ficou mesmo com o vice, após chegar a esta etapa final 14 pontos à frente. Ficou oito atrás.

Mais uma vez quem ficou a ver navios foi Thierry Neuville, nocauteado da disputa logo nos primeiros estágios. O belga, que tinha pequenas chances, viu tudo se esvanecer de forma muito rápida. Ao fim de tudo, a falta de regularidade do piloto da Hyundai, que começou lá em janeiro como o vencedor em Monte-Carlo, cobrou a conta.

O Rally de Monza começou com Esapekka Lappi liderando de início e depois Dani Sordo dominante, mesmo com a neve e o mau tempo. Mas bastou o erro de Evans e a confiança de Ogier subiu. O francês assumiu a dianteira, abriu quase 18 segundos no penúltimo dia e domingo só administrou. Venceu com 14 segundos de frente para Tänak e Sordo foi ainda o 3º colocado.

Com esses resultados, a Hyundai teve o consolo de conquistar o título entre os construtores, com cinco pontos de vantagem para a Toyota – 241 a 236. A Ford, com a M-Sport, nem fez cosquinha.

Nas demais classes, Mads Østberg virou para cima de Pontus Tidemand e levou o título do WRC2. No WRC3, que usa o mesmo regulamento, mas com times sem ligações diretas com fabricantes, título para Jari Huttunen, com vice sul-americano, o boliviano Marco Bulacia Wilkinson. Paulo Nobre terminou o campeonato em 37º somando dois pontos.

Resultado final do Rally de Monza:

1 – Ogier/Ingrassia (Toyota Yaris WRC) – 2’15’51″0
2 – Tanak/Jarveoja (Hyundai i20 WRC) – 13″9
3 – Sordo/Del Barrio (Hyundai i20 WRC) – 15″3
4 – Lappi/Ferm (Ford Fiesta WRC) – 45″7
5 – Rovanpera/Halttunen (Toyota Yaris WRC) – 1’11″1
6 – Mikkelsen/Jaeger (Skoda Fabia Rally2 Evo) – 3’56″2
7 – Solberg/Johnston (Skoda Fabia Rally2 Evo) – 4’12″1
8 – Huttunen/Lukka (Hyundai i20 R5) – 5’15″4
9 – Østberg/Eriksen (Citroen C3 R5) – 5’27″4
10 – Tidemand/Barth (Skoda Fabia Rally2 Evo) – 5’53″0

Classificação final do campeonato:

1. Sébastien Ogier – 122 pontos
2. Elfyn Evans – 114
3. Ott Tänak – 105
4. Thierry Neuville – 87
5. Kalle Rovanperä – 80
6. Esapekka Lappi – 52
7. Teemu Suninen – 44
8. Dani Sordo – 42
9. Craig Breen – 25
10. Sébastien Loeb – 24
11. Gus Greensmith – 16
12. Pontus Tidemand – 14
13. Takamoto Katsuta – 13
14. Jari Huttunen – 9
15. Kajetan Kajetanowicz e Oliver Sölberg – 8
17. Nikolay Gryazin, Pierre-Louis Loubet e Andreas Mikkelsen – 6
20. Marco Bulacia Wilkinson – 5
21. Mads Østberg – 4
22. Adrien Fourmaux e Eric Camilli – 2
24. Ole Christian Veiby – 1

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

1 Comentário

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames