Canadá out

C

RIO DE JANEIRO – Pelo segundo ano consecutivo, a Pandemia do Covid-19 impede a realização do Grande Prêmio do Canadá de Fórmula 1 – e logo num dos traçados mais legais, o Circuito Gilles Villeneuve, na Île de Nôtre-Dame, em Montreal.

Liberty Media e FIA agiram rápido desta vez e não deixaram brechas: a temporada em princípio segue com a previsão de 23 etapas e a prova canadense, que seria a primeira visita da categoria à América do Norte mesmo com o Coronavírus, será substituída – na mesma data marcada para o evento cancelado – pelo GP da Turquia, em Istambul.

Primeira opção de “regra três” para qualquer evento que pudesse ser cancelado e substituído, a pista desenhada por Hermann Tilke foi palco de uma apresentação magistral do campeão Lewis Hamilton no ano passado, no fim de semana em que Lance Stroll conquistou uma inédita e histórica pole position com a hoje Aston Martin, antes Racing Point.

O cancelamento deste evento coloca em xeque também a grande maioria das corridas por este continente – muito embora estejam programadas para o segundo semestre. E a decisão da IMSA e da SRO em retirar os eventos do Canadá de seus calendários já era um sobreaviso de que as coisas não estariam boas por lá, como de fato não estão.

Cabe recordar que o Brasil deveria ter sido anunciado junto a Grã-Bretanha e Itália como sede dos três eventos-teste com provas classificatórias – formato que será experimental em 2021. E não aconteceu a confirmação porque até o momento ninguém se sente seguro de afirmar que haverá o GP em Interlagos.

Ano passado, a Fórmula 1 deixou de visitar as Américas pela primeira vez em sua história. Será que teremos repeteco?

Bem… o Liberty Media espera voltar a Montreal em 2022, se tudo der certo. E foi anunciada uma extensão de contrato por mais dois anos. O evento estaria garantido a princípio até 2029. O “slot” foi ampliado até 2031.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

2 Comentários

  • Sem querer bancar o profeta do apocalipse aqui mas, quase certeza que o mesmo ocorrerá com o agora GP de São Paulo, em Interlagos. Aliás, vale lembrar que o estado de São Paulo sozinho passou semanas tendo mais de 1.000/dia mortos por Covid-19 e ainda vem batendo perto disso apesar de uma “aparente” melhora no nº de internações.
    Levando em consideração o ritmo de imunização muito lento (e começou a faltar vacinas…), o relaxamento de medidas de quarentena mesmo com a situação ainda inadequada para tal e a própria imagem (péssima) construída pelo país no combate à pandemia, realmente é muito otimismo achar que o circo da F1 queira realmente pisar por estas terras.

    • Tarde Mattar!

      Será mesmo que teremos prova por lá, uma vez que o Erdogan iniciou lockdown? Também acho difícil da categoria vir pra cá, na atual conjuntura. Abraço!

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames