Indy 500: plantel definido

I

RIO DE JANEIRO – Com a primeira fila do grid tendo a terceira menor média de idade de sempre (27 anos apenas), foi definido ontem o plantel completo da 105ª edição da Indy 500, 13h de domingo ao vivo e com exclusividade na TV Cultura e no site. Aliás, pedimos desculpas pela não-transmissão dos treinos classificatórios por conta de um desacerto que não nos cabe entrar no mérito. Anunciamos, estávamos – eu e Geferson Kern – empolgados e na chamada “hora H”, balde de água fria nas nossas cabeças.

Sigamos…

Ontem, no Fast Nine, Scott Dixon mostrou porque na opinião de muitos já é o GOAT da IndyCar. Mais rápido do sábado, o neozelandês da Ganassi não deu hipóteses para qualquer adversário – porém, longe de ser fácil demais: Colton Herta extraiu muita velocidade do #26 da Andretti e virou uma ótima média de 231.655 mph. Mas o cômputo de Dixon foi melhor e o piloto do carro #9 andou em 231.685 mph para levar a quarta pole da carreira para o clássico do automobilismo dos EUA e mais nove pontos de bônus, dentro do regulamento esportivo da IndyCar Series.

A ótima surpresa foi a performance da ECR com dois de seus carros avançando para o Fast Nine e destoando dos demais carros com motor Chevrolet. Vencedor no misto de Indianápolis na outra semana, o destemido Rinus VeeKay andou forte e ficou com um lugar na primeira fila – cabe lembrar que seu compatriota Arie Luyendyk era 3º no plantel em 1990, quando ganhou pela primeira vez. Sinais? Fortes sinais? A ver.

Ed Carpenter abre a segunda fila, trazendo a seu lado Tony Kanaan e também Álex Palou, com mais dois carros da CGR. Tal como Hélio Castroneves, o baiano perdeu posições em relação ao sábado e pareceu que os dois tiveram a mesma resolução: mudar o escalonamento das marchas, o que lhes custou caro já que usaram uma relação mais longa. Mas tanto o Homem-Aranha quanto TK estão bem na foto.

Completaram o Fast Nine Ryan Hunter-Reay com a 7ª posição e Marcus Ericsson em nono – a Ganassi foi a única com 100% de aproveitamento na sessão a definir o pole position.

Em contrapartida, a Penske passou maus pedaços. Seus quatro carros estão da segunda metade para trás do grid, o melhor dos pilotos é um novato – Scott McLaughlin larga em décimo-sétimo – e Will Power andou à beira do desastre. O vencedor da prova em 2018 flertou com a não-classificação, mas para sua sorte, havia carros piores: Simona De Silvestro pelo menos levou a Paretta Autosport – com suporte Penske, aliás – à última colocação do pelotão de 33 carros.

A A.J.Foyt ficou sem Charlie Kimball, eliminado por deficiência técnica assim como o “rookie” RC Enerson, ambos virando abaixo de 228 milhas no Last Row Qualifying após duas tentativas. Sage Karam, Power e Simona se garantiram – não sem uma boa dose de dramaticidade.

Entre as demais posições auferidas de 10º a trigésimo, a destacar o excelente 13º lugar do brasileiro Pietro Fittipaldi, com um desempenho bastante consistente e média de 230.846 mph. Bicampeões como Takuma Sato e Juan Pablo Montoya tiveram desempenhos modestos. A surpresa foi a tranquila classificação de Max Chilton e Dalton Kellett, que se livraram do Last Row Qualifying com médias superiores a 229 mph na classificação de sábado.

Um fato que se constatou durante todo o fim de semana foi que, ao contrário do que já se viu em anos passados, nenhum piloto conseguiu fazer seus tempos de volta melhorar do primeiro ao último giro – a cada tentativa de quatro voltas lançadas. Invariavelmente, sempre a melhor volta era a primeira dos pneus Firestone. O calor e o comportamento dos compostos do lado direito do carro fizeram a diferença desta vez.

O grid da 105ª Indy 500 – provisório, já que o Carb Day, em caso de acidente, pode mudar as coisas, é este:

1ª fila

#9 Scott Dixon (Ganassi Honda) – 231.685 mph
#26 Colton Herta (Andretti Autosport Honda) – 231.655
#21 Rinus VeeKay (ECR Chevrolet) – 231.511

2ª fila

#20 Ed Carpenter (ECR Chevrolet) – 231.504
#48 Tony Kanaan (Ganassi Honda) – 231.032
#10 Álex Palou (Ganassi Honda) – 230.616

3ª fila

#28 Ryan Hunter-Reay (Andretti Autosport Honda) – 230.499
#06 Hélio Castroneves (Meyer-Shank Honda) – 230.355
#8 Marcus Ericsson (Ganassi Honda) – 230.318

4ª fila

#27 Alexander Rossi (Andretti Autosport Honda) – 231.046
#18 Ed Jones (Dale Coyne w/Vasser Sullivan Honda) – 231.044
#5 Pato O’Ward (Arrow McLaren SP Chevrolet) – 230.864

5ª fila

#51 Pietro Fittipaldi (Dale Coyne w/RWR Honda) – 230.846
#7 Felix Rosenqvist (Arrow McLaren SP Chevrolet) – 230.744
#15 Takuma Sato (Rahal Letterman Lanigan Honda) – 230.708

6ª fila

#29 James Hinchcliffe (Andretti Autosport Honda) – 230.563
#3 Scott McLaughlin (Penske Chevrolet) – 230.557
#15 Graham Rahal (Rahal Letterman Lanigan Honda) – 230.521

7ª fila

#47 Conor Daly (ECR Chevrolet) – 230.427
#60 Jack Harvey (Meyer-Shank Honda) – 230.191
#2 Josef Newgarden (Penske Chevrolet) – 230.171

8ª fila

#1 JR Hildebrand (A.J. Foyt Chevrolet) – 229.980
#45 Santino Ferrucci (Rahal Letterman Lanigan Honda) – 229.949
#86 Juan Pablo Montoya (Arrow McLaren SP Chevrolet) – 229.891

9ª fila

#98 Marco Andretti (Andretti Herta Autosport Honda) – 229.872
#22 Simon Pagenaud (Penske Chevrolet) – 229.778
#14 Sébastien Bourdais (A.J. Foyt Chevrolet) – 229.744

10ª fila

#25 Stefan Wilson (Andretti Autosport Honda) – 229.714
#59 Max Chilton (Carlin Chevrolet) – 229.417
#4 Dalton Kellett (A.J. Foyt Chevrolet) – 229.323

11ª fila

#24 Sage Karam (Dreyer & Reinbold Chevrolet) – 229.156
#12 Will Power (Penske Chevrolet) – 228.876
#16 Simona De Silvestro (Paretta Autosport) – 228.353

Não qualificados

#11 Charlie Kimball (A.J. Foyt Chevrolet) – 227.584
#75 RC Enerson (Top Gun Chevrolet) – 226.813

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

2 Comentários

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames