WRC: e deu Neuville, finalmente, na Bélgica

W
Teve especial do Ypres Rally em Spa e Neuville foi o vencedor de sua prova caseira, pela primeira vez em 2021 no WRC

RIO DE JANEIRO – Com a demanda de 24h de Le Mans, este blog demora a registrar a 8ª etapa do Mundial de Rally (WRC) e seu relato, contando – finalmente! – a primeira e caseira vitória de Thierry Neuville e seu copiloto Martjin Wydaeghe na temporada 2021 e a segunda da Hyundai, já vitoriosa com o campeão de 2019 Ott Tänak no Rally do Ártico.

Foi um triunfo emocional da dupla – o primeiro para Wydaeghe como navegador no WRC – que concluiu a disputa com pouco mais de 30seg de frente para outro i20 WRC conduzido por Craig Breen e Paul Nagle – foi o segundo pódio consecutivo do irlandês em quatro eventos onde foi escalado por Andrea Adamo, o Team Principal do construtor sul-coreano.

Foram boas as chances da Hyundai em emplacar um 1-2-3 no Ypres Rally, porém Ott Tänak foi nocauteado por um furo de pneus e chegou apenas em sexto. Kalle Rovanpërä, quarto no campeonato, foi muito bem e subiu ao pódio sendo o melhor piloto Toyota, à frente de Elfyn Evans e do multicampeão Sébastien Ogier.

Mesmo com o pior resultado do ano exceto o Rally do Ártico, onde não pontuaram, Ogier e o copiloto Julien Ingrassia seguem com boa vantagem na tabela – 38 pontos para Evans/Martin e Neuville/Wydaeghe, que perdem o direito da vice-liderança por não terem posições de segundo lugar – só cinco terceiros. Evans alcançou três segundos lugares e soma uma vitória – igual Neuville.

O Rally da Bélgica foi mais um para a Ford deixar cair no esquecimento. Nenhum dos carros da M-Sport, que já iniciou os trabalhos de desenvolvimento do novo modelo Puma, dentro das regras que vão vigorar futuramente, terminou: Adrien Fourmaux e seu navegador Renaud Jamoul sofreram um fortíssimo acidente e os dois carros WRC2, com Teemu Suninen e Tom Kristensson se retiraram: o finlandês por problemas técnicos e o sueco, por acidente. Gus Greensmith ficou num desdentado 47º lugar.

Os abandonos e problemas promoveram Yohan Rossel e seu navegador Alexandre Coria ao 7º lugar geral e à vitória na subclasse WRC3, seguidos por Pieter Jan Michel Cracco num Skoda e Vincent Verscheuren, num Volkswagen. Fabian Kreim, que completou o top 10 com outro Polo GTI R5 não competiu por nenhuma subcategoria do Mundial.

A vitória no WRC2 foi de Jari Huttunen, num distantíssimo 19º posto geral. Na 9ª etapa, marcada para 9 a 12 do próximo mês na Grécia, o Rally do Acrópole, está prevista a participação do antigo presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, com um carro do WRC3, em dupla com Gabriel Morales.

O resultado final do Ypres Rally:

1 – Neuville-Wydaeghe (Hyundai i20) – 2h30’24″2
2 – Breen-Nagle (Hyundai i20) – 30″7
3 – Rovanpera-Halttunen (Toyota Yaris) – 43″1
4 – Evans-Martin (Toyota Yaris) – 49″6
5 – Ogier-Ingrassia (Toyota Yaris) – 55″8
6 – Tanak-Jarveoja (Hyundai i20) – 3’46″5
7 – Rossel-Coria (Citroen C3 WRC2) – 12’14″9
8 – Cracco-Vermeulen (Skoda Fabia WRC2) – 13’05″9
9 – Kreim-Christian (VW Polo WRC2) – 13’13″8
10 – Verschueren-Cuvelier (VW Polo WRC2) – 13’31″1

Classificação do WRC após a 8ª etapa:

1. Sébastien Ogier – 162
2. Elfyn Evans e Thierry Neuville – 124
4. Kalle Rovanpërä – 99
5. Ott Tänak – 87
6. Takamoto Katsuta – 66
7. Craig Breen – 60
8. Gus Greensmith – 34
9. Dani Sordo – 31
10. Adrien Fourmaux – 30
11. Teemu Suninen – 17
12. Mads Østberg – 13
13. Yohan Rossel – 12
14. Jari Huttunen – 10
15. Andreas Mikkelsen – 8
16. Esapekka Lappi – 7
17. Oliver Solberg, Pierre-Louis Loubet e Onkar Rai – 6
20. Pepe López, Pieter Jan Michiel Cracco, Karan Patel e Aleksey Lukyanuk – 4
24. Jan Solans, Carl Tundo e Fabian Kreim – 2
27. Marco Bulacia Wilkinson, Nikolay Griyazin, Eric Camilli e Vincent Verscheuren – 1

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

Adicione um Comentário

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames