Para quem não viu: DTM 2021, rodada de Norisring

P

RIO DE JANEIRO  – Está encerrada a temporada 2021 do DTM,  a primeira com os carros na configuração de regulamento GT3, usada para ‘salvar’ a tradicional categoria de origem alemã que passou por diferentes mutações, desde os carros de série até verdadeiros protótipos carenados com tecnologia embarcada, maciço emprego de carbono e custos altos que afastaram os construtores.

A ITR através de Gerhard Berger, o novo organizador do campeonato, conseguiu manter um bom nível de competitividade na categoria, foram vistas sete marcas diferentes dentro do novo regulamento e 30 pilotos disputaram pelo menos uma das oito rodadas duplas e 16 corridas do calendário.

E no fim de tudo, um campeão surpreendente: a liderança foi revezada entre Kelvin Van der Linde (Audi) e Liam Lawson (Ferrari) até antes da rodada final no circuito urbano de Norisring. Mas Maxi Götz (Mercedes-AMG) ‘atropelou’ como um verdadeiro cavalo de corrida, ganhou as duas provas e levou o título.

O piloto derrotou Lawson por três pontos, já que o rival da AF Corse não terminou a última etapa, enquanto Van der Linde, que comandou a tabela por várias etapas, acabou mesmo em 3º lugar. Marco Wittmann (BMW) foi o quarto e Lucas Auer (Mercedes-AMG) completou o top 5.

A categoria viu na etapa anterior a despedida de Alex Albon, que volta à Fórmula 1 pela Williams, tendo terminado o DTM em 6º lugar. Após o encerramento do campeonato, Mike Rockenfeller foi dispensado pela Audi e René Rast, quatro vezes campeão da série, foi confirmado em seu lugar para 2022.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

1 Comentário

  • Realmente foi surpreendente o nível que o DTM conseguiu atingir depois da enorme perda dos Class 1, mas essa última corrida foi um desastre total para a categoria, tudo que ela lutou para se manter nesse ano foi jogado pela janela pela Mercedes. Uma marca agindo como uma grande equipe e manipulando resultados era tudo que os fãs não queriam ver.

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames