Hyundai fatura primeira na ‘era híbrida’ do WRC

H

RIO DE JANEIRO – Faltava a Hyundai levar seu primeiro troféu na nova ‘era híbrida’ do Mundial de Rally (WRC). Não falta mais: Ott Tänak e seu navegador Martin Järvejoja finalmente fizeram as pazes com o lugar mais alto do pódio ao triunfarem no Rally da Sardenha, válido como 5ª etapa do campeonato de 2022.

Foi o terceiro triunfo da dupla pela marca sul-coreana e o primeiro desde o Rally do Ártico em fevereiro do ano passado – aliás, após o título mundial conquistado há quase três anos, a razão de vitórias dos estonianos caiu para uma por temporada. É preciso a eles reagir e melhorar essa média que não condiz com o potencial do piloto e seu copiloto.

Neste evento, Tänak e Järvejoja quebraram o longo jejum em grande, pois com esse triunfo alcançaram a 3ª posição no campeonato, ofertando também a primeira vitória da equipe ao novo Team Principal, Julien Moncet, substituto do italiano Andrea Adamo.

Na famosa especial de Cala Flumini, o piloto da Hyundai alcançou também a marca de 300 trechos cronometrados vencidos em sua trajetória no WRC. Ciente de que não poderia correr riscos sob pena de perder uma vitória praticamente assegurada para Craig Breen e um dos Ford da M-Sport, Tänak apenas administrou no Power Stage, onde o melhor tempo foi de Thierry Neuville – que precisava dos pontos para não perder a vice-liderança e não se distanciar demais de Kalle Rovanperä, que foi apenas o 5º colocado na prova italiana.

Breen e seu copiloto Paul Nagle chegaram a pouco mais de 1min dos vencedores, dando à dupla o segundo pódio do ano, o melhor resultado na temporada e também a melhor performance da M-Sport Ford desde a vitória de Sébastien Loeb no evento inaugural da ‘era híbrida’ no Rally de Monte-Carlo. O pódio contou ainda com um segundo Hyundai i20N Rally 1, conduzido por Dani Sordo ao lado do navegador Candido Carrera.

O Rally da Sardenha foi bem positivo para a M-Sport Ford, pois Pierre-Louis Loubet e Vincent Landais marcaram bons pontos no terceiro evento da dupla em cinco etapas: com o 4º lugar, superaram Rovanperä/Halttunen e Takamoto Katsuta/Aaron Johnston.

O outro Toyota Yaris, guiado por Elfyn Evans/Scott Martin, ficou fora dos pontos – a dupla foi a 40ª colocada, mas o galês salvou três pontos do Power Stage – o que, convenhamos, é muito menos do que se podia esperar dos vice-campeões do WRC em título.

Três duplas do WRC2 completaram o top 10 absoluto, com a vitória desta vez sorrindo a Nikolay Gryazin, que corre como ‘atleta neutro autorizado’ e dividindo um Skoda Fabia com o igualmente ‘neutro’ Konstantin Aleksandrov. Jan Solans foi 2º na classe e salvou os primeiros pontos na geral entre os pilotos do WRC, enquanto Jari Huttunen completou o pódio da classe e a classificação final entre os dez primeiros.

O próximo Rally será o Safari, no Quênia, entre 23 e 26 deste mês. Com base em Nairobi, o evento terá 363,44 km cronometrados e distribuídos em 19 trechos especiais.

Resultado final do Rally da Sardenha:

1 – Tänak-Järveoja (Hyundai i20N Rally1) – 3h10’59″1
2 – Breen-Nagle (Ford Puma Rally1) – 1’03″2
3 – Sordo-Carrera (Hyundai i20N Rally1) – 1’33″0
4 – Loubet-Landais (Ford Puma Rally1) – 2’09″4
5 – Rovanperä-Halttunen (Toyota GR Yaris Rally1) – 3’02″8
6 – Katsuta-Johnston (Toyota GR Yaris Rally1) – 4’02″6
7 – Greensmith-Andersson (Ford Puma Rally1) – 5’23″6
8 – Gryazin-Aleksandrov (Skoda Fabia WRC2) – 7’37″7
9 – Solans-Sanjuan (Citroen C3 WRC2) – 8’05″7
10 – Huttunen-Lukka (Ford Fiesta WRC2) – 8’10″8

Classificação do Mundial após cinco etapas:

1. Kalle Rovanperä – 120 pontos
2. Thierry Neuville – 65
3. Ott Tänak – 62
4. Craig Breen – 52
5. Takamoto Katsuta – 47
6. Elfyn Evans – 39
7. Dani Sordo – 34
8. Sébastien Loeb – 27
9. Gus Greensmith – 26
10. Sébastien Ogier – 19
11. Pierre-Louis Loubet – 18
12. Esapekka Lappi – 17
13. Andreas Mikkelsen – 12
14. Oliver Solberg – 8
15. Yohan Rossel – 7
16. Nikolay Gryazin – 6
17. Kajetan Kajetanowicz e Ole Christian Veiby – 4
19. Jari Huttunen e Emil Lindholm – 3
21. Erik Cais, Jan Solans e Adrien Fourmaux – 2
24. Egon Kaur – 1

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

Adicione um Comentário

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames