Quina de Rovanperä no WRC

Q
A conquista do WRC em 2022 é mera questão de tempo para Kalle Rovanperä: com cinco vitórias em sete eventos, o finlandês da Toyota tem 83 pontos de vantagem para o vice-líder e a próxima etapa será no país do líder do campeonato

RIO DE JANEIRO – Sete eventos disputados, cinco vitórias e diferença de 83 pontos para o 2º colocado. Com seis provas do WRC ainda por disputar, é quase impossível que o finlandês Kalle Rovanperä seja alcançado e o título mundial de Rally em 2022 acaba sendo mera formalidade ao nórdico – cabe lembrar que desde Petter Solberg, que é norueguês, um piloto daquela região não fatura um campeonato. À exceção do troféu conquistado por Ott Tänak, foram incríveis dezessete conquistas entre dois Sébastiens – primeiro Loeb e, depois, Ogier.

Rovanperä foi irresistível na disputa da sétima etapa da temporada, o Rally da Estônia, cujo epicentro foi a região de Tartu. A etapa foi realizada com 24 trechos cronometrados e pouco mais de 314 km de provas especiais – e o piloto da Toyota dominou de cabo a rabo. Cabe lembrar que ano passado, neste mesmo Rally, Kalle conquistou sua primeira vitória numa prova do Mundial. Passou rápido o tempo e, na mesma velocidade, o jovem piloto que divide os trabalhos com o navegador Jonne Halttunen, foi de promessa à realidade.

Elfyn Evans, atual vice-campeão, chegou ao terceiro pódio em quatro provas consecutivas e assim começa a descontar a diferença para um Thierry Neuville incapaz de se aproximar de Rovanperä – e muito menos em ser protagonista entre os pilotos da marca Hyundai. Os sul-coreanos nem comemoraram o pódio de Ott Tänak – aliás, foi justamente pelas mãos e pés do estoniano que saiu a única (até agora) vitória da marca na era híbrida, no Rally da Sardenha.

De resto, só deu Toyota entre os pilotos da turma de cima pelo menos até o sexto lugar. A Ford foi outra vez atrapalhada pela irregularidade frequente dos pilotos da M-Sport: Craig Breen, com problemas, não passou de trigésimo. Pierre-Louis Loubet, Jari Huttunen e Gus Greensmith nem passaram perto dos pontos, tampouco chegaram ao final. Sobrou Adrien Fourmaux, que foi um distante 7º colocado, perdendo mais de 5min em relação a Rovanperä. Falta um nome de peso à Ford e ao time de Malcolm Wilson: Loeb, que não faz todas as provas do WRC, é um gênio – mas não é o suficiente para o modelo Puma Rally 1 ser competitivo.

No WRC2, vitória de Andreas Mikkelsen – este sim, um talento bom o bastante para não ficar onde está. Na dupla com Torstein Eriksen, antigo navegador de Mads Ostberg, o finlandês foi 8º geral e pescou mais quatro pontos no Mundial. Quem reapareceu e somou pontos foi Teemu Suninen, desta vez num Hyundai: o “buldogue” finlandês foi nono e o top 10 foi completado por Emil Lindholm, este marcando pontos pela segunda vez na temporada pela turma de cima.

O próximo Rally será justamente no país do líder: o Rally da Finlândia, entre 4 e 7 de agosto, com previstos 322,61 km de trechos cronometrados e gravitando em Jyvaskyla, uma das localidades mais icônicas do WRC.

Resultado final do Rally da Estônia:

1 – Rovanpera-Halttunen (Toyota GR Yaris Rally1) – 2h54’29″0
2 – Evans-Martin (Toyota GR Yaris Rally1) – 1’00″9
3 – Tanak-Jarveoja (Hyundai i20N Rally1) – 1’55″7
4 – Neuville-Wydaeghe (Hyundai i20N Rally1) – 3’53″3
5 – Katsuta-Johnston (Toyota GR Yaris Rally1) – 4’13″4
6 – Lappi-Ferm (Toyota GR Yaris Rally1) – 4’49″1
7 – Fourmaux-Coria (Ford Puma Rally1) – 5’09″2
8 – Mikkelsen-Eriksen (Skoda Fabia WRC2) – 11’01″8
9 – Suninen-Markkula (Hyundai i20N WRC2) – 11’27″1
10 – Lindholm-Hamalainen (Skoda Fabia WRC2) – 13’04″8

Classificação do Mundial após a 7ª etapa:

1. Kalle Rovanperä – 175 pontos
2. Thierry Neuville – 92
3. Elfyn Evans – 79
4. Ott Tänak – 77
5. Takamoto Katsuta – 73
6. Craig Breen – 60
7. Sébastien Loeb – 35
8. Sébastien Ogier e Dani Sordo – 34
10. Gus Greensmith – 28
11. Esapekka Lappi – 27
12. Andreas Mikkelsen – 19
13. Pierre-Louis Loubet – 18
14. Oliver Solberg e Adrien Fourmaux – 9
16. Yohan Rossel – 7
17. Jourdan Seideridis, Kajetan Kajetanowicz e Nikolay Gryazin – 6
20. Ole Christian Veiby e Emil Lindholm – 4
22. Jari Huttunen – 3
23. Teemu Suninen, Erik Cais e Jan Solans – 2
26. Egon Kaur – 1

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

Adicione um Comentário

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames