SRO confirma calendários e novidades para 2023

S

RIO DE JANEIRO – Na coletiva de imprensa que este blog compartilha também em vídeo, a Stéphane Ratel Organisation (SRO) fez saber a todos da programação das categorias por ela organizada, visando a temporada 2023. As exceções são o GT World Challenge Australia e o GT World Challenge Asia, cujos anúncios serão feitos mais à frente – possivelmente em outubro.

O Fanatec GT World Challenge Europe segue dividido em eventos Endurance (provas de 3h, 6h ou 1000 km e 24h) e Sprint, com corridas em rodada dupla e 60 minutos de duração cada.

A temporada começa com os Media e Test Days em março no circuito francês de Paul Ricard, quando serão divulgados os plantéis das séries de Endurance e Sprint, antes do início propriamente dito da série – com as 3h de Monza retornando após dois anos com corridas em Imola. Paul Ricard, Spa-Francorchamps, Hockenheim e Barcelona completam os eventos de Endurance. A série Sprint será disputada em Brands Hatch, Magny-Cours, Zandvoort, Misano e Valência – o mesmo calendário de 2022.

As 24h de Spa-Francorchamps ganham para 2023 um novo patrocinador: sai a TotalEnergies e entra a Crowdstrike, especializada em segurança cibernética e de propriedade do piloto-empresário George Kurtz. A Crowdstrike, que aparece discretamente há alguns anos nas Mercedes de Fórmula 1, está com força no evento desse ano e foi confirmada como substituta da petroleira que absorveu a Elf.

Falando de combustíveis, é bem possível que a SRO opte por adotar combustíveis bioenergéticos a partir da próxima temporada – as categorias organizadas por Ratel conseguiram, até agora, só neste ano de 2022, diminuir em 66% as emissões de carbono com vistas a um automobilismo mais sustentável. Em parceria com a SunEnergy1, do piloto e empresário australiano Kenny Habul, a SRO espera dar um passo ainda maior na direção de um esporte mais responsável com o meio-ambiente.

Voltando a calendários, o Intercontinental GT Challenge (IGTC) terá cinco datas – uma a mais que nos dois últimos anos – com a adesão das 12h do Golfo em Abu Dhabi como último evento, transferindo a disputa das 9h de Kyalami para fevereiro. Nas palavras de Ratel, por “questão logística”,  já que as 12h de Bathurst voltam à data original em 2023 e serão disputadas duas semanas antes da prova sul-africana, para que os times europeus não tenham problemas com relação ao transporte de equipamentos e dar sequência aos seus trabalhos. Faz um certo sentido.

Assim, o campeonato terá, na sequência, as 12h de Bathurst e as 9h de Kyalami, ambas em fevereiro, as 24h de Spa-Francorchamps como já de hábito, em julho, a realização das 8h de Indianápolis em outubro e as 12h de Abu Dhabi – este ano em dezembro – em data a ser definida. Nessa prova, serão aceitos carros GT3 Pro inscritos no IGTC, além de modelos GT3 Pro-Am, GT3 Am, GT4 e Porsche 992 Cup, seguindo o preceito do regulamento utilizado naquela prova até hoje.

Sobre os demais campeonatos sob o guarda-chuva da SRO, o Intelligent Money British GT Championship segue com sete datas e nove provas, sendo cinco em formato Endurance e duas de Sprint, com duas baterias de 60 minutos. A novidade é a saída de Spa do calendário: a pista belga será substituída à altura, pois quem entra no lugar é o Autódromo Internacional do Algarve, que além de Silverstone receberá uma corrida com 3h de duração. A série começa em abril no dia 10 daquele mês, em Oulton Park.

O Fanatec GT World Challenge America terá de regresso o COTA, em Austin: o Circuito das Américas retorna ao calendário da série ianque com uma das sete rodadas duplas programadas para 2023 naquela classe e no Pirelli GT4 America Series. O campeonato começa no fim de fevereiro – justamente na data de disputa das 9h de Kyalami do IGTC…

O GT America, outro dos campeonatos organizados pela turma de Ratel nos EUA, mantém as mesmas sete datas das competições acima citadas e duas provas preliminares da Fórmula Indy, nos circuitos urbanos de St. Petersburg (fim de semana de 3 a 5 de março) e Nashville (4 a 6 de agosto).

Seguindo: a GT2 European Series, cujos carros serão aceitos nas 24h de Spa-Francorchamps mediante BoP (e também nos demais eventos do IGTC), têm calendário fechado para 2023 com seis datas e 12 corridas, começando em Monza e passando por Red Bull Ring, Dijon-Prénois, Algarve, Valência e Paul Ricard.

Outra novidade será a disputa de um evento Endurance extracampeonato para o GT4 European Series, que mantém o formato-padrão de seis eventos acompanhando as corridas do GT World Challenge Europe, inclusive na preliminar da Crowdstrike 24h de Spa: a SRO fará as 6h de Roma, em Vallelunga, somente para carros desta categoria – nunca modelos GT4 venceram a prova realizada desde 2004.

Por fim, e não menos importante, a SRO confirmou hoje a nova estrutura de graduação de pilotos FIA que entra em vigor já em 1º de janeiro de 2023 para qualquer evento de Grã-Turismo e Endurance. Essa estrutura foi aprovada no último mês em reunião do Conselho Mundial da FIA.

Platina – somente para pilotos profissionais e/ou titulares de Super Licença (seja no atual critério ou no anterior) que atendam aos seguintes requisitos: Top 5 de categorias de “nível 1” da FIA; nível comparável de performance a pilotos Platina; ou com algum outro critério que possa ser levado em consideração pelo Comitê de Graduação da entidade;

Ouro – pilotos profissionais com três ou mais temporadas em competições de Kart de alto nível; pilotos que competiram em categorias de monoposto por mais de duas temporadas – com pelo menos um pódio; pilotos que iniciaram a carreira (Kart ou Carros) antes dos 20 anos, com cinco temporadas no currículo. Os seguintes requisitos devem ser observados: Top 5 de categorias de “nível 2” da FIA; campeão de qualquer categoria de “nível 3” da FIA – seja na geral ou em subclasses; nível comparável de performance a pilotos Ouro; ou com algum outro critério adicional a ser levado em consideração;

Prata – pilotos com menos de 30 anos obtendo a primeira licença internacional; pilotos com menos de 30 anos sem experiência relevante nos karts ou monopostos; pilotos com menos de 30 anos que começaram a carreira após os 20, observados os critérios de nível comparável de performance a pilotos Prata; ou com algum outro critério adicional a ser considerado;

Bronze – qualquer piloto que obteve sua primeira licença internacional acima dos 30 anos, observados os critérios de nível comparável de performance a pilotos Prata; ou com algum outro critério adicional a ser considerado.

A mudança de ranqueamento também prevê que a idade mínima para a diminuição da graduação não seja mais 50 e sim 55. Assim, pilotos como Rubens Barrichello e Giancarlo Fisichella, por exemplo, que têm 50 e 49 anos respectivamente, seguirão como Platina até 2027 e 2028, respectivamente.

Em tempo:

As categorias consideradas de nível 1 da FIA são: Fórmula 2, Fórmula E, Fórmula Indy, WTCR, ETCR, Supercars Series e qualquer outro campeonato com status de Mundial e sancionado pela FIA.

As de nível 2: Porsche Supercup, Fórmula 3, Nascar Cup Series, Fórmula 4, DTM, Super Fórmula, Super GT e categorias com status de Copa do Mundo FIA, exceto Copa das Nações e FIA Motorsport Games.

As de nível 3: Campeonatos Regionais e Nacionais de Turismo (incluindo a Stock Car brasileira), Porsche Cup Nacional e Regional, LMP3 Nacional e Regional, GT4 Nacional e Regional, Nascar Xfinity Series, Nascar Truck Series, Europeu de Subida de Montanha; Kart Europeu e Internacional.

Também foi confirmado o formato de disputa do FIA Motorsport Games deste ano, marcado para outubro entre os dias 26 e 30 daquele mês e organizado em conjunto entre a entidade máxima do desporto automobilístico e a SRO: a competição acontecerá na França, com base em Marseille. As Olimpíadas sobre rodas terão 17 modalidades diferentes, com a participação de 80 países e uma estimativa de mil pilotos envolvidos.

Haverá provas em Paul Ricard, Sainte Baume e Veynois, para as seguintes modalidades: Grã-Turismo, Grã-Turismo Sprint, Endurance, Fórmula 4, Drifting, Kart Júnior, Kart Endurance, Kart Sênior, Rally2, Rally4, Históricos Rally, eSports, Autocross Júnior, Autocross Sênior e Slalom (Auto e Kart).

Formato de disputa das provas que terão a chancela da SRO:

GT Sprint com uma prova de 1h de duração com graduação irrestrita;

GT com duas provas classificatórias de 1h, uma final de 1h e dois pilotos – de graduação prata e bronze;

Endurance com protótipos LMP3 e modelos GT3, disputando uma prova de 2h30min de duração com dois a três pilotos na formação – um bronze (obrigatório), um prata e/ou um platina.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

Adicione um Comentário

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames