24h de Spa-Francorchamps: Mercedes vence novamente após nove anos

2

SÃO PAULO – A Mercedes-Benz esteve ausente do topo do pódio nas 24h de Spa-Francorchamps desde 2013 – até ontem: pela primeira vez nos últimos nove anos, a marca da estrela de três pontas conquista um dos principais eventos de Endurance do mundo – e não só dentro do regulamento GT3 como na história de quase 100 anos da história do evento e 74 edições realizadas – foi somente a segunda conquista da turma de Stuttgart.

E a primeira em dobradinha: após 536 voltas percorridas pelos 7,004 km de extensão da lendária pista das Ardenas, o #88 da Akkodis-ASP Team riu por último sendo guiado por Raffaele Marciello/Jules Gounon/Dani Juncadella, tendo como armas a consistência de um ritmo de prova muito sólido e a confiabilidade do carro, e a GetSpeed fechou a dobradinha da marca com o #2 de Luca Stolz/Maxi Götz/Steijn Schothorst.

A Mercedes só não fez o pódio por completo porque felizmente a Iron Lynx não deixou e a equipe de Daniel Serra ocupou o último degrau do pódio com o #71 guiado pelo tricampeão da Stock Car na parceria com Antonio Fuoco e Davide Rigon. Líderes do campeonato GT World Challenge Europe Endurance, eles perderam o comando para “Lello”, Gounon e Juncadella por nove pontos (77 a 68). Mas há ainda duas etapas por vir em Hockenheim e Barcelona e, portanto, não tem nada perdido.

Só que Daniel não poderá perder mais uma corrida da Stock Car – já perdeu a deste domingo – e com o compromisso já assumido com a RC Eurofarma, o piloto de 38 anos não pode abrir mão da etapa do Velocitta – que será no mesmo fim de semana de Hockenheim.

“Com certeza o objetivo é buscar o título da Endurance Cup. Quero agradecer à equipe e aos meus companheiros por este fim de semana. Não tivemos ritmo para lutar pela vitória como gostaríamos, mas tivemos que fazer o melhor que pudemos e acho que fizemos um bom trabalho. Os pontos são muito importantes para a equipe e não sei exatamente onde estamos no campeonato agora (N. do blog: em 2º com 68 pontos), de qualquer forma provavelmente não estarei na temporada inteira, pois tenho meus compromissos com a Stock Car no Brasil. Desejo boa sorte para Davide e Antonio para a próxima corrida.”

A Iron Lynx que se vire para achar um substituto à altura e certamente conseguirá.

Outra marca que lutou com as armas que tinha para vencer foi a BMW: na primeira disputa do novo M4 GT3 em Spa-Francorchamps, os bávaros não tiveram sorte – o #98 que liderou várias vezes (inclusive era primeiro ao fim da sexta hora e da metade da corrida, fazendo jus portanto à pontuação correspondente àqueles trechos, por regulamento) e tinha o brasileiro Augusto Farfus além do britânico Nick Yelloly e do holandês Nicky Catsburg, teve um pneu furado – o traseiro direito – a menos de 2h30 para o final da disputa. Essa trinca terminou em 6º atrás do #50 de Max Hesse/Neil Verhagen/Daniel Harper e também do Mercedes-AMG da GruppeM Racing, quarto colocado com Maro Engel/Maxi Bühk/Mikaël Grenier.

Vindo do fim do grid, o Porsche da KCMG conseguiu a maior recuperação da disputa para chegar em 7º lugar com o trio formado por Dennis Olsen/Laurens Vanthoor/Nick Tandy, com Marvin Kirchhöfer/Ollie Wilkinson/Rob Bell (Jota) em oitavo, últimos na mesma volta e melhor equipe com o modelo McLaren 720S GT3.

A Ferrari #51 da Iron Lynx fechou a disputa em nono e o top 10 foi completado pelo Aston Martin AMR Vantage GT3 da Beechdean AMR – curioso: nenhum Audi figurou entre os melhores pela primeira vez em anos, e há uma explicação – o #32 dos favoritos Kelvin Van der Linde/Dries Vanthoor/Charles Weerts entrou literalmente em rota de colisão com o #46 de Valentino Rossi/Fréderic Vervisch/Nico Müller – que são DA MESMA EQUIPE.

Dessa forma, o melhor dos quartargólicos foi o #66 da Attempto, 12º colocado com Ricardo Feller/Markus Winkelhock/Dennis Marschall. E se serve de consolo, a WRT venceu na Silver Cup com Jean-Baptiste Simmenauer/Benjamin Goethe/Thomas Neubauer.

Mas o grande acontecimento das 24h de Spa-Francorchamps de 2022 foi a participação feminina onde as seis mulheres terminaram a disputa e cinco delas ganharam: uma tripulação inteira num carro e outra, na Bronze Cup.

Vamos começar pela Bronze: a saudita Reema Juffali alcançou o triunfo na classe onde havia somente dois carros inscritos – e os dois resistiram! – dividindo o Mercedes-AMG #20 da SPS Automotive Performance com Tim Müller, George Kurtz e Valentin Pierburg, completando em 34º na geral.

E houve, claro, mais uma façanha das Iron Dames: a vitória na Gold Cup alcançada com o 18º lugar geral e uma grande performance de Michelle Gätting/Rahel Frey/Sarah Bovy/Doriane Pin. Numa corrida bem menos atribulada que os adversários, elas conseguiram terminar três voltas à frente do Audi 2º colocado da classe, guiado por Arnold e Maxime Robin, mais Ulysse de Pauw e Ryuchiro Tomita.

Não obstante, apesar de muitos problemas, a BMW #28 de Samantha Tan, Nick Wittmer, Harry Gottsacker e Maxime Oosten também recebeu a quadriculada final: com 26 voltas de atraso em relação aos vencedores, o quarteto chegou em 36º na geral e nono na Silver Cup.

Para fechar o post, a AF Corse levou a vitória da Pro-Am com Stefano Costantini/Louis Machiels/Alessio Rovera/Andrea Bertolini, figurando com a Ferrari #52 no Top 20 final da disputa, duas posições à frente do Porsche da EMA Motorsport com Felipe Nasr e seus parceiros Mathieu Jaminet e Matt Campbell.

Ao longo da disputa, foram 12 entradas do Safety Car e 15 períodos de FCY. Dos 66 carros que largaram, 43 foram classificados, mas 39 receberam a quadriculada. O último da listagem, o Porsche de Alessio Picariello/Niki Leutwiler/Nico Menzel/Stefan Aust, saiu da corrida pouco antes do fim da 18ª hora.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

Adicione um Comentário

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames