6h de Watkins Glen: Porsche perde vitória na vistoria e BMW alcança primeiro triunfo no IMSA

RIO DE JANEIRO – De nada valeu o esforço de Nick Tandy e Mathieu Jaminet na pista, para cruzar a linha de chegada na frente e triunfar na edição de 2023 das 6h de Watkins Glen, 5ª etapa do IMSA Weathertech SportsCar Championship e terceira do IMSA Michelin Endurance Cup. A dupla da equipe Porsche Penske Motorsport foi excluída do resultado final por infração técnica constatada na vistoria pós-prova.

Segundo a análise, o “skid block”, uma peça usada no assoalho para medição da altura em relação ao solo, apresentava um desgaste que fazia o artefato estar fora da regra. Intencional, ou não, o fato é que o carro #6 de primeiro foi para nono e último na classe GTP. E assim, a BMW herdou a primeira vitória – que viria com méritos se não fosse o ataque de Jaminet a Connor de Philippi faltando 5min para o final de uma corrida atribulada e cheia de percalços para muitos pilotos.

Agora, todos os construtores do regulamento LMDh têm vitórias: Cadillac com duas, Porsche, Acura e BMW, uma cada. A Penske seria a única equipe com dois triunfos, mas por conta da eliminação do resultado dos então líderes do campeonato, os bávaros entram no ranking com sua M Hybrid V8. E mesmo que por herança, representa a primeira vitória da BMW no IMSA após 23 anos – a última fora numa etapa do American Le Mans Series disputada em… Silverstone.

Sendo assim, Pipo Derani/Alexander Sims/Jack Aitken herdam o 2º posto e o brasileiro mais seu parceiro fixo da temporada – Sims – voltam à liderança do campeonato com 1602 pontos somados, contra 1538 de Nick Yelloly e Connor de Philippi.

Voltando ao assunto desclassificação, fica difícil entender certos critérios da IMSA. A suposta ‘trapaça’ do Porsche ganhador em Glen é muito menos vergonhosa que a da Meyer-Shank Racing em Daytona e, por mais que medidas fossem tomadas, se existe uma regra e ela não é cumprida, faça-se o que deve ser feito. Daí alegarão que se passou de um certo prazo. Isso tem nome: incoerência. Se quiserem outro: passada de pano.

No fundo, ninguém quis ‘manchar’ a vitória da MSR, mas a trapaça descoberta só suscitou dúvidas e agora, cinco meses após aquilo, voltam à tona as críticas. E agora é oficial: a Penske vai protestar a decisão dos comissários técnicos.

Vida que segue e a dupla Colin Braun/Tom Blomqvist herdou o pódio com a eliminação do Porsche vencedor, seguidos por Tijmen Van der Helm/Mike Rockenfeller no Porsche não-oficial da JDC-Miller e Sébastien Bourdais/Renger Van der Zande, numa corrida repleta de problemas para a dupla do #01, incluindo dois acidentes – um causado por Bourdais, outro onde o Cadillac foi levado de roldão por uma enorme navalhada de um piloto da subclasse LMP3.

A Wayne Taylor Racing também teve mais uma corrida para ser esquecida e jogada no lixo, além do Porsche #7 de Felipe Nasr e Matt Campbell, alijado mais uma vez por falhas terminais do sistema híbrido do carro e a BMW #24 de Augusto Farfus e Phillipp Eng, que bateu logo na primeira curva, comprometendo a suspensão do carro.

Na subclasse LMP2, a falta de sorte também acompanhou Pietro Fittipaldi, que nem chegou a andar no domingo: o carro #51 da Rick Ware Racing teve uma falha terminal de ponta de eixo, a roda dianteira esquerda ‘pediu demissão’ e foi o fim da linha para o carro que tinha Eric Lux a bordo e teria também Devlin DeFrancesco inscrito.

A vitória na divisão foi da Crowdstrike Racing by APR, com George Kurtz/Nolan Siegel/Ben Hanley, com a ERA Motorsport em segundo graças a Christian Rasmussen/Dwight Merriman/Ryan Dalziel e também a PR1/Mathiasen de Ben Keating/Alex Quinn/Paul-Loup Chatin.

Kurtz e Hanley saem de Glen inclusive líderes do campeonato: os dois ultrapassaram Steven Thomas e Mikkel Jensen por três pontos – 973 a 970. Keating e Chatin vêm em terceiro com 967. Luta acirrada!

Entre os LMP3, como sempre sem erros, a Riley venceu de novo em Glen na terceira e última aparição dos carros dessa categoria no evento. Felipe Fraga/Gar Robinson/Josh Burdon derrotaram com méritos os outros dois trios que também não se envolveram em problemas – o #30 da JR III com Dakota Dickerson/Garett Grist/Dylan Murry e o #17 da AWA com Anthony Mantella/Nico Varrone/Wayne Boyd.

Após lideranças ocasionais de alguns rivais durante a disputa, Fraga e parceiros saem dessa etapa ainda líderes – e mais do que nunca, pois somam dois triunfos nas duas corridas onde a LMP3 contou pontos. São 730 – 124 a mais que Mantella/Varrone/Boyd.

Na GTD Pro, a vitória escapou por pouco das mãos de Daniel Serra e Davide Rigon, que fizeram uma grande corrida de recuperação no meio do ‘tiroteio’, dando à 296 GT3 da Ferrari o melhor resultado do novo carro da marca italiana na IMSA. A última amarela a minutos do fim, cortesia de uma panca seguida de capotagem da BMW de Bill Auberlen poderá ter cobrado essa conta.

O triunfo, com muito mérito, foi do Lexus da Vasser Sullivan guiado por Jack Hawksworth e Ben Barnicoat, que já estavam na liderança do campeonato e por lá continuam, agora com 1795 pontos contra 1682 de Dani Juncadella e Jules Gounon. Antonio Garcia e Jordan Taylor, que vêm em 3º na tabela, também terminaram em terceiro na disputa.

Aliás, os Lexus RC-F da Vasser Sullivan ‘coparam’ as vitórias nas divisões de Grã-Turismo, pois o #12 de Frankie Montecalvo/Aaron Telitz/Parker Thompson levou a melhor na GTD – sendo inclusive o melhor de todos os carros derivados de modelos de série no resultado final.

O 2º posto foi da Paul Miller Racing e a BMW conduzida por Bryan Sellers/Madison Snow/Corey Lewis, seguidos do Porsche de Ryan Hardwick/Zach Robichon/Jan Heylen.

A participação feminina nas 6h de Watkins Glen foi muito positiva: além do 6º posto na LMP2 para o carro de Lilou Wadoux com Luis Pérez-Companc e Nicklas Nielsen, ainda tivemos Katherine Legge e Sheena Monk em 5º na GTD com o Acura da Gradient Racing partilhado com Marc Miller; Ashton Harrison-Henry em oitavo na mesma divisão com o carro da Racers Edge Motorsports junto a Danny Formal e Kyle Marcelli e as Iron Dames, que lideraram várias vezes, ficaram em posição de pódio por um bom tempo e no fim, terminaram em 16º na divisão com uma volta a menos no Lamborghini guiado por Doriane Pin/Michelle Gätting/Rahel Frey.

Com os resultados em Glen, Sellers e Snow seguem no comando do campeonato na GTD com 1592 pontos contra 1488 de Montecalvo e Telitz e 1447 de Roman De Angelis e Marco Sorensen, da The Heart of Racing.

No próximo dia 9, no GP de Mosport, no Canadá, a corrida terá a presença de quatro classes – GTP, LMP3, GTD Pro e GTD. Será a sexta etapa do Weathertech SportsCar Championship e a terceira de um total de sete da série paralela IMSA Weathertech Sprint Cup, somente para a divisão GTD.

Comentários