MENU

17 de dezembro de 2018 - 16:20Automobilismo Nacional, Endurance

MC Tubarão vence mais uma e alcança recorde nas 12h de Tarumã

DSC_0986

A festa da equipe vencedora das 12h de Tarumã (Foto: Blog Pitlane/Correio do Povo/ Reprodução)

RIO DE JANEIRO - A 38ª edição das 12h de Tarumã, disputadas desde a meia-noite do último sábado até o meio-dia de domingo num dos autódromos mais tradicionais do país, teve mais uma vitória da equipe MC Tubarão, de Campo Bom. O protótipo MC Tubarão IX #5 conduzido durante a disputa por Tiel Andrade/Júlio Martini/Matheus Stumpf alcançou para o time a quinta vitória na história do evento – sendo que uma delas aconteceu em Guaporé.

Mas o triunfo da equipe também foi igualmente celebrado por marcar a quebra do recorde de voltas percorridas pelo traçado de 3,039 km de extensão – um dos mais velozes do país. O total de giros foi de 591 – 1.796,049 km completados. A disputa pelo troféu “Fita Azul” da prova gaúcha ficou entre a equipe vencedora, o protótipo MRX #75 de Henrique Assunção/Cláudio Ricci/Juliano Moro e o novo AJR montado pela equipe de Luciano Mottin e que competiu com o motor Audi Turbo 20V do protótipo MCR que foi aposentado pouco antes da disputa das 12h de Tarumã.

Para um bólido que ficou pronto às vésperas da disputa e nem tomada de tempo fez, o desempenho do #46 guiado por João Sant’Anna/Christian Castro/Gustavo Martins/Pedro Castro/Luciano Mottin foi muito bom. Uma quebra de câmbio tirou o bólido de combate após a oitava hora, com 327 voltas percorridas. O Tubarão com motor 16V aspirado, que venceu ano passado com Sérgio Ribas/Mauro Kern/Paulo Sousa também acabou fora da corrida – que contou (infelizmente) com apenas 18 carros participantes.

Como surpresa positiva, o 3º lugar de mais um protótipo da equipe MC Tubarão – o bom e velho MC Tubarão V da classe P3, guiado pelo jovem gaúcho Lucas Kohl, que guia nos EUA e é filho de Hardy Kohl, que também estava na tripulação junto a Marcelo Vianna. A Mottin Racing não saiu de mãos abanando: o MCR Grand-Am Lamborghini V10 vencedor da prova em 2016 (ano em que estive lá in loco) chegou em quarto com Fernando Poeta/Andersom Toso/André Senger/Beto Giacomello. A Motorcar completou o top 5 final com os irmãos Gustavo e Rafael Simon, campeões brasileiros de Endurance na classe P3, junto a Gustavo Frey.

ADENDO: o Luc Monteiro publicou mais tarde, um pouco depois deste post, que as 12h de Tarumã terão drásticas mudanças de regulamento. A competição passa a ser exclusiva dos carros de Turismo com mecânica 1,4 litro a partir da edição de 2019. Mas parece que o Automóvel Clube do Rio Grande do Sul negou tudo. Esperemos, pois.

Nos vídeos abaixo, você pode acompanhar a disputa deste ano. Cortesia da página Curva do S, no YouTube.

1 comentário

  1. Daniel Mankowski de Oliveira disse:

    Grande Rodrigo Mattar, boa noite.
    Realmente foi uma lástima um grid tão pequeno, porém a corrida foi de altíssimo nível, enquanto o AJR esteve na disputa se esperava um grande duelo, mas não deu, vale registrar o fair play do Tiel de Andrade que após vencer lamentou que o AJR tenha quebrado, acabando com uma disputa que estava bonita. Ah, teve o caso do cachorro, que apareceu do nada na reta bem na hora da bandeira verde, mas o “Cusco” escapou numa boa, filmei a cena, uma comédia, coisas que só Tarumã proporciona. Muito obrigado por divulgar o automobilismo gaúcho, em particular essa corrida tão especial. Aguardamos sua visita por aqui.
    Forte abraço, boas festas e um 2019 A MIL POR HORA!!!