MENU

9 de setembro de 2013 - 19:15Outros

Tempos de autocensura?

RIO DE JANEIRO - Não está fácil para ninguém. O assunto dominante da segunda-feira, pelo menos nas redes sociais (Twitter e Facebook, claro), foi a demissão do Flavio Gomes no canal de televisão onde ele trabalhava.

Onde eu soube, até porque depois do treino classificatório da Fórmula 1 eu deixei para lá o Twitter, uma vez que fui para a Bienal do Livro, no Riocentro, o FG fez comentários sobre o jogo Grêmio 3 x 2 Portuguesa, que não foram bem aceitos nas hostes sulistas.

Ora… se fosse assim, todos os clubes de futebol teriam que demitir jornalistas todos os dias. Já houve brincadeiras um tanto quanto ofensivas a diversas agremiações, proferidas por gente de renome, que bota a cara no vídeo há anos e diz que tem credibilidade. E essas pessoas continuam aí, intocáveis.

Não vou fazer nenhum julgamento acerca das palavras do Flavio nas redes sociais. O que ele falou é problema dele, não meu. Assim como também foi problema meu o famoso tweet onde informei a transmissão do GP de Austin ao vivo, ano passado, por uma outra emissora de televisão – e que causou minha demissão.

Sim, arrependi-me do que fiz. Não, não quero mais falar nisso. Até porque estou muito feliz trabalhando onde estou, desde maio.

O FG também se arrepende do que falou, porque o ocorrido lhe trouxe consequências graves. Palavras do próprio. Mas essa história toda dá muito o que pensar.

Será que vai ser assim no futuro? Ninguém vai poder mais brincar sobre futebol, sob pena de retaliações? A bem da verdade, estão fazendo de tudo para o outrora violento esporte bretão tornar-se o mais “coxinha” possível. Basta ver no que se transformaram os estádios brasileiros selecionados para sediar a Copa das Confederações e a Copa do Mundo.

A bem da verdade, parece que já é proibido dar opiniões. Muitos se ofendem e o radicalismo é cada vez maior neste mundo em que vivemos. Infelizmente, acho que o que vai dar as cartas, pior do que a censura, é a autocensura. Nós mesmos seremos obrigados a deixar de ser autênticos e escrever o que os outros querem. Não o que eu ou você, leitor, que também tem conta no microblog, quer de si mesmo.

E, sim, digam o que quiserem. Mas estou hipotecando minha total solidariedade ao Flavio Gomes. Em 16 de novembro de 2012, ele foi o primeiro a me estender a mão. Muita gente que eu considerava não fez um décimo do que esse cara fez por mim. Isso que ele fez se chama esprit de corps, algo em falta no jornalismo. E isso, eu não vou esquecer.

Definitivamente, não há limites para a intolerância.

65 comentários

  1. Thiago disse:

    Permita-me discordar, mas não pela questão de censura.

    Bem diferente seu caso (fui ao seu favor) do caso dele. Ele passou dos limites, até do normal dele, que sempre foi manezão com quem discorda dele. Se aquilo foi brincadeira, foi bem porca.

    Está colhendo o que plantou. Bem feito!

    • Jaime Boueri disse:

      Já eu vejo a situação de forma diferente. O Gomes tem um perfil PESSOAL (ou seja, não corporativo) em uma rede social pública. Ninguém é obrigado a segui-lo, e quem o faz, geralmente conhece o seu jeito de ser.

      Flávio postou como torcedor da Portuguesa, pessoa física. Uma meia dúzia não gostou, provocou… Levaram meia dúzia de palavrões como resposta e ainda se sentiram “ofendidos”… Ah, vá!

      • Gui Teixeira disse:

        Faço minhas as suas palavras, Jayme! Concordo inteiramente contigo!

      • fabio de souza disse:

        Concordo com o Thiago.O Twiter é pessoal mas o nome dele é de alguem estabelecido como um formador de opinião e, e sendo assim , influencia para o bem e para o mal.Numa época em que as pessoas são jogadas umas contras as outras por divisões sociais, sexuais, e cor de pele ¨por uma boa causa¨, não foram as opiniões dele que causaram o problema, mas sim um exercicio de bairrrismo(xenofobia?) contra um Estado e um povo.A arrogancia travestida de irreverencia é uma marca bem comum no meio.Na imprensa está cheio de donos da verdade, o que não é caso do Mattar.

      • José Antonio disse:

        Também concordo com você, Jaime. Na verdade, a ESPN transformou-se numa REPRESSORA. Adeus ESPN, estou cancelando tais canais.

      • Ricardo Conde disse:

        Tb concordo . Só acompanha quem vc conhece , ora bolas . E levar a sério o Twiter é ser muito infantil .

  2. Fabio disse:

    Seguia o Flavio no twitter e outras redes, mas ha um tempo percebi uma agressividade que destoava do que eu buscava como comentarista/jornalista que me passaria informacoes. Deixei de ler e ver o que ele produzia. Sabado ele foi inconsequente e leviano. Uma pena. Mas ele voltara, e melhor. Se aprender é claro.

    • Allan disse:

      Acredito que sua família (do FG) e amigos devam tomar providências. O cara há algum tempo vem perdendo a linha por qualquer razão. Antes seu humor era ácido, mas as ofensas se tornaram ordinárias. Para quem se importa, precisa-se saber a razão de tanta agressividade. Pra mim foi bem feito. Não tenham em conta que essa foi a única razão da demissão…

  3. Luiz Eduardo Calmon disse:

    Cara, vou te dar um exemplo. Uma vez questionei o Flavio Gomes no twitter sobre o que ele achava da volta dos turbos na F1. Ele me chamou de ‘protozoário digital’, olhou meus últimos twits e fez juízos de valor sobre quem eu sou e o que eu gosto PARA TODA A TIMELINE DELE, num ataque totalmente gratuito. Essa mesma descrição aí vale para um monte de gente.

    No mesmo cenário, se eu te perguntar a mesma coisa, seja honesto, como você reage? Já vi que às vezes você não responde. Ok, ótimo, você deve ter dúzias de coisas para fazer como qualquer um e, depois, não é sua obrigação. Você é um jornalista especializado, não um oráculo, mas justamente por ser um jornalista especializado você deve, sim, respeito e educação para quem é interessado no assunto que você cobre ou no que diz. Ou vai dizer que você discorda com isso?

    E eu não sou exceção. Navegue pelo acervo da figura e você vai ver a coleção de estupidez, falta de educação e civilidade com que ele interage com qualquer um. A demissão dele foi só a cereja do bolo de uma reputação de animal descontrolado, de vaca louca enraivecida e ignorante, que ele construiu.

    Eu não consigo entender seu texto, onde você se coloca na mesma situação que ele. Você não agrediu ninguém, nunca foi estúpido e escroto com o público e, no seu caso, a única coisa questionável é que você deve ter quebrado algum protocolo babaca da globo. Só isso. Quem nunca pisou na bola com empresa, patrão e o escambau? Uns são demitidos, outros se fodem de outros jeitos. É a vida, mas em nenhuma hipótese é igual a sair por aí esculachando todo mundo e achando bonitinho, engraçadinho, do tipo “oh, como sou espirituoso, sagaz e brincalhão”. Na boa, Rodrigo, entendo que você seja amigo do cara, e amizade é um troço sério. Até lembro que ele te defendeu no lance da demissão da Globo – e eu concordei 100% com o texto do Flávio – mas não se coloque no mesmo nível que ele. Ele é um idiota.

    “Ah, mas o Twitter é dele, não da ESPN”. E… daí? Quando uma ameba paulista saiu dizendo que deviam proibir os nordestinos de vir para o sul e ganhou um processo, todo mundo aplaudiu. Ele agrediu muita gente, não só os gremistas e não apenas a troco de futebol, em anos e anos e agora, que colhe o que plantou, vamos nos questionar como se a liberdade de expressão estivesse sido, em qualquer medida, ameaçada?

    “Ele disse que se arrependeu”. Não, ele não se arrependeu. Ele disse que foi ruim perder o emprego, mas defendeu o oceano de escrotidão que é o comportamento dele respondendo a comentários no blog ou no twitter.

    • rmb37 disse:

      Calmon, eu não estou me colocando no nível de ninguém. Cada um é cada um. Apenas acho que o exemplo dado com a demissão do FG mostra o quanto estamos nos tornando intolerantes com qualquer palavra escrita nas redes sociais. Cada coisa que postamos, para alguns, tem o mesmo efeito de uma bomba H, de um tiro à queima-roupa. Não deveria ser assim. Mas infelizmente tem sido.

      • Wallace Michel disse:

        Estão mitificando demais certas irrelevâncias. E é um problema que anda se acentuando demais na sociedade. Bobagens que um deputado tosco diz pela Internet, por exemplo, tem mais repercussão do que um caso comprovado de corrupção que saia na imprensa tradicional. É algo verdadeiramente preocupante.

      • Não acho que tenha sido “qualquer palavra escrita nas redes sociais”. Ele ofendeu uma legião de pessoas que não fez absolutamente nada contra ele! foi desnecessário.
        Eu sou um gremista que acompanha o trabalho dele ( assim como as corridas com o 69, poderia dizer até que foi através dele que conheci a maravilhosa formula classic ) e não mandei um tweet sequer debochando da derrota (até porque não assisto futebol e nem dou muita bola) e mesmo assim ele ofendeu, não somente a mim, como a toda minha família, já que somos todos gremistas (isso sem contar todo o resto da torcida).
        Ele foi desnecessária e excessivamente ofensivo, mesmo para os comentários que ele já costumava fazer.

        Não vamos esquecer que a empresa o contrata não só o conhecimento mas também a imagem dele (imagem a qual também é composta pelo twitter pessoal dele). A emissora não manteria no seu quadro de funcionários uma pessoa que tem uma imagem ruim com o publico.

        Fiquei realmente triste com a demissão dele mas não posso dizer que não acho que seja justa! Gostaria muito que ele não tivesse feito os comentários que fez.

      • Antonio disse:

        Pois é,……..também não concordo com a demissão, pois não foi sumária.
        Achei extremada a medida e totalmente infundada.
        Pelo que li, o Flavio Gomes estava no twitter como torcedor de seu time, isto é, não exercendo sua função de jornalista.
        Imagina se a coca-cola demitir seus funcionários que bebem pepsi fora do expediente de trabalho?
        As pessoas falam constantemente de “deixar um mundo melhor para os filhos”,……mas poucas se preocupam em “deixar filhos melhores para o mundo”.
        E não é com radicalismo, como o desse fato ocorrido.
        Entendo que, se exigida fosse “uma retratação” pelo empregador,…………esta o deveria ser feita através de notificação de advertência ao empregado, como manda a CLT, em rede nacional,………só, e nada mais.
        Na “ditadura legislada” que vivemos, a única vitória nesse episódio é da “censura”, cujo fantasma, se travestiu em tempos atuais de “intolerância”.

    • Allan disse:

      É o que eu disse. O cara tá pirado…

  4. Gustavo disse:

    Rodrigo,

    Sou um grande fã seu e um grande fã do Flavio Também. Mas o Koff não pediu que o Flavio Gomes fosse demitido, apenas questionou o jornalista sobre suas atitudes e pediu respeito à instituição (Que realmente faltou). Acho que a própria ESPN viu que ele passou dos limites.

    P.S.1 Sou gremista e continuarei sendo um grande fã do Flavio Gomes e o acompanhando, assim como continuei sendo seu fã, mesmo na época em que só podia te acompanhar no blog…

    P.S. 2. No seu caso foi bem diferente e não concordarei jamais com uma atitude como a sua demissão.

  5. Alvaro Ferreira disse:

    PQP, não sabia!
    Você e o Flávio Gomes são meus jornalistas favoritos de automobilismo. E olha que eu leio sobre o assunto há uns 50 anos… Vocês são bons prá caramba, isso é o que vale, e talvez por isso se identifiquem.
    Se essas emissoras não podem lidar com as verdades que vocês falaram, é porque impera a burrice e a obtusidade em quem decide, nesses tempos de falta de personalidade.
    Como sobreviveriam hoje em dia jornalistas como João Saldanha e Nelson Rodrigues?
    Mas, repito, o talento prevalece, caminhos novos se abrem prá quem merece.

  6. Marco Peres disse:

    Rodrigo, me desculpe mas antes do Flávio Gomes ofender uma torcida no caso do Grêmio ele ofendeu todo um povo nascido em um estado brasileiro e as suas tradições, então na minha opinião foi merecido.
    Palavras do próprio:
    “Flavio Gomes @flaviogomes69

    Juiz vagabundo, timinho escroto desde 1903. Sao muito machos no Sul. Mas adoram dar a bunda.
    9:45 PM – 7 set 2013

    Tá triste? Enfia a bomba do chimarrão no rabo q melhora. RT @FeAlves13_: @flaviogomes69 você atrasa o jornalismo. Triste”

    • rmb37 disse:

      Pedro Ernesto Denardin fez o mesmo no Inter x São Paulo da Libertadores em que o time gaúcho foi campeão, mas não com palavras de baixo calão. E ninguém falou nada. Pelo contrário, houve quem o aplaudisse.

      • Marco Peres disse:

        Amigo, continuo não concordando, ele usou um estereótipo pra ofender uma torcida e na minha opinião ofendeu muito mais que isso, não sou gaúcho, não torço pro Grêmio nem ligo pra futebol, só acho que ele fez comentários de torcedor, e as pessoas enxergam o jornalista antes do torcedor então acho que foi meio pesado da parte dele, já com relação à ESPN não querer alguém como ele associado à imagem da empresa essa opção é dela, não d concordo com muitas coisas nesses tempos de politicamente correto, mas atualmente temos que medir muito as palavras, infelizmente.

  7. Bruno disse:

    Rodrigo,
    sou fã do Flávio Gomes, o sigo no Twitter, leio seu blog, comprei seu livro. Estou acostumado com as reações dele no microblog e sei que muitas vezes ele está sendo irônico e ninguém entende.

    Mas ele é um jornalista esportivo que comenta futebol para um canal de esportes. Um ótimo canal de esportes, por sinal. Um canal que respeita seus telespectadores. Sim, o Twitter é dele e lá ele pode falar o que quiser. Mas enquanto empregado do canal, é razoável pensar que suas opiniões refletem a linha editorial de lá. E não acho que esteja na linha editorial da ESPN Brasil mandar torcedores “enfiarem um canudo de chimarrão no cú”, apenas porque o Grêmio ganhou da Portuguesa com um gol esquisito.

    Entendo que há intolerância e quem não quiser ser ofendido tem a opção de não segui-lo mais no Twitter. Assim como a ESPN tem a opção de não querer em seus quadros alguém que ofende seus leitores.

    Abraços,
    Bruno.

    • rmb37 disse:

      Pois é, Bruno. Sua análise e seu comentário foram coerentes. Obrigado.

    • Diogo disse:

      Concordo contigo, Bruno. O Flavio desvincula sua conta do Twitter do trabalho como jornalista, mas aqueles que o seguem, o fazem devido ao fato de ele ser jornalista e não torcedor da Lusa. Deveria haver um maior cuidado com aquilo que ele diz, seja por causa da figura pública dele, seja pelo simples respeito pelas outras pessoas.

    • Eu acho surpreendente alguém como o FG, que é da área de comunicação, cair na armadilha do “twitter pessoal”. Já houve muitos programas e palestras analisando isso: seu comportamento nas redes sociais é “seu comportamento”, aquilo não é um personagem de ficção. Se o sujeito é mal-educado, grosseiro, preconceituso na rede social, aquilo é a pessoa dele, não existe isso. As redes são públicas e todo mundo que é identificado com nome e sobrenome é responsável por seus atos e palavras. As empresas olham seu facebook e twitter antes de te contratar e antes de te demitir, isso é óbvio e inevitável. Não existe essa dissociação que alguns estão tentando forçar.
      Só para concluir, acho que o episódio do Rodrigo Mattar com seu antigo empregador tem pouco a ver com o do FG. Falar sobre Austin me pareceu uma desculpa esfarrapada. Já os atos de FG me pareceram claramente uma justa causa para ser demitido.
      Entendo o Rodrigo retribuir o respeito que lhe foi demonstrado ano passado.

  8. Victor disse:

    Foi um show de horrores o que aconteceu naquele twitter aquela noite, e não é a primeira vez que o jornalista em questão se excede em suas palavras e atitudes na internet. Foi longe de ser uma censura.

  9. Carlos disse:

    Meu caro Rodrigo. Acredito que nem você. muito menos o Flávio necessitem de um advogado, mas vamos lá. Pessoas inteligentes saberão separar o Flávio Gomes torcedor e o Flávio Gomes jornalista da espn. A atitude do canal, a meu ver, foi de uma covardia ímpar. Covardia com o profissional Flávio Gomes, que, em sua conta pessoal em uma rede social “botou a boca no trombone”, e não em uma transmissão do referido canal, sequer propiciou ao mesmo uma chance de se explicar (o que no meu entender é desnecessário) ou de se defender. Covardia ao dispensar um profissional que durante anos se dedicou ao seu ofício com brilhantismo no referido canal. Covardia por privar os telespectadores do canal do convívio com o jornalista. Covardia por ceder à pressão (se é que houve) de uma fração dos torcedores ou a possíveis retaliações dos mesmos. Infelizmente a intolerância venceu, todos os demais são perdedores. Os apaixonados por futebol sempre se depararam com situações como essas em suas vidas. O lance duvidoso que decidiu uma partida. Sempre houve provocações e xingamentos. Mas como afirmei no início, pessoas inteligentes entenderão que é apenas um jogo de futebol, e nada mais. MInha solidariedade a você e ao Flávio. A lucidez de seus comentários farão com que continue a acompanhar um e outro.

  10. Antonio Seabra disse:

    Rodrigo,

    Ao ler a noticia aqui, me surpreendi.
    Fico muito triste, embora não concorde com certas reações agressivas dele, nos blogs da vida.
    Conheço o Flavio pessoalmente (talvez, não, provavelmente ele não me conheça…), e ele, ao vivo, nem de longe reage da forma como faz nas redes sociais. Ao contrario, é um cara afavel e simpatico, diria até um pouco tímido. Na minha modesta opinião, ele criou um tipo nos blogs, assumiu uma personagem meio rabugenta, ao qual ele procura se manter fiel. As vezes, exagera.

    Gosto muito dos textos dele, gosto da opinião dele como jornalista, e do olhar dele enquanto cronista. Cara inteligente, focado, talentoso, brilhante. Dedicado. Quem já o viu de laptop na mão, trabalhando entre um treino e outro da Classic, sabe disso. E é apaixonado por automoveis. Essas características já bastariam para que eu o admirasse, como de fato admiro.

    Mas, através de seus textos, suas cronicas, seus livros, suas atitudes de apoio aos colegas (o esprit de corps que você mencionou), eu enxergo um grande coração, uma pessoa boa.

    Pode ter errado ? Sim, talvez errou, pesou a mão, forçou a barra. Mas isso seria motivo pra demissão, assim, sumaria ??? Uma boa conversa de pé de orelha, um pedido formal e publico de desculpas, e tava resolvido. A Emissora não perdia um talento, o FG não perdia o emprego, e o publico não perdia o repórter. Ninguem perdia nada, todo mundo ganhava.

    A menos que tenha sido reincidencia, cada vez menos eu entendo o estilo de management atual.
    Não entendo como se tira do ar um Reginaldo, um FG, um Rodrigo, por motivos contornáveis, fúteis, ou até sem motivo. Que merda ! O nosso automobilismo combalido não pode abrir mão de talentos (err…não é talento como piloto, não ! rs,rs,s)

    Assim como no teu caso, espero ver o FG de volta no ar o mais breve possível. Ele merece e o publico dele também.

    Antonio

    • Luiz Cláudio disse:

      Concordo totalmente contigo Antônio.

    • Concordo em partes no seu comentário, porém, não acho que o motivo seja tão fútil!
      Como já comentei, ele ofendeu todo um estado por uma derrota no futebol!
      Ofendeu gremistas, colorados, xavantes, e inclusive os que não da a minima para o futebol e acompanham ele pelo automobilismo…
      Se as ofensas fossem restritas a diretoria do time, ao juiz e etc não acho que fosse o caso para demissão, porém as ofensas ao povo gaúcho foram, além de fortes, desnecessárias..

      []‘s

    • Carlos Machado Neto disse:

      Seabra. Um serial killer também não demonstra ser menos do que amável e uma pessoa extremamente calma no dia a dia. Sendo assim não dá para vc garantir que ele não surtaria ou reagiria às provocações de torcedores de times contrários achando que o conhecia como pessoa, Isso não é justificativa. A ESPN tem o dever de reagir à atitudes de seus funcionários que possam ferir a ética e os bons modos e costumes. Não tem nada com pressões, exigências ou conspirações contra o automobilismo. Como foi colocado, empresas hoje vasculham seu twitter, seu Face, etc.. Antes de contratá-lo. Um direito dela, pois hoje tudo é aberto ao publico. Estamos cada vez mais sendo vistos, vigiados e julgados. Isso é apenas um caso que se tornou publico, dentre muitos que nem sonhamos, mas já existem. O Flavio falhou, tanto que até reconheceu ter pisado na bola, mas só quando ardeu no bolso, senão continuaria a agir da mesma forma na próxima oportunidade. Espero que ele tenha realmente aprendido e que saiba que humildade só faz crescer lá na frente. Boa sorte Dedê.

  11. Franco disse:

    O mundo está um saco! O politicamente correto, a coxinhice está enchendo os patovás! Acho que o Flávio Gomes às vezes age muito mal com o público, com grosseria. Grosseria desnecessária ao meu ver. Não quer dizer que ele é um escroto. Eu mesmo fui bloqueado do seu twitter e eu não sei o porquê. Mas fazer o quê? É um direito dele. Do mesmo jeito que tenho direito de bloquear quem acho inconveniente. Só penso que o mundo está chato pacas.

  12. Paulo Penna disse:

    Eu leio o Blog dele, mas o cara esta descontrolado, e parece que acha cult ser assim.
    Não leio o twitter dele então só ví o que postaram aqui, e digo, é assustador.
    As pessoas que são “publicas”, como ele, ou usam o nome real na internet, como eu, tem de ter muita responsabilidade e equilíbrio no que escreve.

  13. Dionisio disse:

    Oi Rodrigo.
    Não tenho TV a cabo em casa, logo,conhecia o FG só pelo blog e pelo Twiter mesmo. Tb fiquei chateado, acho uma injustiça, e tenho a seguinte visão do ocorrido
    Acho que a demissão dele já tava marcada e a polemica de sábado foi o passaporte.
    Nos ultimos tempos era meio nítido a falta de sintonia entre a linha “politico – editorial” da ESPN e a linha que ele segue ( que muito me identifico), mas como não via o canal, pode ser apenas uma idéia idiota a minha.
    Penso que ele ainda vai sofrer algum revês da msn, que hospeda o portal dele, vamos ver os próximos capítulos
    Abraços
    Dionisio

  14. Eu tenho as minhas discordâncias em relação ao FG, pelo estilo dele. Respeito muito ele enquanto jornalista, mas acho que muitas vezes ele proclama alguns absurdos. Não achei a coisa mais absurda do mundo o que ele disse, mas acabou se tornando um acidente. Lamento por ele, mas acho que a decisão da ESPN foi acertada.

    E comparando a sua situação, Rodrigo, digo que a sua demissão foi por motivo bem diferente, aquilo sim foi um absurdo. A do FG eu acho que ele pagou o preço. Uma pena para ele, mas paciência.

  15. Caros,

    Aprecio o Sr. Flavio Gomes desde os tempos da Jovempan.
    Gostava do Limite e do Indiana Gomes (tb do Grid Motor).
    Odeio a Globo e suas babaquices e torço para que alguma TV possa enfim a transmitir a F1 e eu me livrar de vez da Venus Platinada (volta Speed Chanel).
    Grande Rodrigo, os Grandes jornalistas são sempre incompreendidos, vide, alem de vcs dois, o caso do Juca Kifouri (sei lá se o nome dele está certo, mas eu tomei muitos chás de cadeiras, esperando a queda do Sr. Ricardo Teixeira).
    O Flávio é f… e me bloqueou devido a divergências políticas.
    Ele é assim mesmo, mas outros tantos são também jornalistas torcedores, e o pior deles continua aí: um certo cidadão de Muzambinho.
    Enfim é de se lamentar a falta de liberdade de expressão em nosso Brasil, mas, ao contrário do que querem, os grandes serão ainda maiores e continuaram a expressar suas opiniões, sem medo e ressalva.

    Salve a liberdade de expressão !

  16. Eder disse:

    Que tanta frescura por causa de uma partida de futebol.Coisa mais normal usar a paixao que a razao numa hora dessas. As declaraçoes do FG sempre foram nesse tom, nao sei porque essa frescurada toda agora.

  17. fabio de souza disse:

    Grande Rodrigo! A questão não é autocensura.É bom censo.O cara deve se policiar porque as palavras dele tem peso.Por isso que ele é bem conceituado.Se o cara fala umas bobagens tem que se responsabilizar pela ofensa da população de um Estado.Tudo tem limite.Se é motivo de demissão…?talvez…!Uma coisa são piadas do Didi Mocó, ou crucificarem o Monteiro Lobato fora de contexto, e outra é numa época violenta como essa xingar uma população , uma torcida da forma que foi.É perigoso até pra ele.Á vezes a internet , por ser virtual, desliga o sentido de autopreservação.Aquele tipo de ofensa foi escrota e gratuita.Opinião embasada é uma coisa, mas xingamento é outra.

  18. Sergio Ribas Pacheco disse:

    Como gremista e gaúcho me senti profundamente ofendido pelo que o Flavio escreveu mas discordo totalmente com a reação da ESPN já que foi postado de forma pessoal . Nada justifica todas essas ofensas mas acredito que todos tem o direito de se expressar e arcar com as consequências , mas arcar de maneira pessoal , ele não usou a emissora pra derramar sua revolta e estranho muito a atitude da ESPN que com o Trajano sempre dando suas opiniões democráticas tenha tomado tal atitude .

  19. ivan disse:

    JÁ FOI TARDE.QUEM FALA O QUE QUER, OUVE O QUE NÃO QUER. CADA QUAL PLANTA AQUILO QUE COLHE. RESPEITO É BOM E CABE EM TODO LUGAR, E TODO MUNDO GOSTA.

  20. Gilmar disse:

    Todo mundo quer falar em politicamente correto, liberdade de expressão e o escambau. Agora liberdade de expressão não implica falar o que bem entende e não ter que arcar com as consequências. Você não pode entrar em um cinema lotado e gritar “Fogo!”.

    A ESPN é uma emissora de TV, lida com o público, forma opinião por meio de seus comentaristas e se acha que não é uma boa ter um funcionário que tem esse tipo de comportamento, está no direito dela. Demite, paga os direitos e pronto, fim de papo! Patrulha ideológica do politicamente correto é uma coisa bem diferente.

    Ele escreveu o que escreveu, ninguém impediu de publicar, postar ou algo que o valha (não uso o Twitter), ninguém o “censurou” nesse sentido, ele simplesmente teve que arcar com as consequência dos seus atos (coisa que hoje em dia ninguém gosta de fazer) de acordo com a política que a ESPN tem com os funcionários.

    Bem vindos a era da rede social, uma vez se falava isso em um programa de rádio que não pegava em outro estado e deu, ninguém se importava, hoje em dia você dá um peido no Brasil e lá Bósnia todo mundo já sabe.

    Só tenho uma palavra para definir esses imbróglios: Insanidade

    Pra esquecer esses assuntos desagradáveis, um pouco de Racing Art:

    http://abduzeedo.com/beautiful-grand-prix-posters

  21. cburatto disse:

    Hoje em dia todo mundo se ofende com tudo mesmo. E ninguém tem a possibilidade de errar nem o benefício da dúvida. Acho sensacional o cidadão fala a asneira que quiser, mas é “a opinião” dele. Caso ele discorde da opinião dos outros, é “crítica”. Porém se alguém discorda dele, “está julgando”. Juiz de Direito e árbitro de esporte têm as piores profissões do mundo, porque “julgam”. Parece que todo mundo é bundão hoje em dia. Ou seria coxinha, expressão do momento?

  22. Ricardo disse:

    Caro Rodrigo, tenho certeza que vc não vai lembrar, mas certa vez comentei que não “gostava do FG”. Vc comentou que não tinha nada contra, eu respeito. Na minha opinião, foi bem feito, ele é muito arrogante e convencido.

  23. Maurílio disse:

    Chamar o juiz de vagabundo, o time de escroto, dizer que os gaúchos adoram dar a bunda e mandar um internauta enfiar o dedo no cu e rodar é expressar opinião?

    Quebra o galho!!!! Você só pode estar de sacanagem.

    Não sou gaúcho, muito menos gremista. Mas não consigo parar de rir. Espero que aquele mané arrogante aprenda agora.

    Bem feito!

  24. Fernando Lima disse:

    O cara escreveu num momento passional de torcedor…não estava no ar pelo referido canal, mas enfim, arcou com as consequências, exageradas em minha opinião.

    Vale lembrar que ja vimos um certo apresentador dizer “é coisa de veado”, referindo-se a um grupo de bailarinos…isso no programa considerado “a maior revista eletrônica da tv brasileira” e nada aconteceu…. Um outro renomado jornalista/apresentador profere comentários contra a corrupção e contra a incompetência do estado nas áreas sociais, de repente , num intervalo comercial no ultimo dia do ano, resolve debochar de uma categoria profissional (no caso, os garis), mostrando todo seu desprezo e discriminação (isso é crime, não é?) por aqueles profissionais de menor escolaridade ou por todas as pessoas das classes mais humildes. E dane-se se veio a se desculpar no ar depois…sua opinião foi dada e não foi em tom irônico!!! Ele foi demitido?? Isso sim é uma vergonha!!!

    Raramente leio o blog do Flavio Gomes, não o sigo no Twitter, mas minha solidariedade a ele…uma porta se fechou…outras abrirão!!

  25. A.Clemente disse:

    Era só o que faltava! Falar de censura em um cara que adora a Coréia do Norte e se diz comunista ainda por cima, afinal eles são os bastiões da liberdade de expressão né…

    http://flaviogomes.warmup.com.br/?s=coreia+do+norte

  26. thiago disse:

    sabe… é meio engraçado esse lero lero todo sobre censura. o temor é pelo quê? de ser demitido também quando te der vontade de mandar alguém tomar no cú? é ingenuidade achar um jornalista esportivo pode falar o que quiser em relação aos esportes (por mais ínfima que seja a ligação dessa baixaria ao esporte) e manter o lado pessoal separado do profissional . pelo menos quando ele faz isso em uma ferramenta cujo propósito é ter o maior alcance possível.

    não é censurável que ele escreva que os gaúchos gostam de dar a bunda assim, tão gratuitamente? e mesmo que gostem, isso é algo que seja usado para desmerecer alguém? ele é jornalista e não quer que aquilo que escreve tenha repercussão? é claro que isso esbarra na espn e é claro que é razoável que a empresa não queira um moço confuso como esse em seus quadros. não levante a bandeira da luta contra a censura por um caso tão imbecil como esse. ele não teve zelo pela sua profissão e se azarou. ponto.

    geralmente quem fica reclamando do politicamente correto e das atitudes coxinhas é quem não tem muita vontade de se ver contrariado. ser zeloso em relação a profissão não é defeito. ser indelicado não é sinônimo de estilo.

    mas se eu tô errado, setembro é o mês das comemorações farroupilhas. ele pode vir e ao acampamento farroupilha e destilar toda a sua verve…

    • Wallace Michel disse:

      Mas o que tem de ser discutido nem é a conduta da jornalista mas isso aqui: uma moça, possivelmente brasileira que mora faz anos nos Estados Unidos, fez o seguinte comentário naquela parte onde se faz isso no link da notícia:

      “Apesar de não concordar com o que a jornalista disse, sempre leio noticias do Brasil sobre pessoas serem processadas por darem sua opinião. Estou fora do Brasil a 13 anos. Mas estudo Direito nos EUA, e gostaria de saber se no Brasil a liberdade de expressão não é protegida pela Constituição. Por mais ridículo que seja o que ela falou, a opinião dela não é protegida? Se alguém puder esclarecer”.

      Os 45 comentários seguintes às palavras da moça todos foram para ofende-la ou com mensagens xenofóbicas contra os Estados Unidos, sempre com palavrões e baixarias. Depois dessa, eu só posso concordar com seus pensamentos Rodrigo. Nossa nação não tem capacidade cívica de entender o conceito de liberdade de expressão, muito menos responder com educação um simples questionamento feito sobre qualquer assunto. Vindo desse povo inculto e individualista não é nenhuma surpresa.

      • thiago disse:

        pelo direito de ser vil e se esconder sob o juridiquês… é no mínimo insensato ter atitudes baixas e esperar que a resposta seja magnânima. sobretudo vinda “desse povo inculto e individualista” do qual, suponho, você faz parte.

      • Wallace Michel disse:

        Não mesmo, senão teria aceitado um proposta de passar no concurso do senado ano passado sem precisar nem fazer a prova para não ficar devendo algo para político corrupto.

      • Wallace Michel disse:

        Se o cara aceita esse tipo de corrupção e vem falar mal do resto é hipócrita. Pelo menos honestidade e falar o que eu penso que aprendi em casa. Prefiro ter menos dinheiro na vida do que ferrar nosso povo miserável fazendo parte dessa sujeira.

      • thiago disse:

        já virou uma salada… ser corrupto é deplorável, falar bobagem e se escudar com a honestidade também é. quando você falou em “povo inculto e individualista” ao se referir aos quarenta e poucos que comentaram o caso da jornalista, fez em uma simplificação, assim como o autor do blog ao comentar o caso do colega.

      • Wallace Michel disse:

        Velho eu não falei da jornalista! Meus Deus! Leia o que eu escrevi! Sério, você achou que eu tava defendendo a jornalista? Nem se deu o trabalho de ler o que eu escrevi e já veio fala esse monte de “verdade”. O Rodrigo está certo mesmo.

      • Wallace Michel disse:

        Graças a Deus faço parte da exceção. Caso a moça que mora nos EUA tivesse me feito o questionamento sobre como é nosso sistema jurídico teria respondido a pergunta feila em vez ficar ofendendo ela como você fez comigo aqui a troco de nada. Tipica atitude de individualista mal educado da Net essa que eu teria né. Beleza Thiago ou vai precisar de mais alguma coisa?

      • thiago disse:

        eu li, só não concordo com você ou com o rodrigo em suas colocações. não achei que tivesse concordado com a jornalista, mas o exemplo escolhido foi tão infeliz quanto a história em si. você fala em liberdade de expressão e desqualifica quem discorda de você… repito, muitos dos que adotam essa cantilena chorosa dos “malfadados tempos do politicamente correto” não estão muito habituados a ser questionados. mas deixa pra lá…

    • Wallace Michel disse:

      Mas quem veio a atacar a pessoa para defender a sua ideia foi você meu caro e ainda vem falar em simplificação e veio fazer juízo de valor de minha pessoa por não concordar com a minha opinião. Quem não está sendo coerente aqui é você. Insinuar que eu falo bobagem (discordar de você é ser bobo?), me chamou de individualista (conhece bem minha vida privada) e inculto (estudou comigo desde o primário e conhece bem minhas deficiências intelectuais). Só fez pre-conceito de minha pessoa e só.

      • thiago disse:

        puxa vida, eu só disse que você era brasileiro… eu também faço parte do povo inculto e individualista. só acho curioso tomar uma parte pelo todo, como você fez. em momento algum te insultei. agora, se é preciso lustrar o teu ego para te fazer uma crítica, que pena… o texto todo do mattar (que você concorda) faz alusão às atitudes “coxinha” e agora surge esse ofendimento todo. transcreva alguma com a qual eu te ofendi e eu te peço desculpa. se você leu além do que eu escrevi, cada um sabe dos escrúpulos que lhe apertam o sapato…

      • Wallace Michel disse:

        No fim das contas a sua “opinião” não passava de trolagem. Ingenuidade minha não ter notado isso antes.

  27. marcelo ivo disse:

    Não justifica a conduta da ESPN.
    Uma advertência, deixá-lo de molho por 1 ou 2 semanas, OK.
    É triste tanto pelo fato do FG ser uma baita profissional, também pelo fato da ESPN mostrar que é uma emissora qualquer, que apenas adota um discursinho demagogo.
    Tomara que a FOX vá logo atrás do FG. Não há a esperança de que em 2014 tenhamos a FOX Sports 2, com mais automobilismo? Seria uma ótima companhia para o Mattar!
    A propósito, a FOX poderia tentar os direitos de transmissão da Fórmula E.

  28. alfredo disse:

    O palhação do FG se esqueceu de quem pagou para ele vir correr com aquela bicheira do Lada aqui no sul, no velopark. Foi um empresário gaúcho e gremista. realmente este cara é um lixão. merece passar trabalho na vida.

  29. Concordo com o Flávio Gomes…dou total apoio à ele…ele usou a liberdade de expressão prevista no Art. 5º da CF/88…

  30. Gustavo Oliveira disse:

    Acompanha a anos o trabalho do Flavio Gomes, e costumava comentar bastante os assuntos no blog dele. Dei um diminuída nisso devido ao meu próprio desinteresse por F1 e também pelo nível dos comentaristas do blog ser inacreditavelmente baixo, pra não dizer indecente.

    Como não acompanho o Twitter, não tinha contato com essa face mais hardcore dele, e me assustei quando fiquei sabendo. Apesar de ser uma rede pública, um perfil pessoal, todos nós estamos sujeitos ao jugo público, não interesse se for jornalista, cozinheiro ou profissional de projetos (como eu).

    Já vi colegas brilhantes ganharem a rua por reclamarem da empresa, já vi gente perder promoções e oportunidades por conta de patadas. Não tem jeito, podemos discordar, mas essa divisão de vidas, profissional e pessoal, não existe mais, se é que um dia existiu.

    Admiro muito o FG, um cara brilhante no que faz e que me ensinou várias coisas. Aliás, um dia em que eu comprar um Audi, ou um DKW, a culpa vai ser dele. Mas, maneirar numa rede obtusa, como todas as redes sociais, é necessário, concordando-se ou não com isso.

    Não sabia do seu episodio, Rodrigo, shit happens, buddy.

  31. Ronaldo disse:

    Se fosse o primeiro emprego perdido por cagar na porta da firma dava pra defender, mas não é. Grande jornalista, mas acha que é muito maior do que realmente é. Esse ano ja brigou de graça com o Oricchio tb.

  32. Tiago Montoya disse:

    Olha gente, já tive uns desentedimentos com o FG no site e no blog dele, já o vi se desentender com diversas pessoas e me senti aliviado por isso não ser algo pessoal e direcionado, até me acostumei com o jeito dele, tanto que utilizava até de ironia nas postagens dele e ele nem esquentava.
    O que penso sobre seu caso Rodrigo, e o dele, é que o primeiro foi ingênuo, e o segundo, burrice, a diretoria que te demitiu foi oportunista, se aproveitou de uma “falha” sua pra apresentar uma justificativa, suja e desonesta, mas no seu caso foi até bom, males que vem para o bem, você tem um público grandioso e inteligente.
    A audiência do FG também é grande e virtuosa, mas ele foi, simplesmente, burro! Entendo que você goste demais dele e seja solidário, mas ele próprio não teve o cuidado que deveria ter, ou seja, ter criado um perfil anônimo pra falar as asneiras e bobagens que quisesse na hora que desejasse, ele é uma figura pública, e o canal ESPN não tem um conteúdo “thrash” pra manter uma linha de pensamento descontrolada como foi o caso(nem o próprio site dele é assim, veja só a interação dos jornalistas empregados dele e compare!).
    No seu caso RM, foi desperdício, no dele, foi algo previsível, é como o cara que enche a cara e pega no volante, estufa o peito e diz
    “não estou bêbado e dirijo muito bem, me larguem, me deixem em paz, o carro é meu e faço o que quiser…” Tem uma hora que o cara bate, e foi o que aconteceu com ele, que sabe depois dessa o cara muda?

  33. fernando nacif disse:

    Quero ver esse Flávio Gomes na sarjeta que é o lugar dele, rapazinho prepotente e arrogante que tomou na cara para deixar de ser um babaca. DFaçam como eu, não leio mais uma vírgula desse sujeito á muito tempo!!! Simples assim!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>