MENU

12 de setembro de 2014 - 21:59Automobilismo Internacional, Cinema

Gonchi, 15 anos de saudade

gonzalo-rodrc3adguez

RIO DE JANEIRO - Há 15 anos, ele emocionou seus compatriotas ao vencer num dos templos históricos do automobilismo, as ruas de Monte-Carlo, numa prova de Fórmula 3000 preliminar do GP de Mônaco de Fórmula 1.

No mesmo ano de 1999, ele emocionou novamente todo o povo uruguaio. Infelizmente pela tragédia ocorrida no circuito de Monterrey, em Laguna Seca.

Falo de Gonzalo “Gonchi” Rodriguez, que desapareceu há uma década e meia, num acidente enquanto conduzia um carro da Penske num treino de Fórmula Indy, na Califórnia. Talvez “Gonchi” tenha sido, sem sombra de qualquer dúvida, o maior piloto que os cisplatinos puderam conhecer.

Gonzalo desapareceu para sempre aos 27 anos, mas para sempre ficou igualmente na memória de seus compatriotas. É por isso que o blog traz o trailer do filme-documentário “Gonchi, La Película”, realizado por Luís Ara e Federico Lemos – dica, por sinal, valiosíssima do Alexandre Soucha, via Twitter. Nesse filme, será contada toda a história do piloto, inclusive com material inédito e depoimentos de personagens como Mark Webber, Juan Pablo Montoya, Charlie Whiting, Adrián Fernández, Justin Wilson, Christian Horner e Hélio Castroneves.

Vale a pena uma conferida no trailer.

7 comentários

  1. Granito disse:

    Uma história que mereçe ser contada e mereçe ser ouvida.

  2. Jaime Boueri disse:

    UAU! Que fantástico que vão contar a história do Gonzalo… Lembro do acidente como se fosse hoje.

  3. Wallace Michel disse:

    Uma grande promessa do automobilismo que não teve tempo de se apresentar ao mundo. Morte trágica e sem sentido.

  4. Alvaro Ferreira disse:

    Grande ideia fazer esse filme. Piloto que dava espetáculo, pessoa de alto astral, merece todas as homenagens. Acidente estúpido no saca-rolha…
    Bela imagem aquela do pódio da f-3.000 em Mônaco, com o Max Wilson e o Jason Watt de cada lado.

  5. Fernando Lima disse:

    Caramba…ainda me recordo bem do acidente, que foi nos treinos da etapa de Laguna Seca. Naquele ano, que a categoria ainda era comandada pela CART, perderíamos depois, na etapa final em Fontana, Greg Moore, vencedor da Rio 250, se não me engano. Infelizmente não tivemos tempo de conhecer melhor, mas o trailer e o próprio documentário é uma excelente homenagem.

  6. Elton Ogg disse:

    Está passando seu filme no Netflix. Simplesmente emocionante..

  7. Thiago Lemos disse:

    Assisti hoje ao documentário. Muito bem feito, e passou uma imagem bacana dele, mostrando sua família e os amigos que foi fazendo com o tempo.

    Legal ver também os pilotos da época, e alguns deles hoje, como Montoya, Webber e… o finado Justin Wilson (que foi bem triste de ver).

    Não o conhecia tão a fundo, e parecia ser um cara legal e piloto super aguerrido, como Montoya.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>