MENU

15 de novembro de 2015 - 19:04Fórmula 1

A que ponto chegamos…

201511151650777_4E0A1204_II

De novo: Nico Rosberg venceu outra vez o GP do Brasil, mas a corrida foi chata e previsível (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

RIO DE JANEIRO - Palavra de honra: nunca tinha visto uma corrida tão chata, modorrenta e previsível na história do GP do Brasil quanto esta. E já haviam acontecido outras 43 corridas desta, desde 1972. Na opinião do blogueiro que vos escreve, foi a pior corrida que Interlagos já viu na categoria máxima em qualquer tempo. Tão chata que só os quatro primeiros completaram as 71 voltas previstas – só as duas Mercedes-Benz e as duas Ferrari – e Nico Rosberg conquistou, liderando praticamente todas as voltas (menos seis) – sua 13ª vitória na carreira, a segunda no Brasil.

O resultado foi muito bom para Rosberg, que conquistou o vice-campeonato: a vantagem que ele tem para Sebastian Vettel é de 33 pontos e o piloto da Ferrari – único a quebrar o predomínio dos dois pilotos da estrela de três pontas – não pode mais alcançá-lo na etapa de Abu Dhabi, que ano passado ofereceu pontuação dobrada aos pilotos. As críticas (que foram muitas) por conta do critério adotado na ocasião fizeram a FIA e Bernie Ecclestone rever esse critério.

Mas o GP do Brasil não foi bom para todo mundo, como se pode ver aqui. Afinal de contas, de pachequismos exagerados o torcedor está cheio, afora outras figuras totalmente dispensáveis. Não surpreende saber da baixa audiência da transmissão da corrida: a Fórmula 1 não vive um bom momento e o público brasileiro também já não aguenta mais acompanhar uma categoria em que os pilotos do país não têm chance nenhuma de vencer.

Felipe Nasr merece até o benefícío da dúvida. Até fez uma boa temporada, com 27 pontos somados e defendendo uma equipe (Sauber) que no ano passado foi a pior de toda a categoria. Mas Felipe Massa continua perdendo no confronto direto para Valtteri Bottas dentro da Williams – e olha que o finlandês não disputou de fato o GP da Austrália. Com uma prova a menos, portanto, o nórdico soma mais pontos que o companheiro de equipe. Para piorar, Felipe (Massa) foi desclassificado da corrida deste domingo porque a pressão dos pneus de seu carro estava 0,1 psi abaixo do exigido pelo fornecedor, a Pirelli. A equipe vai recorrer da punição, mas é a tal história, como diz o filósofo: regra é regra.

E tem mais: a transmissão foi muito, muito chata. Eu lamento muitíssimo pelo Reginaldo Leme, com quem trabalhei no extinto Linha de Chegada por vários anos e com quem aprendi muito, não só no convívio profissional como também nas transmissões que assistia nos bons tempos da F1 nos anos 70/80/90. Mas embora reconheça que o Galvão Bueno é um narrador como poucos que existiram na televisão brasileira, há muito tempo ele se tornou uma personagem muito diferente do “vendedor de emoções” que ele se auto-intitula. Virou um pastiche de si próprio, com expressões que entraram para o folclore da televisão, como a história da “reta-curva”, repetida algumas vezes inclusive durante a corrida deste domingo. Afora outras sandices proferidas ao longo das 71 voltas da corrida, que enervam o telespectador comum e principalmente aos apaixonados por automobilismo, cada vez mais exigentes – com toda razão.

Sobre o comentarista-especialista em conversa de rádio-Google Translator-Michaelis, não vou perder meu tempo. Tenho minhas razões para não ser um de seus maiores admiradores e não vou gastar vela com defunto barato. Ponto final.

De resto, pouquíssimo a se salvar de uma corrida como esta. Talvez Max Verstappen? É bem possível: o holandês cometeu algumas ultrapassagens e animou a corrida. O 6º lugar de Nico Hülkenberg, após levar um vareio de Sergio Pérez em algumas das últimas corridas disputadas, também. Mas o fim de semana foi histórico para a McLaren, não pelo resultado – até porque Fernando Alonso chegou em 15º lugar, logo atrás de Jenson Button – mas pelo que aconteceu fora da pista, no sábado.

201511141633131_ClassGPBrasil4_II

O momento de zoeira de Alonso e Button talvez tenha sido a melhor coisa do pior GP do Brasil em toda a sua história

Quem acompanhou o treino que definiu o grid de largada certamente morreu de rir com as cenas proporcionadas primeiro por Fernando Alonso, espectador privilegiado que o espanhol se tornou do Q1 (aliás, perceberam como alguém pode dar visibilidade à F1 nas redes sociais – mesmo sem ter escrito uma única linha no Twitter ou Facebook?), a primeira parte da sessão oficial de qualificação como a cena sensacional que envolveu não só o espanhol como Button: os dois aproveitaram a eliminação precoce da dupla e, numa galhofa que há muito tempo não tínhamos a oportunidade de ver dentro da categoria, subiram ao pódio.

Foi a única forma de ver alguém da McLaren por lá.  E provavelmente, a imagem mais legal de uma corrida que a equipe, o público e os apaixonados por automobilismo certamente hão de querer esquecer. Por sinal, as arquibancadas estiveram até bem mais cheias que em 2014, com um público de 136 mil torcedores confirmado nos três dias do evento. Mas ninguém merecia isso que se viu no domingo.

A que ponto chegamos…

47 comentários

  1. Pedro Fonseca disse:

    Só uma correção Rodrigo: a bizarrice da pontuação dobrada foi extinta, depois da chuva de críticas do ano passado. Portanto, o Rosberg já garantiu o vice.

  2. Claudio disse:

    Corrida bem chata mesmo, que saudade das decisões de 2008 e 2012. Aconteceu o de sempre quando existe um desnível muito grande entre as equipes, ninguém disputa com ninguém na frente e as ações ficam relegadas ao pelotão intermediário. Em Abu Dhabi será pior ainda…

    • Rodrigo Vilela disse:

      Ponto certeiro.

      A temporada de 2012 (e a de 2011 também, mesmo com o Vettel ganhando tudo) mostram que a Fórmula 1 não precisa voltar tão no tempo para ser legal.

  3. Paulo disse:

    Desde que resolveram fazer da f1 uma vitrine de tecnologia e ecochatismo, ela ficou uma merda.
    A transmissão da globo é uma merda em todos os sentidos, nada de informação, narração chata pacas, burti não trás nada, nada de informação técnica.
    Muito menos ruim é a transmissão da sportv, que se não é primorosa, pelo menos tem o Max e o Sergio.

  4. Alessandro Neri disse:

    A cada GP a F1 se aproxima mais do seu fim. Enquanto na MotoGP acontece o inverso. A MotoGP hoje é superior, maior e melhor que a F1 em tudo. Fato.

    • Gustavo disse:

      E que a sportv cuide das transmissões da MotoGp, pois o “rapaz” que faz também é bizarro. Um que tenho achado um bom narrador e o da FormulaE, na foxsports. Diga-se não é a transmissão toda, somente o narrador da FormulaE.

      • Robertom disse:

        O Guto é um fanfarrão, se perde às vezes, mas sabe narrar corrida.
        O rapaz em questão é fraco, apesar de simpático, não sabe narrar corrida e também acho que não está aprendendo.
        Na Fox Sports, o melhor narrador disparado (o único) é o Sergio Lago

      • Rodrigo Vilela disse:

        O narrador da Fórmula E é o Felipe Motta.

        Na TV ele ainda está um pouco perdido, mas quem o acompanha na Jovem Pan sabe que ele tem talento.

  5. sinval disse:

    ta brabo

    formula 1 para poucos , ou talvez em breve mais nenhum.
    esta froids.
    e o maior problema é que já não é o primeiro domingo que
    troco um GP do brasil ,por um belo almoço com minha família.
    ta triste seu bernie.

  6. Felipe disse:

    Você acha que conseguiria fazer algo melhor nos comentários da corrida? Acho que não. Então fique aí na raposa esportes “comentando” as corridas mais chatas do mundo que é a nascar. Essa birra toda com a transmissão da F1, é recalque seu.

    • Rodrigo Mattar disse:

      Corridas chatas? Recalque da F1 que vai de mal a pior?

      Tô melhor na Fox do que estaria na Globo, filhote.

      E obrigado por mais um clique.

      • Antonio Vidal disse:

        Esse tal Felipe trabalha na Globo…só pode ser. Desde os tempos das diligências, as transmissões da F1 na Globo não mudam…
        Eu dormi no sofá em plena corrida…acordei na 59º volta. Tem que mudar, rever conceitos. Quanto a NASCAR Sr. Felipe, eu também tinha o mesmo preconceito, mas entendi que amo o automobilismo, e não só a F1.
        Sobre o Sr. Rodrigo Mattar, tenha lá minhas diferenças de opinião com ele, mas admito: tá difícil de encontrar alguém que entenda tanto desse assunto como esse cara….na boa…o “pó de arroz com rodas cobertas” manja….

      • Logan Josué disse:

        Essa é sua chance. o que vocÊ tem contra o genial Burti?? Explica aí! não é possível tanto recalque, no minimo ele deve ter te dado uma “comida-de-rabo” e você ficou sem reação e nao falou nada…

        E não tem jeito: F1 pode ter a corrida mais escrota, mas mesmo assim nego comenta.. agora quem fala de nascar, filhote??!!

        Aposto teu rabicó (mattar) se a “raposa sports” um dia tiver a transmissão da F1 se vc nao mudaria totalmente sua postura…
        Apenas seja Homem e admita!!!!!!!!!

      • Rodrigo Mattar disse:

        Aposto o seu rabicó como você é pau-mandado do Google Translator. Burti genial? Já temos a piada do dia.

        E não é você que vai mandar aqui, filhote. Escrevo o que quero, quando quero e posso criticar o que tiver vontade. E você vá caçar um servicinho diferente do que esse, de puxa-saco ou advogado do diabo.

        O que tenho contra ou a favor de alguém NÃO É DA SUA CONTA.

      • Rodrigo Vilela disse:

        Creeeeeuuuuu!!!!

    • Rodrigo Vilela disse:

      A “birra” da F-1 e do mundo todo. Basta ver os índices de audiência DESPENCANDO no mundo todo!!

      E achar Nascar chato? Desculpa, você não manja p… nenhuma de esporte a motor!

  7. Flavio disse:

    Rodrigo,
    Concordo com você em tudo, corridinha de m……,ver os pilotos da casa lutando por um 8º e 14º lugar, é vergonhoso para quem já teve os campeões mundiais que tivemos.
    Preferi ir dar banho na cachorrada, que foi muito mais bacana.
    Agora isso é um reflexo do automobilismo brasileiro, onde o autódromo de Interlagos fica fechado o ano inteiro, deixando as mínguas os pobres mortais que tentam viver do automobilismo em São Paulo, em detrimento de uma F1, chata sem emoção que a cada ano pede mudanças na pista.
    Detalhe: Será fechado novamente após a corrida de Stok Car ( leia-se interesse da Rede Globo), para aumentar a área dos boxes.
    E não podemos esquecer que alem da Sra. Rede Globo, que ajuda em toda esse desrespeito aos profissionais locais, é claro a Prefeitura e a SPTurs, que são coniventes e incapazes de tomar conta de uma praça como o autódromo.
    Permite ainda que a Globo tenha um enorme galpão dentro do mesmo para seu livre uso.
    Ou seja uma perfeita zona.
    Por isso e por outras que o automobilismo de SP, quase nem existe mais, uma vergonhaaaaa.

  8. Douglas Ricardo disse:

    Sabe o que falta para a F1 e também para a TV Globo:
    - S I M P L I C I D A D E!
    O espectador quer ver competição! Simplesmente isso!
    Nada mais!
    Nada de ‘Globais’ que pouco ou nada sabem da categoria…

  9. Gurizada, é o seguinte:

    1 – Rodrigo Mattar é o cara. Ponto final.

    2 – NASCAR é automobilismo verdadeiro. Corridas de duração para provar a qualidade do Fabricante e do Equipamento e não ejaculação precoçe de 20 ou 40 minutos pra moer tudo e salve-se quem puder.

    3 – A F1 só precisa voltar a receita da década de 70 e 80, e ínício de 90. Cada um faz o motor e o câmbio que quiser. V12, V10, V8, V6, W16, em linha, boxer, carburados, injetados, turbos, etc… Tudo junto. Cada um faz o que cabe no bolso.
    É SÓ MANTER O LIMITE DE MOTORES QUE PODEM SER USADOS.
    Só aí já vai mudar muito a coisa e trazer outra dinâmica para as corridas, pois as quebras voltarão a acontecer para definir e embaralhar, além da diferença de desempenho de um mesmo carro numa parte travada e numa parte alta do circuito.

    4 – A Globo tem que mais que ferrar… Não tenho nada contra nenhum dos envolvidos nas transmissões, mas sim com a metodologia da coisa. Tem que mudar o tratamento com as modalidades esportivas num todo e não venerar uma só. Depois falam de igualdade de direitos e tal… Onde está a igualdade hoje? 95% pra um e os 5% rachados entre o que sobrar…

    5 – Pergunto o que será feito de Interlagos durante 2016… As categorias estaduais de SP vão correr alí ou só no Velocittá, Mogiguaçu… sei lá onde????

    É isso…

    ** Ahh… Eu queria saber quem foi a mente brilhante que disse que sair de uma configuração existente e desenvolvida para um novo conceito é redução de custos… Trocar V8 aspirado, já desenvolvido por um V6 turbo com recuperação de energia e eletrônica pesada envolvida, é mais caro que permanecer com o que se tem e rever a tramóia de asa, botões de ultrapassagens e penduricalhos aerodinâmicos… **

    Falou !

  10. Gerson disse:

    Durantes os anos de 2013, 14 e 15 estive morando na Colombia e acompanhando a F1 pela Fox Sport 3. Digo que apesar de varias corridas chatas como esta de Sao Paulo no dia de ontem, a transmissao da Fox para paises da America do sul com de lingua espanhola é sensacional. Tem um narrador que não é sensacionalista como o Sr Bueno, tem comentaristas precisos e que comentam o que está acontecendo e nao essa babaquice que fazem aqui….
    Alem de toda transmissao da corrida em altissimo nivel tecnico, eles ainda fazem um pre-GP e um pos-GP com muitas entrevistas, informacoes tecnicas e tudo mais que um fanatico por automobilismo gosta de ver….
    Acho que a Globo poderia evoluir para algo parecido atraves dos seus canais de esporte ou dar o chapeu para outro que faça melhor. O amantes do esporte a motor no Brasil nao merecem o que a Globo tem feito conosco.
    A proposito, a Fox poderia melhorar um pouco as transmissoes da Nascar, pois esse Sergio Lago é muito chato !!! Mande ele aprender com o Fernando da Fox Sport 3 da Colombia…

  11. Vinicius disse:

    A Globo irrita demais o telespectador nas transmissões da F1… inicia a transmissão na volta de apresentação e ainda vai pro comercial; falam de tudo, menos da prova; narram ultrapassagens de pilotos errados (diversas vezes); cortam a transmissão para mostrar um menino brincando com uma bola de meia!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!; cortam de novo para entrevistar jogador de futebol!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!; repórter intervém na transmissão para falar algo que nada tem a ver com a corrida; no fim da prova nem espera o resultado final para acabar a transmissão!! etc…

  12. Gustavo disse:

    No final das contas me impressiona o tanto de dinheiro e tecnologia que se gasta na F-1 para um evento que, no final das contas, é muito ruim.

    De minha parte, não dou a mínima para toda a sofisticação eletrônica e aerodinâmica que vão nestes carros. Se fossem motores v6 ou v8 carburados, mas com disputa na pista, acharia muito melhor.

    Enfim…

  13. Luis Vieira disse:

    Eu não acompanho mais a F1 e faz tempo. Vez ou outra assisto a um GP, normalmente uma reprise no SporTV, porque na Globo com Galvão e sua turma não dá! Respeito a todos (Galvão, Reginaldo, Burti…), mas a transmissão é chata demais, até mais do que a própria corrida, e olha que isso não é fácil! No SporTV a transmissão é muito melhor, sem comparação.
    Isso de não assistir mais à F1 é um tanto dolorido: amante do automobilismo que sou, sinto como se estivesse desmerecendo a memória dos nossos grandes ídolos, dando as costas para a “maior categoria do mundo”, mas no fundo eu sinceramente me recuso a creditar à essa categoria que hoje chamam de F1 um valor minimamente parecido com o que ela mereceu décadas atrás.
    Os carros da F1 atual são absolutamente ridículos. Não são carros de competição, são vitrines. Complicados, caríssimos, incapazes de promover ultrapassagens, sem nem mesmo ter relação com o que eu entendo ser um automóvel.
    Nesse final de semana assisti pela “NismoTV”, ao vivo, o Super GT japonês. Que satisfação, que alegria! Carros espetaculares, com muita tecnologia, disputando uma prova movimentada do início ao fim. Poderia citar o WEC, TUSC, Nascar, Indy, WRC, BTCC, V8SC e tantas outras onde ainda encontro vivos a emoção e o prazer de acompanhar uma competição automobilística. Entre os pilotos dessas categorias observo as qualidades dos ídolos do passado da F1. E o que falar das competições de motocicletas? Sensacionais, tanto a MotoGP quanto a SBK! E a F1 cada vez mais modorrenta, reclusa ao seu mundinho, sem graça, sem charme, sem audiência.
    E é talvez por isso que eu cada vez mais torça pelo fim da F1. Que acabe! Que morra e nos deixe apenas com as boas memórias do passado. Que não continue carregando o seu simbolismo e poder e assim permita que no futuro se compare Hamilton com Stewart, Vettel com Prost ou Alonso com Lauda. A F1 está morta, mas o automobilismo segue forte, maravilhoso, em outras categorias.

  14. Ricardo Camargo disse:

    O GP foi burocrático,previsível e sem atrativos sim , não tem como negar, com certeza quem o assistiu da televisão deve ter dormido…..eu estive em Interlagos ontem e não achei o GP tão ruim assim, cada vez que os carros passavam sentia a mesma emoção de quando os vi pela primeira vez no Rio em 88, quem gosta vai mesmo e ponto final, o problema é que as pessoas hj estão muito exigentes e todo mundo pensa que a vida tem que ser um programa de computador com suas vontades e desejos realizados instantaneamente…..Vi muita gente falando que o GP foi sem graça pq as Mercedes dominaram e deram volta até no quinto colocado, em 1992 as Williams deram volta até no terceiro colocado.O Gp de 1992 foi previsível e dominado por uma equipe só da mesma forma que esse e ninguém ficou chorando tanto na época (estive ao vivo nesse GP tb).

  15. Marchi disse:

    GP ruim, transmissão que todo mundo já está cansando de ver se repetir, mas ainda gosto de ver os carros na pista.

    Pergunto. Será mesmo que as regras complicam tanto assim a ultrapassagem ou os pilotos estão menos agressivos (acomodados)? Até o Maldonado parou de arriscar. Tirando os pilotos da McLaren, foi sem graça mesmo até para mim que ainda acredito na F1.

  16. André Fonseca disse:

    Mattar,

    Mais uma vez, com o perdão do “trocadalho do carilho”. sua mensagem sobre a F1 no Brasil foi de MATTAR!!!

    HE HE

    Agora também gostaria de saber qual foi a treta com o “comentarista-especialista em conversa de rádio-Google Translator-Michaelis”…

    • Rodrigo Mattar disse:

      Treta?

      Não sou obrigado a gostar de alguém que não me diz nada, que incomoda o posto de um jornalista (no caso, do Reginaldo Leme) e, pior, pouco fez na Fórmula 1 para tentar acrescentar algo útil nas transmissões. Afora a pose de mauricinho, de coxinha, coisa que eu acho insuportável.

  17. Luciano disse:

    A F-1 tá perdida e batendo cabeça. Titio-avô Bernie já não é mais o mesmo há uns 300 anos, pois uma hora inventa um trem e depois ele mesmo espinafra e critica o que impõe a toda a categoria. A FIA do tio Jean Todt também está ruim de serviço. A coisa está assim por culpa deles e também das equipes, principalmente as mais abastadas e de cofres cheios de dinheiro pra queimar e que não querem de jeito algum perder a predominância que ora tem… E acham que estão fazendo o maior sucesso… Pros bolsos deles sim, por enquanto, mas essa ganância toda será a causa mortis da categoria se não fizerem nada enquanto é tempo…
    A F-1 tem jeito: basta a turma segurar a ganância atual e reestruturar as coisas na categoria para tornar atrativa para quem vê e competitiva (e muito mais lucrativa do que dizem ser hoje) para quem participa. Uma pequena enxugada no calendário (no máximo 18 corridas) com taxas de promoção menos extorsivas para as pistas que querem sediar uma etapa, maior flexibilidade técnica (como na WEC, por exemplo) e outras coisinhas pra trazer de volta a atenção de quem gosta de automobilismo e cativar novos fãs… Ontem eu nem dei bola para a corrida e meu filho também, que ficou mais interessado em saber que horas que rolaria a corrida da NASCAR (que atrasou pacas por conta da chuva que caiu lá no Arizona)…
    E a F-1 tá igualzinho ao futebol brasileiro: está vivendo do passado glorioso que teve e nem se mancou que está agonizando sem força alguma por conta das trapalhadas, marmeladas e mutretas dos últimos tempos…

  18. Gustavo disse:

    Muito chata mesmo a F-1. O Reginaldo Leme pode incluir também na parte ruim das transmissões. Ele domina mais o que acontece dos boxes para dentro e suas analises sobre o que está acontecendo na pista não fazem sentido. Galvão Bueno
    é isso mesmo que foi escrito. Já sobre o Burti, acho a única parte boa das transmissões. Por ter andando lá dentro, já faz muito mais do que os outros dois, que estão ultrapassados.

  19. JAL disse:

    Otimo texto, perfeito.
    Escrevi algo na mesma linha sobre a transmissão da Globo no blog do Flavio Gomes.
    Para qualquer pessoa que tenha acesso a internet, possua um app no celular, é IMPOSSÍVEL aturar tanta informação obvia e desnecessária nas transmissões globais.
    Aquelas entrevistas antes do GPs, mata de vergonha qq fofoqueiro estilo Nelson Rubens.
    Espero que algum dia alguém consiga transmitir novamente a F1 sem falar a cada 3 segundos do Senna e utilizar o Senna pra tentar segurar audiência… isso ja encheu, cansou, passou.
    E pachecada não da mais… é nitido que o Massa ja era, não é mais competitivo… quem assistiu ao Esporte Espetacular, ficou com a idéia de que o Massa chegaria em terceiro. Chega de tentar enganar expectador.
    Parabéns pelo texto.
    PS: google translator foi otimo. kkkkkkkkkkkkkkkk.
    Radio do Rosberg: box, box, box…. tradução do Galvão. Box, box, box.
    Ninguém merece.

  20. JAL disse:

    Ato falho: espectador com S que não é do Senna!!!

  21. Alisson disse:

    Gosto muito da transmissão de Portugal. O narrador para de falar no momento dos “Team Radio” e ainda faz tradução simultânea das entrevistas.

    O Reginaldo leme salva a transmissão no Brasil. O Galvão, na minha humilde opinião, já está ultrapassado. O Burti não acrescenta nada.

    A Globo não evolui mesmo.

  22. Fernando Lima disse:

    Ontem escrevi em meu perfil em rede social a palavra que melhor definiu a corrida em Interlagos: Merda
    Coitado de quem pagou (caríssimo, por sinal…) para ver isso. Eu, ao menos, estava no sofá de minha sala, tomando uma gelada.
    A corrida não merece qualquer menção…a transmissão do plim plim idem (reta curva realmente é de fuder). E, querem saber…ontem mesmo li que a corrida perdeu em audiência para a Record…apenas lembrando que nos tempos de Stock car na globo aberta, a corrida derrubava a audiência do “EE”, que era surrado no ibope pelo Chaves e pelo Pica-Pau…sendo assim, podemos crer que o destino da F1 na tv brasileira será o mesmo.

    • Alessandro Santos disse:

      Pois é, Fernando… Também estava bem confortável no sofá da minha casa, acompanhado do meu velho pai, vendo a corrida e tomando uma boa dose de vinho. A corrida foi tão, mas tão CHATA que meu pai e eu pegamos no sono e só fomos acordar na hora da bandeirada final… Creio que nem o GP Brasil de 1992 (vitória fácil do Mansell) foi tão modorrento assim. A que ponto chegou a F-1 atual, Deus do céu.

  23. Ricardo Talarico disse:

    Caro Mattar,
    Cortar imagem da corrida para mostrar o filho do Felipe Massa jogando bola de meia ,
    mostra bem como a emissora encara o esporte.

  24. Robertom disse:

    Não sou viúva, gosto de corrida boa, de qualquer categoria, acima de qualquer tipo de idolatria e pachequismo.
    Pessoalmente acho que o Senna foi o maior piloto entre os melhores, Fangio, Clark e Schumacher, mas penso que o que a RGT faz em relação ao mito Ayrton chega a ser doentio.
    Façam uma homenagem no começo da transmissão, falem de cara uma vez, mas eles se apegam a isso e repetem, repetem, é simplesmente um pé no saco.
    Se a corrida foi ruim, a transmissão da venus platinada foi muito pior.
    O EVOCADOR MÓR, Galvão Bueno estava muito pior que o normal, totalmente perdido, errando muito mais que o esperado, por exemplo, depois que um piloto havia ultrapassado outro, ele narrava que outro estava chegando no que ultrapassou, errou a identificação dos competidores em 9 de 10 oportunidades, evocou o “falecido” repetidamente, e como esperado, interrompeu os comentaristas e repórteres para falar besteira.
    A atuação do Papagaio Doente foi uma tragédia.
    Deu até um pouco de saudade do fraquíssimo Sergio Maurício, Ai meu Deus!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>