MENU

29 de maio de 2016 - 18:02Automobilismo Internacional

Mercedes ganha 24h de Nürburgring em última volta histórica

24hNbg16_SH127497_TH-1030x687

A festa da Black Falcon Racing quando Maro Engel recebeu a quadriculada da vitória no carro #4, também guiado durante as 24h de Nürburgring por Bernd Schneider, Manuel Metzger e Adam Christodoulou

RIO DE JANEIRO - Os leitores do blog puderam acompanhar em link que postei mais abaixo, a íntegra das 24h de Nürburgring. Quem se dividiu entre o clássico mundial da Endurance e outro clássico do automobilismo – o GP de Mõnaco – pelo menos nos instantes finais – com certeza jamais esquecerá o que se viu no Inferno Verde: uma batalha titânica pela vitória, entre o carro #4 da Black Falcon Racing e o #29 da HTP Motorsport, que na hora decisiva eram os únicos com condições de vencer uma das corridas mais difíceis do mundo.

Aliás, tristes os que pensam que corrida longa não tem emoção. Essa teve de sobra: o carro #4 guiado por Maro Engel no último turno passou 0″750 atrás do #29 guiado pelo holandês Renger Van der Zande antes da volta final. Pole position da prova – só que guiando o carro #9 (Nürburgring permite que um piloto seja inscrito em mais do que um carro), Engel entrou em modo “faca na caveira” e partiu pra cima do adversário. Deu um chega pra lá em Van der Zande que desconcertou o piloto dos Países Baixos.

O alemão sentou a bota: já tinha feito a melhor volta da prova na penúltima passagem – 8’19″002 – e na última, apesar do contato, ainda marcou 8’21″166. E recebeu a quadriculada com pouco mais de cinco segundos de vantagem. A HTP ainda ficou de “mimimi” e chegou a protestar pela manobra que o time derrotado considerou ‘desleal’. Mas nada aconteceu e o protesto não foi acolhido.

Esta foi a segunda vitória da Mercedes-Benz na história da prova. Coincidentemente, a primeira foi com a Black Falcon, há três anos. Naquela oportunidade, tal como neste ano, a chuva também provocou bandeira vermelha – por nove horas, é bom lembrar. Neste ano, foram quatro horas em que a disputa foi neutralizada. Talvez o vídeo abaixo explique o porque da decisão de interromper a prova. Além de uma pancada monumental de chuva, caiu granizo e a pista ficou suja de barro em diversos pontos.

O construtor da estrela de três pontas saiu felicíssimo da disputa. Afinal de contas, três de seus carros ocuparam todo o pódio e o #9 da Black Falcon, que lutou por muito tempo pela vitória, ainda chegou em quarto. E foram cinco Mercedes entre os seis primeiros colocados, graças à Zakspeed. A BMW ainda conquistou o 5º lugar na estreia do modelo M6 GT3 no Ring, graças ao bom trabalho da ROWE Racing.

O Bentley Continental GT3 do Team ABT foi o primeiro (e único) carro não-alemão no top 10. Vencedora da corrida ano passado, a equipe WRT ficou só em oitavo com o melhor Audi R8 LMS. E a Porsche, que não ganha no Inferno Verde desde 2011, ficou apenas com o 9º lugar do Team Falken, depois que os principais bólidos da marca de Weissach ficaram pelo caminho.

Os brasileiros praticamente não guiaram na disputa: a BMW #18 da Schubert Motorsport, que teria Augusto Farfus, explodiu o motor quando liderava a prova, com Jesse Krohn a bordo. E o carro #27 da Aston Martin Racing, no qual estava inscrito Fernando Rees, também teve problemas e não terminou.

A Black Falcon não triunfou só na geral: a equipe inscreveu um Porsche 991 GT3 Cup e ganhou na divisão SP7, vencendo também na subclasse V6 com um Porsche 991. Um Subaru WRX STi faturou o primeiro lugar na categoria SP3T. A Manthey Racing venceu na SP-X com um Porsche Cayman GT4 e um Toyota levou a melhor na SP-PRO. A Bonk Motorsport levou a vitória na classe Cup 5, enquanto a Teichmann Racing foi a vitoriosa na Cup 3.

Uma curiosidade: o Seat #201, o primeiro carro a bater no vídeo que postei acima, de toda a confusão do início da disputa, foi o vencedor da prova na divisão TCR. Na Cup 1, ganhou o Opel Astra da Lubner Motorsport. Na divisão V4, venceu a Pixum Team Adrenalin Motorsport com uma BMW E90. Outra BMW, só que o modelo 330i, venceu na divisão V5. A vitória na V2T foi de um Renault Mégane RS. Na SP6, deu um Porsche GT3 Cup. E na AT, uma BMW 135D GTR chegou na frente.

Tem mais: com uma BMW 335i, o Team Securtal Sorg Rennsport faturou a categoria SP8T. E um VW Golf foi o melhor na divisão SP4T. De um total de 156 carros que largaram, 104 cruzaram a quadriculada e 101 foram oficialmente classificados – três não cumpriram a distância mínima exigida de cada categoria para receber classificação.

Resultado final das 24h de Nürburgring

12 comentários

  1. Diego disse:

    A Ferrari não faz parte desta lista que está no final deste post?

  2. Eder disse:

    Carnificina dos R8. Inclusive dois se envolveram em um mesmo incidente, com ambos se retirando. Azar do krl, mais de 150 carros e ainda conseguem se colidir…

  3. Gustavo disse:

    Corrida épica no ring, mais uma vez. Não há paralelo com as 24h de Nurburgring no mundo do automobilismo.
    1 – Impressionante a performance e confiabilidade do novo Mercedes-AMG GT3. Não lembro ter visto na história dessa corrida tamanha dominância de um mesmo fabricante.
    2 – Já cheguei a ler em algum lugar sobre revisão do BoP por conta do baile da Mercedes. Mimimi. Fosse assim, e sem pretensão alguma de exaurir a questão, Farfus não teria emplacado o segundo tempo classificatório.
    3 – Explosão de motor. Torcia muito pelo Farfus. Mas, como disse antes, a BMW precisa acertar os pontos para repetir com o M6 o sucesso do Z4.
    4 – Quero rever a punição da Haribo. Mudou a história da corrida.
    5 – Tá certo que é parte da magia da provas. Mas é providencial, boa pra todo mundo e justa, principalmente com as equipes, a possível mudança de realização da corrida, de maio para julho, em virtude de maior previsibilidade do tempo. Ontem só faltou o Mickey no Holiday on Ice alemão. E ainda perdemos algumas horas de prazer.
    6 – Apenas um dos canais da Vodafone (mais especificamente a transmissão alemã) registrou 2.300.000 visualizações da transmissão da corrida. Fora os canais onboard e internacional. Fico feliz, muito feliz. The Ring still alive.

  4. Fernando Kesnault disse:

    Hi amigo Rodrigo…

    Me ficou uma duvida….pra mim quem estava a dirigir a Merça #29 foi Hohenadel tanto que se tem uma foto do Schneider o consolando apos a prova…por favor, averigue isso pois no site da motorsport tambem diz que é o Hohenadel…..mas à parte disso…continue a divulgar as categorias de GTs, quem sabe o pessoal acostuma não?? Logo vou postar uma estatistica de vitorias por pilotos, equipes e marcas com relação aos GTs, das provas ate agora pelas 24 categorias que ja iniciaram sua temporada, inclusive àquelas dentro da IMSA, ELMS e WEC.

    Abraços getenianos…..heheh

  5. Antonio Hermann Azevedo disse:

    Rodrigo,
    espero que esteja bem, ha muito nao falamos, lendo sua materia sobre Nurburgring, lembrei-me da minha vitoria em 1993, em condições semelhantes pois terminados com uma vantagem de apenas 50′ para o Porsche do Edgar Dhoren segundo colocado, foi uma batalha durante os cinco carros da marca durante toda a corrida revesando- se na liderança, boa lembrança, meu nome esta lá no mural de honra, bons tempos,
    Abs
    Antonio Hermann

  6. Ricardo disse:

    24h de Nurburgring. 500 milhas de Indianapolis. 600 milhas de Charlote. GP de Monaco, Tudo no mesmo fim de semana?? Qual é a dos promotores? So falta as 24h Le mans e 12h de Bathrust, para juntar tudo num so fim de semana.

    Rodrigo, qual sua opinião sobre isso? Esses 4 eventos na mesma data.

  7. Sullyvan disse:

    Olá Rodrigo, o que aconteceu com o carro #29 nas últimas quatro voltas?
    Nas duas primeiras dessas voltas a diferença de tempos deles para o #4 foi de mais de 45 segundos, depois na penúltima volta foi de sete décimos, e na volta final teve a ultrapassagem.
    Não posso passar sem dar parabéns pelo trabalho, que gosto muito, leio e assisto sempre que posso.

    • Sullyvan disse:

      Perdão pela minha falha mas vou ter que me corrigir. Vi denovo a imagem que mostra as diferenças e vi que em uma volta a mercedes #4 andou nove segundos mais rápido, na segunda teve um splash and go do #29, na penúltima um comboiou quase o outro e na última teve a ultrapassagem. O interessante era a diferença de rendimento dos dois carros porque, tá o #4 forçou uma linda ultrapassagem no limite da legalidade, poderia ter feito em outro trecho de forma mais simples por que nitidamente estava mais rápido. Mas também é última volta e, nessa hora qualquer espacinho tem que virar um túnel pra entrar com tudo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>