MENU

4 de julho de 2017 - 02:49International GT Open

Empate na liderança: é a sensacional temporada do International GT Open

hi_603_2417 32 10

A BMW de Victor Bouveng/Fran Rueda (à esquerda, em primeiro plano) chegou ao segundo triunfo este ano no International GT Open

RIO DE JANEIRO - Como se não bastasse o renascimento de um campeonato tido como morto e enterrado por conta dos grids esvaziados e da forte concorrência das séries Blancpain GT Sprint e Endurance, o International GT Open ainda consegue – a três rodadas duplas para o fim da temporada 2017 – nos ofertar um empate em pontos na classificação após a movimentada rodada dupla disputada neste fim de semana no Hungaroring, em Budapeste.

No sábado, a vitória estava mais do que encaminhada para a Ferrari #488 da Spirit of Race, tripulada por Miguel Ramos e Mikkel Mac Jensen, não fosse por um detalhe decisivo: um incidente, a meros cinco minutos da quadriculada, entre o carro líder e outra Ferrari, guiada pelo britânico Johnny Mowlem – que era retardatário. Ramos, que guiava o carro líder, rodou e não pôde seguir na liderança, que caiu no colo da dupla italiana Thomas Biagi/Giovanni Venturini, da Imperiale Racing.

hi_601_2417 22 297

Thomas Biagi/Giovanni Venturini venceram no sábado e alcançaram a liderança do campeonato

O carro #1 rumou para a primeira vitória na temporada, que deu à dupla a liderança provisória da classificação. Eles cruzaram a linha de chegada com 9″383 de vantagem para a Mercedes-AMG de Valentin Pierburg/Lance David Arnold, dupla que triunfou também na subdivisão Pro-Am.

Então líderes do campeonato, Albert Costa/Philipp Frommenwiler ficaram com o quarto posto, seguidos pelas duas BMW da Teo Martin Motorsport, guiadas por Lourenço Beirão da Veiga/Tiago Monteiro e Victor Bouveng/Fran Rueda.

Dos brasileiros, só Marcio Basso conseguiu um pódio na subcategoria Am na prova do sábado: o piloto da Mercedes-AMG #12 da escuderia portuguesa Sports & You terminou em 16º na geral e segundo na sua divisão, competindo mais uma vez ao lado do argentino José Manuel Balbiani. Os vencedores foram Alexander Hrachowina/Martin Konrad, com outra Mercedes-AMG, só que da MS Racing. Também de Merça, Alan Hellmeister/Marcelo Hahn driblaram a má posição de grid (19º lugar) para completar a prova em décimo-terceiro na geral e sétimo na Pro-Am.

Para a corrida deste domingo, Victor Bouveng/Fran Rueda conquistaram a pole position, com uma vantagem: salvaram dois sets de pneus novos e isso foi decisivo para a estratégia da dupla hispano-sueca do carro #65. Eles ‘descascaram’ na classificação e na corrida também, com uma performance dominante do início ao fim. Foi a segunda vitória da dupla nas últimas três provas, deixando os pilotos no retrovisor dos líderes do campeonato.

hi_603_2417 32 170

Com a Ferrari #488 da Spirit of Race, Mikkel Mac Jensen/Miguel Ramos também chegaram à ponta da tabela, mesmo rodando no sábado, mas com um importante 2º posto no domingo

Com o 2º lugar, Mikkel Mac Jensen/Miguel Ramos conseguiram os pontos que precisavam para chegar ao topo da tabela. Biagi/Venturini terminaram na 5ª posição e isso faz das duas duplas as comandantes da tabela com 60 pontos, dois à frente de Bouveng/Rueda.

Quem poderia ter chegado ao pódio foi a dupla Marcelo Hahn/Alan Hellmeister. Este último andou muito bem em seu turno de pilotagem e entregou a Mercedes-AMG #16 da Drivex School em ótimas condições para Hahn segurar um bom resultado. Mas a Ferrari #488 vinha veloz e Mac passou todo mundo que vinha pela frente. Numa defesa de posição, Marcelo acabou rodando na penúltima curva e caiu para 8º lugar na geral. Mesmo que não rodasse, a dupla teria que pagar uma penalização – por não ter cumprido o tempo do handicap determinado de acordo com as últimas performances dos brasileiros – de cinco segundos acrescidos ao resultado final.

hi_603_2417 32 99

Mais uma boa performance dos brasileiros Marcelo Hahn/Alan Hellmeister, que foram ao pódio domingo na subclasse Pro-Am

Apesar disso, foi uma boa performance de Hahn/Hellmeister, que conseguiram ainda o 3º posto na divisão Pro-Am em prova cujos vencedores foram Alexander West/Côme Ledogar, que terminaram em 6º lugar com a McLaren 650S GT3 da Garage 59. Marcio Basso/José Manuel Balbiani repetiram o 16º lugar geral com o carro da Sports & You e foram de novo ao pódio da subclasse Am com a terceira colocação. Venceram os companheiros de equipe, os portugueses Antônio Coimbra/Luis Silva.

A prova #2 teve um festival de penalizações: além do carro de Hahn/Hellmeister, foram punidos outros seis competidores. A BMW de Lourenço Beirão da Veiga/Tiago Monteiro, que se envolveu numa colisão com o Lexus de Costa/Frommenwiler, que desistiram da disputa, terá que cumprir um pênalti de cinco posições no grid em Silverstone, próxima etapa do campeonato.

Para a etapa britânica, tudo indefinido na classificação geral: Mac Jensen/Ramos e Biagi/Venturini estão empatados, com Bouveng/Rueda a dois pontos e Frommenwiler/Costa a nove. Na Pro-Am, Marco Cioci/Piergiuseppe Perazzini lideram somando 42 pontos, dois a mais que Rob Bell/Shaun Balfe. Marcelo Hahn é o quarto colocado com 33. Alan Hellmeister é o 8º colocado somando 22 pontos e seu quase xará Khodair, que ficou ausente em duas etapas, é o 13º, com onze.

Na subclasse Am, Alexander Hrachowina/Martin Konrad lideram somando 26 pontos, apenas um a mais que Luis Silva/Antônio Coimbra. Marcio Basso é o quarto colocado com 21, enquanto Nonô Figueiredo, que só competiu a rigor no Estoril, é o sexto com oito pontos.

1 comentário

  1. Fernando Silva disse:

    Assisti ao vivo no sábado e vi a corrida do domingo somente a noite por conta das 6h de Glen, que acompanhei via Fox Sports (mais uma vez excelente trabalho de vcs…).
    Fico feliz por este campeonato, que traz boas corridas mesmo quando o grid é reduzido. Agora reconquistando espaço e se mostrando excelente porta de entrada para equipes e competidores brasileiros e sulamericanos. Aliás, se por um lado o grid minguado expõe a frágil saúde de uma categoria, por outro o grid grande demais também pode ser um problema…em algumas pistas (como Zolder), as provas do Blancpain GT ficam bastante amarradas com tantos contatos e intervenções de Safety-car. Tem provas do certame da SRO que o grid chega a 40 carros mesmo para as provas Sprint e, nesse caso, o grid do tamanho que foi em Hungaroring considero ideal para uma prova excelente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>