MENU

29 de novembro de 2017 - 13:35Fórmula 1

Cuore Sportivo

Alfa-Romeo-symbol-6

RIO DE JANEIRO - Por muito tempo foi rumor. Hoje, tornou-se realidade: a Sauber anunciou que terá a Alfa Romeo como parceira, no retorno da marca do trevo de quatro folhas à Fórmula 1. São 32 anos sem que os italianos estejam envolvidos com a categoria. A partir de 2018, o time presidido por Pascal Picci passar-se-á a chamar Alfa Romeo Sauber F1 Team e os motores Ferrari serão rebatizados com o nome do construtor também ligado ao grupo Fiat. Tudo por obra de Sergio Marchionne.

“Este acordo com a equipe Sauber F1 é um passo significativo na remodelação da marca Alfa Romeo, que retornará após uma ausência de mais de 30 anos”, disse Marchionne. “Marca de sucesso que ajudou a fazer a história deste esporte, a Alfa Romeo vai se juntar a outras grandes montadoras que participam da Fórmula 1″, completou o dirigente.

O acordo inclui cooperação “estratégica, comercial e tecnológica”, além de intercâmbio de engenharia e know-how técnico.

Para 2018, a equipe terá pelo menos um piloto novo: campeão da Fórmula 2 pela Prema, Charles Leclerc vai substituir Pascal Wehrlein. Agora, com a parceria sacramentada nesta quarta-feira, resta a dúvida se Marcus Ericsson fica ou sai para dar lugar ao italiano Antonio Giovinazzi. Certamente haverá pressões “eclesiásticas” para que isto ocorra.

De toda a forma, é muito bem-vinda a volta de uma marca que representou muito na história do esporte. Ainda que com aquela que hoje é a pior equipe da Fórmula 1, ver a Alfa Romeo e toda a sua tradição regressar à categoria máxima não deixa de ser importante, quando se nota o crescente interesse das montadoras na Fórmula E, por exemplo.

A gênese da Alfa são as corridas. Puro cuore sportivo.

4 comentários

  1. lucas disse:

    Giovinazzi é bem mais piloto que o suéco. Seria uma dupla bem interessante de se assistir.

  2. Luciano disse:

    Eis o time B da Ferrari… O “cavallino” repetindo, decerto com diferenças, o mesmo esquema do “touro vermelho” austríaco… Se for para lapidar talentos promissores para no futuro não muito distante ocuparem um assento num dos carros de Maranello, tá valendo, pois foi num time B que um certo Vettel começou a mostrar serviço… E se for um time para lapidar possíveis talentos, o sueco Ericsson pode arrumar outra coisa pra fazer fora da Sauber…

  3. Sempre bem vinda uma marca como a Alfa Romeo. Certamente os planos dela não será continuar no fim do grid. De toda esta novidade sinto muito pelo destino do Pascal Werhlein. Acho que a F-1 está perdendo um belo piloto e a Mercedes deve ter seus motivos pra ficar tão quieta a respeito. Pensei que ele iria para Williams como o Ocon foi para a Force India.

  4. Daniel Ramos de Oliveira disse:

    Acredito que essa foi a melhor notícia pra a F1, é sensacional o retorno da Alfa Romeo para a F1, ainda que tenha um 2018 previsivelmente ruim, acredito que com o tempo e sendo a equipe oficial da FCA (lembrando que a Ferrari é oficialmente separada), e levando rios de dinheiro, é bem capaz que o desenvolvimento seja realizado e ela vá melhorando, pois não acredito, que essa marca tão importante, ficará ocupando lugar no final do pelotão por muito tempo. Tomara que a dupla seja Leclerc e Giovinazzi, dois pilotos sensacionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>