MENU

26 de novembro de 2017 - 09:14Automobilismo Nacional

O bote do Predador: família Bana vence as 500 Milhas de Londrina

IMG_0335

Jair e Duda Bana conquistaram a terceira vitória juntos e o patriarca, aos 62 anos, agora é o maior vencedor individual da história das 500 Milhas de Londrina, na geral (Foto: Vanderley Soares/Divulgação)

LONDRINA (até a volta!) - Foram infrutíferas as tentativas desde 2011. Mas valeu a pena insistir e perseverar: a família Bana voltou ao topo do pódio na 26ª edição das 500 Milhas de Londrina, como sempre uma corrida marcada pela imprevisibilidade, por quebras e… pela chuva. Não é a mesma coisa competir pelo traçado de 3,055 km em busca da vitória após 263 voltas se Pedrão não dá o ar da graça – e foram três as pancadas de chuva ao longo do sábado.

Mas quem pensa que Jair e Duda Bana, que largaram da pole position após uma performance espetacular na definição do grid, tiveram vida fácil, se enganou completamente. A corrida tomou um rumo diferente já no comecinho, quando a Ferrari 430 #23 da equipe Greco, pilotada pelo “patrão” Fábio Greco, tomou o rumo dos boxes após 14 voltas percorridas em perseguição aos rivais: coletor do escape rachado, tirando potência do motor e fazendo o V8 funcionar pela metade, com apenas quatro cilindros.

Os mecânicos foram rápidos o quanto puderam, mas para resolver o problema do coletor, tiveram inclusive que tirar a parte traseira do assoalho do carro. O conserto demorou 1h22min e a equipe voltou nas últimas posições, ainda recuperando cinco voltas para terminar em 12º lugar. Como consolo, Guilherme Salas, convidado para integrar a tripulação junto a Greco e Renato Cattalini, marcou a melhor volta em 1’13″903.

Logo depois que isso aconteceu, veio a primeira pancada de chuva. O forte calor durante o sábado trouxe vento e nuvens ameaçadoras rondavam a pista, até que um temporal se abateu sobre o circuito, provocando a entrada do Safety Car.

Nessa situação, os pilotos foram obrigados a usar seus faróis auxiliares para enxergar melhor com a luz natural se extinguindo aos poucos. E o protótipo Predador, que liderava, precisou recorrer aos boxes com pane elétrica. A vantagem confortável construída após o problema com a Ferrari foi rapidamente embora.

Até a altura da 126ª volta, o #35 seguiu na dianteira, mas um problema de suspensão mandou o carro pro boxe e parecia que as dificuldades do passado iriam se repetir. Não desta vez: os mecânicos conseguiram consertar o protótipo com motor Audi Turbo e a dupla de pai e filho voltou à pista, só que atrás de Sérgio Pistilli/Válter Pinheiro, que com seu Spyder passaram para a liderança, seis voltas na frente dos antigos ponteiros.

Com um ritmo forte apesar da pista úmida, Jair e Duda Bana foram recuperando paulatinamente a diferença, até que conseguiram a ultrapassagem sobre os líderes, faltando 52 voltas para o final. Mesmo um pneu furado, perto da bandeirada, não foi empecilho para que cruzassem a linha final dentro do limite de 7h estipulado pela organização, com duas voltas de vantagem para Pistilli/Pinheiro.

“Não foi fácil, tivemos vários problemas durante toda a prova, como o amortecedor e depois um pneu furado, além da chuva, mas fizemos uma boa corrida e o resultado foi muito bom”, comentou Jair, que se tornou o maior vencedor individual das 500 Milhas de Londrina. “É muita emoção, estou muito feliz”, disse o piloto, que do alto de seus 62 anos ainda acelera – e não é pouco.

O 2º lugar do #151 deu à dupla da AT Autosport a vitória na classe III, na frente do Cobalt V8 da equipe Absoluta, com seu característico e sensacional ronco de “veoitão”. Belo trabalho de Ney Faustini/Neyzinho Faustini/Edras Soares para terminarem em terceiro, enquanto o quarto lugar ficou com Miguel Mallaco/Carlos Antunes, vitoriosos no grupo II.

Com muita regularidade, o Spyder de Ricardo Furquim/Vander Penques/Beto Borghesi – este último, um dos organizadores do evento, chegou em 5º na geral, seguido por mais um Spyder tripulado por Mário Marcondes/Cláudio Leone/Luciano Borghesi e pelo Maserati de Eduar Mehry Neto/Caco Almeida/Beto Richa. Ele mesmo, o governador do Paraná.

IMG_0458a

Sempre cabe mais um para a posteridade: o pódio das 500 Milhas de Londrina contempla os 10 primeiros na geral. E o narrador Luc Monteiro, primeiro à esquerda, estava lá (Foto: Vanderley Soares/Divulgação)

Após muitos problemas, Bley Júnior/Aloysio Moreira levaram o Spyder #38 ao oitavo posto geral, seguidos pelo valente Gol de Rodrigo Tassi/Algacir Sermann e pelo Spyder guiado por Sérgio Martinez/Tinoco Soares/Luc Monteiro.

O narrador fez sua primeira corrida com pneus slicks (e de protótipo), afora o fato de ter guiado no último período com a pista molhada. Apesar da chateação com um erro que lhes custou algumas posições, Luc conseguiu superar o argentino Alejandro “El Principe” Cignetti e salvar o 10º posto muito comemorado pela trinca do carro #66 e que deu pódio – já que nas 500 Milhas o pódio geral contempla os 10 primeiros colocados.

Do total de 23 carros que deram a largada em razão do forfait da Alfa Romeo da 2RH Racing, que teve nada menos que três motores quebrados, dezesseis viram a quadriculada. Outros destaques, pelo espírito de luta ao longo da corrida, foram o simpático Fusca de César Ferro/Marcelo Rampazzo, o Puma de João Weiller/José Ademir de Carvalho e também o Aldee da família Pardo que, mesmo tendo problemas mecânicos, ainda ganhou a disputa em sua categoria.

Ano que vem tem mais!

O resultado final da 26ª 500 Milhas de Londrina:

1. #35 Jair Bana/Duda Bana
G-Stage/Bana Pneus
Protótipo Predador Audi Turbo – categoria I
263 voltas em 6h36min55seg381

2. #151 Sérgio Pistilli/Valter Pinheiro
AT Autosport
Protótipo Spyder Volkswagen – categoria III
261 voltas

3. #25 Ney Roberto Faustini/Edras Soares/Ney de Sá Faustini
Absoluta/Tigueis
Cobalt Stock V8 – categoria I
254 voltas

4. #128 Miguel Mallaco/Carlos Antunes
Dobilas Racing
Protótipo 1R Volkswagen – categoria II
243 voltas

5. #79 Vander Penques/Ricardo Furquim/Beto Borghesi
LT Racing Team
Protótipo Spyder Volkswagen – categoria III
243 voltas

6. #226 Luciano Borghesi/Mário Marcondes/Cláudio Leone
Motorcar
Protótipo Spyder Volkswagen – categoria III
241 voltas

7. #9 Eduar Mehry Neto/Caco Almeida/Beto Richa
CRT
Maserati Trofeo – categoria IV
240 voltas

8. #38 Aloysio Moreira/Luiz Bley Jr.
G-3 Racing
Protótipo Spyder VW Spiess – categoria II
240 voltas

9. #30 Algacir Sermann/Rodrigo Tassi
Sermann Racing
VW Gol 2 litros – categoria VI
231 voltas

10. #66 Luc Monteiro/Sérgio Martinez/Tinoco Soares
LT Racing Team
Protótipo Spyder Volkswagen – categoria III
224 voltas

5 comentários

  1. Felipe Cezar disse:

    Muito legal te ver por aqui Rodrigo, te vi lá na pista e acompanhei as lives no fb. Espero que volte sempre!

    As 500 com certeza são uma das provas mais democráticas, escrevi no blog um pouco da “saga” do amigo Cesar Ferro para colocar o Fusca na pista. Nas ultimas semanas ele vinha fazendo “bico” de Uber para juntar a grana e garantir o álcool do Speed!

  2. Beto disse:

    Valeu Rodrigo!!
    Obrigado pela sua cobertura e sua “participação” nas 500 milhas de Londrina.
    Vc já faz parte do evento e contamos com vc em 2018
    abs

  3. JOÃO weiller disse:

    Grande Rodrigo, é sempre um prazer ter um competente profissional e apaixonado pelo automobilismo para que nestes tempos difíceis consigamos valorizar este esporte que se mantem vivo numa prova como essa graças apenas ` ao romantismo que seus seguidores ainda mantem com muita paixão.

  4. Diego Ximenes disse:

    Rodrigo, por que aquele protótipo que bateu recorde recentemente e ficou a frente até do sempre primeiro Porsche não correu?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>