MENU

20 de janeiro de 2018 - 17:30Rali Dakar

Dakar 2018: Brasil bicampeão!

20181201626252_BR3_II

RIO DE JANEIRO - Líderes do Rali Dakar desde o quinto dia de provas na categoria SxS, Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin terminaram com fecho de ouro a participação da dupla brasileira na quadragésima edição do maior evento off-road do planeta – disparada a mais difícil edição já disputada no continente sul-americano.

E valeu a pena o esforço. Mesmo com todos os problemas – o Can-Am deles não tinha mais a direção assistida desde o início do evento – Varela e Gugelmin conseguiram controlar a vantagem para Patrice Garrouste/Steven Griener e levaram o título, conquistando também o bicampeonato para o Brasil na competição, após o troféu erguido por Leandro Torres e Lourival Roldan ano passado.

Na chegada após os 120 km da última etapa e os 286 km percorridos neste sábado, muita festa da chamada “Família Poeira”, como são conhecidos os Varela pai, mãe e filhos. Aos 58 anos, o veterano de muitas trilhas não escondia a emoção vivida naquele momento de reencontro com os entes queridos.

“Dedico o título a minha família, que está sempre ao meu lado, ao navegador Gustavo Gugelmin, responsável por uma navegação perfeita, e para a equipe South Racing Can-Am/Divino Fogão, que proporcionou o melhor UTV e a melhor estrutura possíveis. O Can-Am Maverick X3, mais uma vez, mostrou que está pronto para qualquer situação”, continuou.

“Hoje foi uma etapa muito longa para nós. Porque ela não terminava, não terminava, muitos carros passando… E a gente naquela ansiedade para terminar. Mas dessa vez deu tudo certo, nosso Can-Am X3 terminou perfeito, tudo maravilhoso”, concluiu o campeão.

Enquanto Varela disputava seu sétimo Dakar para chegar enfim à consagração, foi o terceiro de Gustavo Gugelmin, catarinense de 35 anos nascido em Lages. “Vencer o Dakar é um sonho”, resumiu.

“Foi muito difícil chegar até aqui, agora estou muito feliz e tranquilo, com a sensação de dever cumprido. O Brasil está no topo do mundo e espero que essa conquista traga mais apaixonados para o esporte”, concluiu Gugelmin.

A categoria SxS reuniu 11 veículos na largada e desse total, apenas seis terminaram o Dakar em Córdoba. Mesmo em último lugar na geral, o argentino Leo Larrauri ganhou a última etapa da competição e, ao chegar, se debulhou em lágrimas por conta do esforço dispendido nos últimos dias. A dupla dele com o também argentino Fernando Imperatrice fechou a prova com incríveis 132 horas (sendo 86 horas por conta de penalizações) atrás dos campeões.

Classificação da etapa #14
Córdoba-Córdoba
120 km cronometrados – 286 km de percurso

1. #362 Leo Larrauri/Fernando Imperatrice (Can-Am) – 1h45min55seg
2. #356 Reinaldo Varela/Gustavo Gugelmin (Can-Am) – a 8min04seg
3. #361 Patrice Garrouste/Steven Griener (Polaris) – a 12min13seg
4. #387 Claude Fournier/Szymon Gospodarczyk (Polaris) – a 15min17seg
5. #396 Jose Luis Pena Campo/Rafael Tornabell Cordoba (Polaris) – a 15min23seg
6. #351 Camelia Liparoti/Angelo Montico (Yamaha) – a 18min18seg

Classificação final extra-oficial:

1. Reinaldo Varela/Gustavo Gugelmin – 72h44min06seg
2. Patrice Garrouste/Steven Griener – a 57min37seg
3. Claude Fournier/Szymon Gospodarczyk – a 10h09min25seg
4. Jose Luis Pena Campo/Rafael Tornabell Cordoba – a 10h13min20seg
5. Camelia Liparoti/Angelo Montico – a 27h54min15seg
6. Leo Larrauri/Fernando Imperatrice – a 132h20min12seg

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>