MENU

6 de março de 2018 - 16:01Mundial de Endurance

Revelado o Rebellion R13

Rebellion-R13-FIA-WEC-Side-2018-Reveal

Com design bastante semelhante ao do Oreca 07 LMP2, o novo Rebellion R13 foi apresentado nesta terça-feira

RIO DE JANEIRO - O último dos novos protótipos da classe LMP1 que disputarão a Super Season do WEC na temporada 2018/19 é finalmente revelado: concebido pela Oreca, o Rebellion R13 ganhou a luz nesta terça-feira para a mídia internacional.

Oficialmente, o carro estará exposto no Salão Internacional de Genebra, com os pilotos Gustavo Menezes, Thomas Laurent e Mathias Beche, que formam a trinca do carro #3. No protótipo que levará o dorsal #1 estarão três campeões do WEC – Neel Jani, Andre Lotterer e Bruno Senna.

O design do R13 é muito semelhante ao do Oreca 07 LMP2, projeto do engenheiro David Floury. Se na parte estética há muitas semelhanças, dentro do novo bólido há diferenças, começando pelo motor – um Gibson 4,5 litros V8. Os pneus serão Michelin e a equipe anglo-suíça, nos últimos dois campeonatos, foi cliente da Dunlop.

A equipe estará presente em duas frentes em 2018. Além do WEC, com o retorno à divisão de elite, a Rebellion participará do European Le Mans Series com um protótipo Oreca 07 LMP2 em parceria tecnológica com a Algarve Pro Racing. A APR-Rebellion vai disputar a temporada com Thomas Laurent, Harrison Newey (filho de Adrian Newey) e o terceiro piloto está entre Richard Bradley ou Ryan Cullen.

Quanto ao programa LMP1, espera-se que pelo menos um dos Rebellion R13 esteja pronto para o Prólogo – marcado para exatamente daqui a um mês, na pista de Paul Ricard. Portanto, a Oreca terá que ser rápida no gatilho. A temporada se inicia em dois meses com as 6h de Spa-Francorchamps, no dia 5 de maio.

8 comentários

  1. andre lima disse:

    Bem bacana a entrada de times e construtores independentes na LMP1, mas é inaceitável a “proteção” dada pelos organizadores a Toyota, praticamente exterminando as chances dos privados… depois os caras ficam desestimulados por ver todo seu esforço pra colocar uma maquina dessas na pista ser em vão, e abandonam o barco, aí então os organizadores vão chorar as pitangas… o automobilismo já não se sustenta sendo refém apenas dos interesses das montadoras; vide o que aconteceu com o WTCC, que pra sobreviver teve que adotar a plataforma dos TCR, muito mais baratos e sem equipes oficiais de fabrica na disputa.

  2. Leonardo Silva Conrado disse:

    Rodrigo Mattar, com as exigências que a FIA esta fazendo com as categorias que ela chancela, principalmente em relação a proteção e segurança da cabeça do piloto, vide o HALO na F1, os protótipos de cockpits abertos, foram proibidos nos WEC? nunca mais vi um protótipo de cockpit aberto no WEC. O último que me lembro, era daquele piloto frânces, que não possuía os braços e as pernas, e que disputou as 24h de Le Mans.

    • Rodrigo Mattar disse:

      Leonardo, respondendo à sua pergunta, sim: os protótipos Spyder foram extintos do regulamento do ACO, pouco a pouco. No WEC e ELMS, deixaram de existir na temporada 2016. Permaneceram ainda até o ano passado no Asian Le Mans Series. E na IMSA, só a Prototype Challenge tinha modelos do gênero, só que construídos em 2009 com base no Courage C70.

  3. Pedro HD disse:

    Então é esse que vai passar o Toyota lento na Reta Mulsanne faltando 2 horas para o fim da corrida!

  4. OZZMAIR disse:

    O esquema de pintura lembra o R18 que iria correr em 2017. Um belo carro , pena que não pode ser mais veloz que o Toyota. Um abraço!!!

  5. Bruno Serafim disse:

    Gostei bastante do layout, torço para que tenham bons resultados também.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>