MENU

15 de abril de 2018 - 12:00International GT Open

GT Open: mais uma vitória de Mac Jensen e Pier Guidi, em dia de ótimos resultados dos brasileiros

0918 41 145

Alessandro Pier Guidi e Mikkel Mac Jensen voltaram a vencer no International GT Open, desta vez com tempo ameaçador em Portugal (Foto: Fotospeedy)

RIO DE JANEIRO - O desfecho da segunda corrida do International GT Open no Estoril foi exatamente o mesmo de ontem: vitória da Ferrari 488 GT3 alinhada para Mikkel Mac Jensen e Alessandro Pier Guidi pela novata escuderia Luzich Racing, de bandeira estadunidense. Só que, desta vez, em circunstâncias muito diferentes da véspera.

Primeiro que o grid foi decidido com chuva e pista molhada e a corrida, num piso meio úmido, meio seco. Seria uma disputa de 60 minutos, sem direito a reabastecimento de combustível nos boxes. E a dupla do carro #51 ainda teria que cumprir, por conta do primeiro lugar no sábado, um tempo mínimo de 80 segundos nos boxes. Quer dizer: só nisto, já perderiam pelo menos 15 segundos em relação à maioria dos adversários.

Mas Pier Guidi fez um ótimo trabalho desde o início e entregou o carro em ótimas condições na 18ª passagem para Mac Jensen. Depois, no reposicionamento ao fim da janela de pit stops, bastou o dinamarquês fazer o seu papel, triunfar e bisar no Estoril, resultado que dá à dupla uma sólida liderança no campeonato.

Atrás dos vencedores, dois dos Lamborghini Huracán da Imperiale Racing se engalfinharam pelo 2º lugar e isso custou caro ao #25 de Riccardo Agostini/Rik Breukers, que sequer completaram a primeira volta na disputa de ontem. No afã de defender a posição dos companheiros de time Giovanni Venturini/Jeroen Mul, acabaram punidos com acréscimo de tempo de um mísero e escasso segundo por terem excedido o limite da pista. Bastou para a inversão de posições. Quem foi segundo acabou em terceiro e vice-versa.

0918 38 139

Quarta posição neste domingo: Nicolas Costa foi o melhor brasileiro na pista, em dia de vitórias nas classes Pro-Am e Am para os pilotos do país em Portugal (Foto: Fotospeedy)

Numa sólida prova, o brasileiro Nicolas Costa e o parceiro chinês Kang Ling conquistaram um excelente quarto posto com o carro da Vincenzo Sospiri Racing. Considerando que era a prova de estreia do carioca e da equipe italiana no International GT Open, não deixa de ser uma posição a ser muito comemorada. Em quinto, após largar da 16ª posição, chegou a dupla Daniele Di Amato/Andrea Montermini.

Fernando Rees também alcançou um bom resultado em sua rodada de estreia na competição: chegou em sexto lugar com o Lamborghini #12 da Ombra Racing, recuperando muito bem após uma classificação infeliz (penúltimo no grid) para o companheiro de equipe Damiano Fioravanti, mais cedo.

E quem também tiveram razões para ficar contentes foram Allam Khodair/Marcelo Hahn. A dupla do Mercedes-AMG da Drivex School fez uma prova exemplar. Em seu turno, Allam chegou a andar perto dos primeiros e na janela de pits, estendida ao máximo possível, entregou o carro #16 como líder da prova. Hahn voltou em sexto, mas foi ultrapassado pelo Audi de Oliver Wilkinson e depois por Fernando Rees. Acabaram em sétimo na geral porque o carro da Optimum Motorsport teve problemas de câmbio na última volta.

Mesmo assim, a dupla finalmente desencantou e venceu junta pela primeira vez no GT Open pela classe Pro-Am – Hahn ganhou ano passado uma das provas em Paul Ricard, só que com Alan Hellmeister. No pódio, ocupando exatamente as mesmas colocações de ontem, estiveram Miguel Ramos/Fabrizio Crestani em segundo na classe e Michele Rugolo/Alexander West em terceiro.

Na divisão Am, Giulio Borlenghi fez uma corrida sem erros e junto ao polonês Andrzej Lewandowski, conduziu o carro #66 da Vincenzo Sospiri Racing a uma bela vitória – ótima performance para o novato brasileiro no Estoril. Márcio Basso e Thiago Marques inclusive chegaram à frente da dupla vencedora, mas foram punidos com um time penalty de 12 segundos por não cumprirem o tempo mínimo de handicap na parada obrigatória. A dupla da BMW Teo Martín Motorsport acabou alijada do topo do pódio e terminou em segundo na categoria, seguidos por Konstantins Calko/Miro Konôpka.

Assim, o campeonato começa com Mac Jensen/Pier Guidi somando o máximo possível de pontos no Estoril, seguidos por Jeroen Mul/Giovanni Venturini com 24, Daniele Di Amato/Andrea Montermini com 16 e Kang Ling/Nicolas Costa com 13. Fernando Rees/Damiano Fioravanti ficaram em sexto, com nove. Marcelo Hahn/Allam Khodair estão em 11º com quatro.

Na classificação Pro-Am, Fabrizio Crestani/Miguel Ramos saem com a liderança do campeonato, somando 16 pontos contra 12 de Alexander West/Michele Rugolo e Tom Onslow-Cole/Valentin Pierburg. Khodair e Hahn têm 10 e estão em quarto na tabela.

E na divisão Am, liderança para Giulio Borlenghi/Andrzej Lewandowski, repartida com os portugueses Antônio Coimbra/Luís Silva – as duplas somam sete pontos cada. Konstantins Calko/Miro Konôpka têm seis e Márcio Basso/Thiago Marques saem de Portugal com a quinta colocação no campeonato e quatro pontos no bolso do macacão.

A segunda rodada será em Paul Ricard, na França, nos dias 5 e 6 de maio.

1 comentário

  1. Fernando Silva disse:

    Assisti a corrida 1 no sábado…mesmo com um grid menor em relação ao ano passado, ainda está sadio e apresentando boas disputas. Sempre digo que gosto mais das corridas do GT Open do que das séries Blancpain (não que esta seja ruim…), justamente porque, apesar de menos etapas, selecionam somente pistas que sempre vão proporcionar boas corridas para carros de Gran Turismo (nada de Nogaro, Baku…), e considero a melhor opção para pilotos e equipes brasileiras que querem investir na modalidade…aliás, já estamos vendo uma “invasão brasileira” ai, não?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>