MENU

11 de setembro de 2018 - 13:47Automobilismo Internacional

Don Panoz (1935-2018)

lat-levitt-lag-0515_16316

O homem que criou a American Le Mans Series, de espírito empreendedor e visionário, foi-se hoje nos EUA, aos 83 anos. Don Panoz certamente será reverenciado por tudo o que fez pelo esporte e pelo Endurance em seu país e no mundo inteiro

RIO DE JANEIRO - Uma perda monumental para o Endurance e para o automobilismo dos EUA nesta terça-feira. Acabo de abrir o site Sportscar365.com e me deparo com a notícia da morte de Don Panoz, o criador da American Le Mans Series. Ele tinha 83 anos.

Nascido em 13 de fevereiro de 1935 no estado de Ohio, em Alliance, Don Panoz tornou-se um dos mais importantes e influentes membros da comunidade automobilística dos EUA e do Endurance mundial. Seus carros de produção limitada tornaram-se estrelas nas provas de longa duração – primeiro o modelo Esperante GTR-1, desenvolvido em conjunto com a Reynard Racing Cars e que possuía um formidável motor Ford V8 montado na dianteira, o que conferia um jeitão diferenciado ao bólido.

O Esperante GTR-1 serviu de base também para o primeiro modelo híbrido de competição. Muito antes dos protótipos LMP1 que viraram a nossa cabeça, a Panoz, a Reynard e a Zytek fizeram vir ao mundo o Q9 Hybrid, que era dotado de um motor elétrico alimentado por baterias. O conceito era válido: a ideia apontava para um carro que faria menos pit stops numa prova como as 24h de Le Mans. Mas o projeto foi cancelado logo após o Q9 Hybrid falhar a qualificação em La Sarthe.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Jeitão de Batmóvel: o protótipo Roadster-S com motor V8 dianteiro foi atração por muito tempo no ALMS e nas 24h de Le Mans, com boas performances e algumas vitórias

Após o fim do desenvolvimento do Esperante, a Panoz investiu na construção de Roadsters LMP1. Na contramão da história, os protótipos LMP900/LMP1 concebidos em conjunto com a Reynard foram inesquecíveis. Ganharam provas na American Le Mans Series e obtiveram bons resultados nas 24h de Le Mans.

Nesse interregno, a influência de Don Panoz é decisiva na criação da Petit Le Mans, a prmeira prova sancionada pelo Automobile Club de l’Ouest (ACO) fora da França, realizada em 1998 – embrião para a criação, no ano seguinte, do campeonato American Le Mans Series (ALMS), de regulamento técnico quase semelhante ao usado em Le Mans. A categoria durou até 2013, quando houve a fusão com a Grand-Am e a IMSA absorveu a organização do hoje Weather Tech SportsCar Championship.

Com o fim do programa de protótipos, Panoz voltou à construção de carros Grã-Turismo e conheceu a glória de um título nas 24h de Le Mans. Foi em 2006, quando um de seus modelos Esperante GT-LM levantou a taça de campeão na classe LMGT2. Após isto, veio o fracasso do projeto Abruzzi, concebido em 2011 e que nunca foi produzido – o carro fez aparições esporádicas nas pistas e foi arquivado.

2007 Champ Car Elkhart Lake

Como pude esquecer dos monopostos que a Panoz construiu? O modelo DP01 da ChampCar sem dúvida figura entre os mais bonitos carros de competição já concebidos. Aqui, Sébastien Bourdais acelera em Road America, quando defendia a Newman-Haas Racing

Até monopostos – como muito bem observado por um leitor do blog na área de comentários – a Panoz construiu. Primeiro, absorvendo a G-Force, conquistou inclusive as 500 Milhas de Indianápolis em 2003 com a Penske e o brasileiro Gil de Ferran. Na última fase do ChampCar, foi concebido o belíssimo modelo DP01, que sucedeu os Lola e Reynard que eram utilizados pela categoria já em decadência. Os bólidos da Superleague Formula (lembram dela?) também foram construídos pela Panoz nos EUA, pela Élan Motorsport Technologies, em Braselton, na Geórgia.

Don Panoz também tomou para si o desenvolvimento do estranho Delta Wing, dotando o carro que originalmente era um Spyder em um modelo fechado, com capota. A trapizonga andou bem em algumas corridas, mas nunca teve o desempenho desejado, uma vez que houve constantes trocas de fornecedores de pneus e também de powertrain.

O último modelo de competição da marca ainda está em uso: o Avezzano GT é um modelo enquadrado no regulamento GT4 e foi visto no Pirelli World Challenge nas duas últimas temporadas, com ótimos resultados. Guiado por Ian James e Preston Calvert, o modelo deu à Panoz o último título conquistado por seu criador, na competição dos construtores.

Uma última tentativa de regresso às 24h de Le Mans foi um projeto associado à Green4U Technology, para o desenvolvimento de um GT Protótipo elétrico a ser inscrito como Garage 56 em La Sarthe. Recentemente, a ideia foi abortada.

E assim se encerra a trajetória de um dos mais importantes homens da história do esporte nos EUA e no planeta. Se as competições de Endurance nos EUA atingiram um patamar próximo ao que se via na Europa, muito devemos ao espírito empreendedor e visionário de Don Panoz.

2 comentários

  1. Vinicius disse:

    A Panoz também desenvolveu chassis para a ChampCar, em seu “canto do cisne”. Eram carros bem bonitos, por sinal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>