Enfim campeão

E

RIO DE JANEIRO – Acabou nesta madrugada brasileira a temporada 2012 do Mundial de Carros de Turismo, o WTCC. E com um novo campeão, entrando para a história da categoria. O britânico Robert Huff pôs fim a um jejum de cinco anos de títulos de pilotos do país, desde que Andy Priaulx conquistou um inédito – até hoje – tricampeonato consecutivo, numa corrida acidentada (como de praxe) no Circuito da Guia, em Macau.

Com vantagem confortável sobre os companheiros de Chevrolet Alain Menu e Yvan Muller, a tarefa de Robert Huff, que precisava de apenas 14 pontos para ser campeão, foi um pouco dificultada na primeira corrida, quando foi obrigado a abandonar e assistir ao triunfo improvável de Yvan Muller, com Alain Menu em segundo e Tiago Monteiro, em excelente corrida a bordo do novo Honda Civic, subiu ao pódio com o 3º posto.

Após quase meia hora de espera e saindo da 10ª posição, Huff tinha uma missão a cumprir e se saiu muito bem. Chegou rapidamente até à quarta posição, tudo isto após uma panca de Alex MacDowall motivada por um contato com Yvan Muller. Na nona volta, outro incidente, desta vez motivado por Norbert Michelisz e Pepe Oriola, deixou Huff em segundo e com a mão na taça. O Safety Car entrou na pista e comandou o pelotão até o fim.

Aos 32 anos, o piloto nascido em Cambridge é, enfim, campeão do WTCC justamente no último ano onde a Chevrolet participa da competição com sua equipe oficial de fábrica. A turma da gravatinha cansou de “brincar” de correr de carro. E olha que, só neste ano, foram VINTE vitórias dos Cruze 1,6 litro turbo contra quatro distribuídas entre BMW e SEAT. Em 2011, tinham sido 21 triunfos, num total deslumbrante de 41 vitórias em 48 baterias. Percentualmente, um aproveitamento de 85,41%.

Que dificilmente, é bom que se registre, será batido por alguma outra montadora na história do WTCC.

Resultado da corrida #1:

1. Yvan Muller, 9 voltas
2. Alain Menu, a 0″915
3. Tiago Monteiro, a 1″297
4. Gabriele Tarquini, a 1″967
5. Darryl O’Young, a 11″519
6. Tom Coronel, a 55″136
7. Franz Engstler, a 1’04″137
8. Fredy Barth, a 1’09″730
9. Alex MacDowall, a 1’16″524
10. Tom Boardman, a 1’22″194

Resultado da corrida #2:

1. Alain Menu, 11 voltas
2. Robert Huff, a 0″320
3. Yvan Muller, a 0″889
4. Tiago Monteiro, a 9″015
5. Darryl O’Young, a 9″786
6. Franz Engstler, a 10″127
7. Aleksei Dudukalo, a 11″024
8. Fredy Barth, a 11″399
9. Tom Boardman, a 11″582
10. Fernando Monje, a 11″900

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

1 Comentário

  • Até que fim acabou esse campeonato bastante sem graça já que só deu Chevrolet nos últimos 2 anos. Assim como passou um tempo dando SEAT e antes era a BMW. Parace que o WTCC é uma categoria onde a montadora que dá mais dinheiro ganha. Muito chato isso, acaba um pouco com a disputa. Já foi melhor o WTCC. A Honda agora é que vai entrar como equipe oficial né ? É capaz de só eles ganharem de novo. E os outros que se virem. Nesse aspecto é melhor acompanhar o BTCC.

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames