MENU

24 de agosto de 2014 - 01:42Blancpain GT World Challenge Europe

Dilúvio e vitória brasileira no Blancpain Sprint Series

RIO DE JANEIRO – A corrida classificatória da 4ª etapa do Blancpain Sprint Series na Eslováquia não será esquecida tão cedo. Primeiro pelas duas bandeiras vermelhas, uma delas graças ao monumental acidente com o Lamborghini de Tomas Enge, como visto no vídeo abaixo e depois pelo dilúvio digno de Arca de Noé que se abateu sobre o circuito Slovakia Ring.

As interrupções fizeram com que o tempo total de disputa, incluindo as paralisações, superasse a marca de duas horas, algo inédito na história do Blancpain Sprint Series. E entre sustos e condições terríveis de pista e visibilidade, sobreviveram quase todos – apenas cinco carros abandonaram. E a vitória, com inteira justiça, foi da dupla formada por Cesar Ramos/Laurens Vanthoor, que partiram da pole position e neste domingo saem novamente da posição de honra do grid.

231825_429923_01ramos_73

Mesmo com as condições adversas, Cesar Ramos/Laurens Vanthoor faturaram a segunda no Blancpain Sprint Series

“Foi uma das corridas mais estressantes da minha carreira, duas situações de bandeira vermelha: primeiro por um acidente muito forte e depois pela água que desabou aqui. Então, manter a calma e a concentração foi fundamental. O Laurens, meu companheiro que garantiu a pole, fez a largada e logo na primeira curva teve um contato com outro Audi e perdeu algumas posições, mas logo recuperou bem e me entregou o carro em terceiro. Assim que sai dos boxes a pista parecia um rio de tanta água, então bandeira vermelha de novo. Quando relargou fui pra cima da Lamborghini e fiz uma boa ultrapassagem. Em seguida ataquei meu companheiro de equipe, o Abril, e ele acabou rodando. Depois foi só administrar. Foi muito bom, fizemos um ótimo trabalho junto com a equipe WRT que foi fantástica! Mas amanhã precisamos de mais uma vitória para escalar a tabela de classificação”, disse Cesar.

231822_429912_30stumpf_121

Corrida sensacional de Matheus Stumpf/Valdeno Brito: de 17º no grid, chegaram ao quarto posto no fim da prova

No geral, foi uma prova boa para todos os pilotos brasileiros. As duplas do BMW Team Brasil também não têm do que se queixar. Valdeno Brito/Matheus Stumpf foram excelentes e terminaram na quarta colocação, partindo de décimo-sétimo no grid. Cacá Bueno/Sérgio Jimenez foram obrigados a sair dos boxes em razão da troca do motor da Z4 do carro #0. O resultado foi um notável sétimo lugar ao fim da disputa.

Com a segunda vitória no ano – a primeira foi em Nogaro, igualmente na corrida classificatória, Cesar Ramos e Laurens Vanthoor subiram para 36 pontos no campeonato, ocupando agora a 5ª colocação. A liderança isolada é do alemão Maximilian Götz, que terminou em terceiro com a Mercedes SLS AMG GT3 da HTP Motorsport dividida com o holandês Nico Verdonck, em razão da suspensão imposta a Maximilian Bühk. Götz soma 73 pontos, contra 67 de Hari Proczyk/Jeroen Bleekemolen, que chegaram neste sábado em segundo.

Compartilhar

2 comentários

  1. Fernando Lima disse:

    Bem…praticamente não foi possível assistir…além da bandeira vermelha causada pelo pavoroso acidente com Enge (que bom que nada de grave ocorreu com o piloto…), o sinal fornecido ao “canal campeão” falhou…assim como meu serviço de internet banda-larga em vários dias em que tentei acompanhar corridas pelo live streaming aqui no blog….mas da para ver que foi um bom fim de semana para os pilotos brasileiros…mesmo para os do z4 #0, que largaram dos boxes mas chegaram em 7º…Valdeno Brito/Stumpf, que para mim deveria ser a dupla fixa do outro carro do Team Brazil (nada contra Nelsinho Piquet…), foram realmente sensacionais, além da bela vitória de César Ramos. Não assisti a corrida realizada hoje, mas vi que Cacá/Jimenez quase levaram a bandeirada, sendo superados por outro Z4. A vitória para os carros amarelos está amadurecendo…não demora a chegar…se no #30 Valdeno fosse o “titular”, pela experiência com GT’s e pelo entrosamento com Matheus Stumpf, – com quem foi bicampeão de GT3 no Brasil – as chances seriam ainda maiores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *