MENU

12 de setembro de 2017 - 01:37Super Formula

Tomando gosto

r001_2

Pierre Gasly emplacou duas vitórias seguidas na Super Fórmula japonesa: francês já é cotado para a Fórmula 1 e está na briga pelo título do certame nipônico

RIO DE JANEIRO – Com o nome cada vez mais falado nos bastidores e na chamada “Rádio Paddock” da Fórmula 1 para ocupar um lugar na Toro Rosso já neste ano, o francês Pierre Gasly vai tomando gosto pelas vitórias em sua participação na Super Fórmula do Japão. Desta vez, o piloto do Team Mugen conquistou a etapa disputada em Autopolis, um complexo construído nos anos 1990 que sonhou, um dia, chegar a receber a Fórmula 1 – no máximo sediando uma prova do World Sportscar Championship e que foi vencida por um certo Michael Schumacher.

Voltando ao presente, o piloto apadrinhado pela Red Bull acabou beneficiado por uma boa estratégia ao longo da disputa que teve um total de 54 giros. Largando em 2º no grid de 19 pilotos, Gasly partiu com pneus macios em seu Dallara-Honda, determinado a conservá-los até o momento do pit stop em que trocaria por compostos mais duros e reabasteceria seu bólido com gasolina suficiente para chegar à frente do pole position Tomoki Nojiri, autor do novo recorde para a pista.

E foi exatamente o que fez: com uma parada de pouco mais de 12 segundos, Gasly voltou à pista com pneus em melhor estado que os de Nojiri, já bem gastos pelo tempo de pista. O japonês da equipe Dandelion decidiu parar faltando 15 voltas para o fim e, além de um equívoco na troca de pneus, acabou por perder tempo ao se acidentar e destruir a seção dianteira de seu bólido quando se enroscou com Kamui Kobayashi. Nojiri ficou mesmo num apagado décimo-quarto lugar, uma volta atrasado.

Atrás de Gasly, que herdou a ponta no pit do adversário, vinha Felix Roseqnvist com o Dallara-Toyota do Team Sunoco Le Mans e a dúvida perdurava na pista: o sueco parou na quarta volta para trocar pneus, optando pelo composto macio até a quadriculada. Será que os Yokohama (e não Bridgestone, desculpem!) do nórdico resistiriam e o combustível seria suficiente para os 250 km da disputa?

r003

De bobo não tem nada: Felix Rosenqvist também faz uma temporada na Super Fórmula após o título europeu de Fórmula 3 e vem se destacando – é o 3º no campeonato liderado por Hiroaki Ishiura

Certo é que Rosenqvist fez uma aposta arriscada e que deu muito certo. O sueco acabou chegando mesmo em 2º lugar, resultado que o mantém na disputa pelo título. Kazuya Oshima, com o segundo carro do Team Le Mans, fechou o pódio e o líder do campeonato Hiroaki Ishiura, da Cerumo/Inging, completou a etapa de Autopolis em quarto lugar.

Yuji Kunimoto fechou na quinta posição, seguido pelos dois ex-Fórmula 1, Kazuki Nakajima e Kamui Kobayshi. Jann Mardenborough marcou o último ponto do domingo. A próxima etapa está marcada para o último fim de semana de setembro, em Sugo.

Resultado da etapa de Autopolis:

1 – Pierre Gasly (Dallara-Honda) – Mugen – 54 voltas em 1.24’28”619
2 – Felix Rosenqvist (Dallara-Toyota) – LeMans – 1″558
3 – Kazuya Oshima (Dallara-Toyota) – LeMans – 7”638
4 – Hiroaki Ishiura (Dallara-Toyota) – Cerumo/Inging – 8”555
5 – Yuji Kunimoto (Dallara-Toyota) – Cerumo/Inging – 9”009
6 – Kazuki Nakajima (Dallara-Toyota) – Tom’s – 9”457
7 – Kamui Kobayashi (Dallara-Toyota) – KCMG – 14”463
8 – Jann Mardenborough (Dallara-Toyota) – Impul – 14”980
9 – Koudai Tsukakoshi (Dallara-Honda) – Real – 31”150
10 – Yuhi Sekiguchi (Dallara-Toyota) – Impul – 44”699

Classificação do campeonato após seis corridas e cinco rodadas:

1. Hiroaki Ishiura – 30,5 pontos
2. Pierre Gasly – 25
3. Felix Rosenqvist – 24,5
4. Andre Lotterer – 20
5. Kazuki Nakajima – 16
6. Yuhi Sekiguchi – 15
7. Kamui Kobayashi – 14,5
8. Yuji Kunimoto – 11
9. Naoki Yamamoto – 10,5
10. Nick Cassidy – 7
11. Kenta Yamashita – 6,5
12. Kazuya Oshima – 6
13. Takuya Izawa – 4
14. Jann Mardenborough – 3,5
15. Koudai Tsukakoshi – 3
16. Daisuke Nakajima e Tomoki Nojiri – 2

Compartilhar

3 comentários

  1. hodari disse:

    A Bridgestone não fornece pneus para a Super Formula, quem o faz é a Yokohama.

  2. Gabriel Medina, O outro disse:

    Rosenqvist nos últimos três anos andou bem de F3, P2, GT3, Indy Lights, Indycar, Super Formula, DTM e até na insossa FE. Seria uma excelente entrevistado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *