MENU

26 de abril de 2018 - 16:10Supercars Series

McLaughlin é o novo líder no Supercars australiano

RGP-2018-WD40-PhillipIsland-500-Sat-a94w0833-800x533

Só deu ele em Phillip Island: Scott McLaughlin venceu as duas no fim de semana e assume a liderança do Supercars australiano

RIO DE JANEIRO – O neozelandês Scott McLaughlin foi o grande nome de mais uma rodada do campeonato Supercars da Austrália. Com o Ford FG X Falcon – que em 2019 será substituído pelo Mustang – inscrito pelo DJR Team Penske, o piloto dominou as duas provas disputadas em Phillip Island no último fim de semana. Com os 300 pontos somados, o vice-campeão da temporada passada saltou assim para a liderança do campeonato, com 60 pontos de vantagem para David Reynolds, desalojando da ponta da tabela o multicampeão Jamie Whincup, que não teve bons resultados no circuito de 4,448 km de extensão.

E o piloto de 24 anos não deixou dúvidas acerca de sua superioridade. Após sete vitórias da Holden, algumas delas com certa controvérsia, McLaughlin somou mais duas pole positions – chegou a quatro em 2018 – e foi o piloto mais rápido em ritmo de prova nas duas etapas. Na corrida de abertura da rodada, que foi a 9ª prova do campeonato, Whincup chegou a menos de um segundo do vencedor. Mas acabou punido por ter excedido o limite de velocidade nos boxes – um pênalti de 38 segundos o jogou de segundo para o 14º lugar, resultado que lhe custou caro.

Assim, Rick Kelly deu à Nissan o melhor resultado na temporada, herdando a segunda posição. Shane Van Gisbergen tinha um carro muito dianteiro e terminou em terceiro. Para resolver o problema de subesterço, ele tomou a insólita decisão de trocar o volante de seu Holden, utilizando um modelo de diâmetro maior.

A prova #2 foi um pouco mais difícil para McLaughlin no início, por conta de uma péssima largada, em que perdeu lugares para Kelly, Reynolds e Whincup. Contudo, um Safety Car prematuro por conta de problemas com o Holden de James Courtney precipitou as paradas e, após o restart, o piloto do Ford #17 atropelou os adversários para superar Reynolds e Kelly, que levou outro pódio para a Nissan em Phillip Island.

Uma outra amostra de que os Altima enxergam uma luz no fim do túnel foi o 5º lugar de Michael Caruso, numa corrida difícil para a Tickford (a outra equipe de ponta da Ford na competição) e principalmente para os recrutas da Triple Eight Race Engineering, na qual Shane Van Gisbergen foi sexto, Craig Lowndes sétimo e Jamie Whincup, com mais um passo em falso no fim de semana, chegou apenas em nono.

Assim, o piloto do carro #1 se viu relegado ao quinto lugar da classificação geral com 805 pontos, oito atrás de Lowndes e já distante 142 do líder McLaughlin. A esperança reside em que o neozlandês sofra um revés na próxima rodada, marcada para Perth no circuito de Barbagallo, em formato Super Sprint, com duas baterias. Naquela pista, voltará a ser adotado o formato de nocaute no qualifying adotado em Symmons Plains, face a pequena extensão do traçado.

Compartilhar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *