Porsche vence a mais difícil 24h de Nürburgring dos últimos anos

P
24h Nürburgring 2018 - Foto: Gruppe C Photography
Épico: em condições terríveis a partir do período noturno, inclusive com nebilna e bandeira vermelha, a Porsche e a Manthey Racing venceram de novo em Nürburgring após batalha campal com a Black Falcon Racing (Gruppe C Photography)

RIO DE JANEIRO – Desde o ano de 2011 a Porsche, dona de onze triunfos nas 24h de Nürburgring, não sabia o que era cruzar a linha de chegada à frente da concorrência, naquela que é uma das mais desafiadoras corridas de Endurance do planeta. Principalmente porque a pista é o Nordscheleife, o “Inferno Verde” de 25,378 km de extensão e mais de cem curvas, serpenteando por um dia inteiro na região do Eifel.

E não só por isso: principalmente pelas condições climáticas que sempre trazem um drama a mais para a disputa. Desta vez, São Pedro caprichou, pois mandou ver na água desde o período noturno até o fim da corrida, com direito a uma bandeira vermelha que interrompeu a prova por conta de uma forte cerração. Era inviável seguir a prova naquelas condições tão difíceis.

Mas os pilotos seguiram com o show mesmo numa pista absolutamente traiçoeira – aliás, se no seco já é difícil andar ali, que dirá no molhado. E com uma exibição inspirada de seus pilotos, especialmente Fred Makowiecki no último turno, a Porsche conquistou uma suada vitória no Ring, com apenas 26″413 de vantagem para a Black Falcon Racing, que também liderou a disputa com brilhantismo e foi uma adversária de muito respeito na parte final da corrida.

O #912 da Manthey Racing teve, além de Makowiecki, um ‘dream team’ de pilotos oficiais de fábrica da casa de Weissach, composto por Richard Lietz, Patrick Pilet e Nick Tandy. O tradicional time da Porsche, inclusive, chegou a comandar a prova em 1-2, mas o #911 que fizera a pole position na véspera com Laurens Vanthoor acidentou-se após 66 voltas com Romain Dumas a bordo, quando o francês era inclusive o líder.

A Black Falcon foi vice-campeã com o quarteto formado por Maro Engel/Adam Christodoulou/Manuel Metzger/Dirk Müller, seguido pelo outro carro do time, que no final descontou a volta de atraso que tinha em relação aos dois ponteiros, roubando também da Aston Martin Racing o que poderia ser um merecido pódio na prova para o construtor britânico. Assim, o 3º lugar foi de Yelmer Buurman/Jan Seyffarth/Luca Stolz/Thomas Jäger.

Na última prova do Vantage V12 GT3 no Ring, já que a Aston Martin substituirá o modelo pela nova versão do carro da marca de Gatwick, destaque para uma performance sensacional de Maxime Martin na pista molhada, virando voltas melhores que todos os outros pilotos – e por muito. Como consolo, ele e os colegas Nicki Thiim, Marco Sørensen e Darren Turner ganharam na subclasse SP9-LG.

Campeã da prova ano passado, a Audi Sport Team Land não conseguiu o pódio desta vez: Kelvin Van der Linde bateu quando vinha em 3º lugar e o carro teve que ir às garagens para o conserto. Perderam duas voltas, numa corrida nada feliz para os quatrargólicos, que ainda viram outros carros com chances de bom resultado ficar para trás ou desistir em razão de outros incidentes.

A BMW teve performance ainda pior com os dois carros da ROWE Racing, que tinham esperanças de um bom resultado e ficaram fora de combate. O primeiro a desistir foi o #99, numa tremenda porrada de Jesse Krohn com cerca de 2h23min de disputa. O #98 cairia à noite, por volta da 13ª hora. Sobrou então o carro #102 da Walkenhorst Motorsport para tentar salvar a honra, mas não foi possível: o brasileiro Augusto Farfus terminou em décimo-terceiro com seus companheiros Christian Krognes, Fabian Schiller e Markus Palttala, completando 131 voltas – quatro atrás dos vencedores.

Além da classificação geral, as 24h de Nürburgring têm outras – muitas – subclasses. São mais de 20, ao todo. Seria difícil elencar todas elas, mas destaco aqui outros dois vencedores: o SCG003C da Scuderia Cameron Glickenhaus, que fechou a prova em 19º lugar na geral e venceu na divisão SP-X e a Mercedes-AMG de Bernd Schneider (ele mesmo!), Jethro Bovingdon, Patrick Simon e Christian Gebhardt, que ganharam na categoria SP 8T, fechando o top 20 final.

Dos 147 carros que largaram, cento e seis receberam classificação.

Resultado final AQUI

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

7 Comentários

  • Olaf Manthey e equipe abateu com precisão o voo rasante do falcão negro da AMG. Valeu, valeu mesmo a pena ter atravessado a madrugada acompanhando por aqui, uma corrida maiúscula em todos os sentidos. Teve de tudo.
    Assistir os “caras” com pé cravado na “döttinger höhe” embaixo daquela chuva e ainda com a neblina no para-brisa, muda e muito a concepção que tenho sobre o que é insanidade e talento. Ou será que são as duas coisas no mesmo milésimo de segundo?
    Na sinceridade: eu não queria entrada franca em todas as provas da F1/2018 não, eu queria mesmo é pagar pra ver in loco uma prova como essa em Nurburgring, essa sim, dá vontade de assistir.
    Parabéns ao meu time, ao meu clube de coração. Vencemos, dominamos praticamente toda a prova, não fosse o crash do Sr. Romain Dumas, poderíamos ter uma dobradinha no pódio. Se na F1, a estrela de prata manda e desmanda, neste fim de semana, numa das mais icônicas provas do endurance mundial quem mandou foi a PORSCHE.
    Só a PORSCHE tem 19 vitórias em LE MANS….só a PORSCHE!

  • Tive a honra de ver a primeira vitória da Porsche em 17 anos, nas 24 Horas de Le Mans de 2015, e agora novamente acompanhei a primeira vitória dela no ring em 7 anos. Rapaiz, sensacional, essa foi uma das melhores corridas do ano com certeza, assisti pelo menos 80% da corrida e valeu CADA SEGUNDO. A disputa do Makowiecki e do Christodoulou faltando pouco mais de uma hora na chuva foi simplesmente espetacular, assim como o período noturno. Vibrei igual doido quando o Porsche retomou a ponta e dela não saiu mais Fórmula 1? Nem vi (muito menos senti falta haha). Obrigado pelo seu serviço ao postar a corrida Rodrigo, tava acompanhando antes na transmissão alemã, mas foi bem melhor com a transmissão internacional (eu ainda aprendo germânico), muito obrigado mesmo!

    P.S.: Queria destacar tbm a performance do Manuel Metzger no período noturno, justamente quando começou a cair o pé d’água na pista. O que esse cidadão pilotou não foi brincadeira, inclusive foi ele que ultrapassou o Porsche #912 e permitiu que o Mercedes #4 da Black Falcon assumisse a liderança geral e brigasse pela disputa, que acabou sendo perdida pelo Adam, ainda bem haha simplesmente fenomenal o desempenho dele em chuva num circuito já cheio de armadilhas por natureza. Molhado então…

  • Que corrida hein IGOR…que corrida!
    Assino embaixo tudo o que você escreveu…
    Uma senhora vitória da PORSCHE…este ano ainda tem as 24 de SPA e lógico, “O MAIS LONGO DOS DIAS”….as 24 HORAS DE LE MANS.
    Força PORSCHEEEEEEEE!!!!!!
    Valeu IGOR…abraço

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames