MENU

22 de fevereiro de 2019 - 10:29Fórmula 2

Persistência

04bad175e6d769715b85b34007f9e7dc

RIO DE JANEIRO – Ela não é um prodígio. Mas Tatiana Calderón (foto acima) avança mais um degrau em sua carreira de piloto. A colombiana de 25 anos acaba de ser anunciada nesta sexta-feira como a mais nova integrante do plantel da Fórmula 2.

Ela estará a bordo do carro #18 da equipe BWT Arden, que fechou parceria com a HWA Racelab para este ano de 2019. Tata vai dividir as atenções com um conhecido da GP3 Series: ninguém menos que o campeão da categoria em seu último ano no formato anterior – o francês Anthoine Hubert.

Nascida em Bogotá, a persistente menina já andou de quase um tudo no automobilismo. Nos EUA, fez o Star Mazda Championship. Andou de Fórmula 3, Fórmula Renault, World Series V8 e, recentemente, na GP3 Series. Ali, conseguiu algum destaque defendendo a equipe Jenzer Motorsport, com resultados bem razoáveis. No último ano, terminou sete provas entre os dez primeiros colocados.

Não obstante, a sul-americana também teve contato com a Fórmula 1, assinando com a Sauber para trabalhar nos últimos dois anos em testes – mesmo que com modelos antigos da equipe suíça, agora absorvida pela Alfa Romeo. E neste ano, ela já fez treinos também na Fórmula E, com bons desempenhos a bordo do bólido da DS Techeetah.

Com a confirmação da dupla da BWT Arden, restam somente quatro vagas para a temporada que começa no Bahrein. A única equipe 100% com assentos em aberto é a MP Motorsport, da Holanda. A Campos não tem ainda o nome do companheiro de equipe do britânico Jack Aitken e também a italiana Trident Racing não fechou com ninguém para ocupar o lugar ao lado de Giuliano Alesi.

Calderón faz parte do total de sete estreantes confirmados até o momento para 2019. Além dela, outros quatro vêm da GP3: Hubert, Juan Manuel Correa, Callum Ilott e Nikita Mazepin. Os demais são o chinês Guan Yu Zhou e Mick Schumacher, que estavam na extinta Fórmula 3 europeia.

Compartilhar

4 comentários

  1. Claudio disse:

    Muito bom para ela. Concordo com vc, não é uma pilota fora de série, mas é persistente e tem a Telmex a patrocinando. Se fizer um bom campeonato, vejo ela com chances de chegar a F1, é perceptível que o lobby feito para uma mulher estar no grid da F1 é grande, e ela já está lá, mesmo que somente em testes. Aliás, como agora está na F2, muito provavelmente ela irá começar a participar de treinos livres. Torço pelo sucesso dela.

  2. Geraldo Netto disse:

    Boa sorte para ela, mas a Bia Figueiredo tem resultados muito mais expressivos do que a Calderón.

    • Claudio disse:

      Como assim? O Tony Kanaan de mullets? Cara, não fala bobagem. Além do mais a carreira dela já está na descendente tem muitos anos. Tem garotas mais novas (Jamie Chadwick, por ex.) que acredito sim, tem muito potencial para serem melhores que a Calderon

      • Geraldo Netto disse:

        Posso estar enganado, mas a Bia foi a primeira mulher a ganhar uma corrida de Fórmula Renault e da Indy Lights também, isso já diz muita coisa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *