MENU

17 de abril de 2019 - 10:24Mundial de Endurance

Fechada a lista de pilotos para as 6h de Spa-Francorchamps

5aedac6691316

A penúltima prova do Mundial de Endurance será num sábado, dia 4 de maio (Foto: Marius Hecker/AdrenalMedia.com)

RIO DE JANEIRO – Em mais um comunicado de imprensa, a organização do Mundial de Endurance (FIA WEC) soltou hoje a última e definitiva lista para as 6h de Spa-Francorchamps, penúltima etapa da temporada 2018/19 da Super Season e marcada para 4 de maio, um sábado.

O total de carros não sofre alterações de vulto. Serão mesmo 35 os participantes, divididos nas quatro categorias presentes à competição. Algumas confirmações e mudanças se fazem notar após a divulgação da lista oficial.

A ByKolles regressa às pistas com o propulsor Gibson V8 4,5 litros substituindo as unidades Nismo Cosworth VX30P biturbo, após a ausência em Sebring. Oliver Webb, que já disputou várias corridas neste ano, está garantido. O terceiro nome é o do italiano Paolo Ruberti, que há algum tempo não disputava provas do WEC. O simpático piloto italiano testou o carro na intertemporada e, aos 43 anos (faz 44 dia 22), está pronto para seu retorno à categoria.

Outra equipe de protótipos que traz novidades é a Larbre Competition, que a cada corrida revezou um nome diferente para correr com Romano Ricci e Erwin Creed no Ligier JS P217 #50 da equipe francesa. Jack Lecomte chamou dessa vez o estadunidense Nick Boulle: o piloto de 30 anos não é um neófito em provas longas e já esteve nas 24h de Le Mans – e conhece bem o carro também de provas da IMSA.

Na Dempsey Racing-Proton, por conta de coincidência de datas com o Porsche Supercup da Alemanha, Julien Andlauer terá que ficar de fora. O jovem – e bom – piloto francês será substituído pelo italiano Riccardo Pera, que defendeu a equipe no ELMS em Paul Ricard. A TF Sport também não contará com Jonathan Adam desta vez: o experiente britânico foi trocado nesta etapa pelo compatriota Euan Alers-Hankey, que retorna ao #90 após algumas corridas ausente, dividindo a pilotagem com Salih Yoluç e Charlie Eastwood.

De resto, as demais alterações já eram de conhecimento desde as divulgações anteriores. A volta de André Lotterer ao #1 da Rebellion após ficar fora das 1000 Milhas de Sebring é uma delas, assim como a participação de Norman Nato no lugar de Loïc Duval pela TDS Racing, de James Allen no #10 da DragonSpeed e de Brendon Hartley como substituto de Jenson Button – provavelmente até o final do campeonato.

Também estará presente a G-Drive Racing (sem contar pontos) com seu Aurus 01, com a trinca Roman Rusinov/Jean-Éric Vergne/Job Van Uitert. É a única escuderia do ELMS que usa o evento como preparação para as 24h de Le Mans.

Faltando a etapa da Bélgica e o encerramento em La Sarthe, o Mundial apresenta liderança geral de Fernando Alonso/Kazuki Nakajima/Sébastien Buemi com 135 pontos, quinze à frente de Pechito López/Kamui Kobayashi/Mike Conway. Gustavo Menezes e Thomas Laurent vêm em terceiro com 81.

O melhor brasileiro nesta classificação geral de pilotos em Protótipos LMP1/LMP2 é André Negrão, sétimo colocado com 48 pontos. Bruno Senna vem logo atrás, com 45.

No FIA World Endurance Trophy da LMP2, Negrão e seus parceiros Pierre Thiriet e Nico Lapierre vão para Spa com a liderança – e pequena margem – sobre Ho-Pin Tung/Gabriel Aubry/Stéphane Richelmi. O total é de 125 a 123 pró-pilotos da Signatech Alpine Matmut. O trio que vem em terceiro lugar, formado por Nabil Jeffri/Jazeman Jaafar/Weiron Tan deixou a competição ao fim de 2018.

Entre os pilotos das classes LMGTE-PRO e LMGTE-AM, Kévin Estre/Michael Christensen estão com 125 pontos, contra 100 de Gimmi Bruni/Richard Lietz e 80,5 de Ale Pier Guidi/James Calado, os atuais campeões. Daniel Serra – que volta em Le Mans – ocupa o 13º posto do campeonato com 33 pontos. Augusto Farfus é o 22º colocado, com oito pontos.

Na tabela específica dos pilotos LMGTE-AM, Jörg Bergmeister/Egidio Perfetti/Patrick Lindsey somam 103 pontos, enquanto os vice-líderes Francesco Castellacci/Thomas Flöhr/Giancarlo Fisichella têm 78 e o trio Paul Dalla Lana/Mathias Lauda/Pedro Lamy vem a seguir com 69 pontos.

A classificação de equipes da LMP1 dificilmente sofrerá mudanças de vulto e a Toyota deve ser campeã mundial, já que sua vantagem é de 53 pontos sobre a Rebellion Racing. Nas marcas da LMGTE, a Porsche conta com incríveis 100 pontos de frente para a Ferrari e é pouco provável que perca também o título.

Entre os times da LMP2, a competição é grande entre Jackie Chan DC Racing e Signatech-Alpine Matmut. Com dois carros, o time sino-britânico tem a liderança e o 3º lugar, com chances de marcar dobradinha. A pontuação aqui é individual por carro inscrito, independentemente do trio escalado para cada prova. Tanto que a Larbre, que revezou pilotos diferentes como dito acima, está em quinto na classificação.

Na competição de escuderias da LMGTE-AM, o panorama é o mesmo dos pilotos. Liderança da Project 1 Racing, seguida da Spirit of Race e Aston Martin Racing.

2 comentários

  1. joao calango disse:

    Bem que podiam ter mais brasileiros correndo nesta corrida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *