MENU

15 de maio de 2019 - 18:3224 Horas de Le Mans, Miniaturas

Pequenas maravilhas – especial 24 Horas de Le Mans: Jaguar D-Type (1955)

LeMans55

RIO DE JANEIRO – Leitor do blog de primeira hora, desde os tempos de outros portais, o Mefistófeles (ele pede para citá-lo sob pseudônimo) mandou suas fotos colaborando para a série especial alusiva às 24 Horas de Le Mans. E no dia em que falta exatamente um mês para a largada da maior prova de Endurance do universo, nada melhor do que trazer a miniatura de um carro vencedor e histórico.

O modelo Jaguar D-Type foi a natural evolução do carro projetado por Malcolm Sayer e que tinha William Heynes como engenheiro-chefe. Em algum momento, o departamento técnico da Jaguar pensou numa forma de levar vantagem sobre seus adversários e a solução mais inteligente possível foi a adoção de freios a disco nas quatro rodas. A Girling foi a fornecedora, os carros verdes atropelaram a concorrência e só não venceram uma vez num espaço de cinco anos porque a Ferrari não quis.

Em 1955, o D-Type foi guiado por Mike Hawthorn e Ivor Bueb, alcançando a distância recorde de 4.135,38 km percorridos em 307 voltas. A miniatura do Mefistófeles veio num diorama e é em escala 1/43, fabricada pela Millenium Collection.

Continuem enviando fotos das suas miniaturas para o e-mail [email protected], que prometo publicar até o dia 15 de junho, quando será dada a largada da 87ª edição das 24h de Le Mans.

Compartilhar

1 comentário

  1. Mefistófeles disse:

    A Pneus Dunlop produziu as rodas de alumínio do carro, outra novidade além do
    chassis monocoque em alumínio rebitado que ajudou o carro a ter 840kg de peso em ordem de marcha. A nota triste é que esse carro vencedor causou o maior acidente da história do automobilismo, 83 espectadores mais o piloto francês Pierre Levegh morreram e mais de uma centena de feridos.. A prova continuou para possibilitar o acesso das ambulâncias para socorrer os feridos. Mike Hawthorn estava duas voltas atrás da Mercede-Benz 300 SLR de Juan Manuel Fangio e Stirling Moss, quando ao reduzir para entrar nos boxes, que na época eram junto a pista, ultrapassa o Austin-Healey de Lance Macklin, de categoria menor, se coloca a sua frente e freia forte, ao desviar para a esquerda Lance acaba acertando a Mercedes-Benz 300 SLR de Pierre Levegh, que vinha a 260km/h, bate na cerca, se incendeia e voa sobre a arquibancada. Por volta da meia noite chega o telex da fábrica alemã ordenando o abandono dos 2 mercedes remanescentes que lideravam a prova. A Mercedes-Benz convida a Jaguar a abandonar em conjunto a prova, mas ela declina do convite. Em 1958, um mês após ser campeão mundial de Formula 1 Mike Hawthorn falece em acidente de estarada dirigindo seu jaguar. Ao final de 1955, sendo bicampeã de F1 com Fangio, a Mercedes-Benz abandona o automobilismo, retornando mais de 40 anos depois.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *