Limite, reloaded

L
limite-espn
Renan do Couto e Victor Martins no comando do Limite em seu retorno à grade dos canais ESPN: por mais programas automobilísticos na TV fechada, independentemente da emissora que os veicule

RIO DE JANEIRO (Quanto mais, melhor!) – Os jornalistas esportivos, em geral, são amigos e parceiros e se respeitam – independentemente dos seus locais de trabalho.

Digo “em geral” porque infelizmente há exceções à regra. Muitos exemplos de verdadeiros traíras estão aí pra quem quiser ver.

O automobilismo precisa de mais programas na TV fechada. O Super Motor do BandSports está aí há mais tempo e também o Fox Nitro, do qual faço parte como eventual debatedor e mais como editor-responsável, desde que a produção do programa mudou para o Rio de Janeiro.

Mas houve uma atração que fazia falta e que voltou – alvíssaras!: o Limite.

A ESPN exibiu o programa sem interrupções entre 1993 e 2011. No período, lembro do Luiz Alberto Volpe como apresentador e depois, bem depois, puseram na bancada o João Carlos Albuquerque, o “Canalha” (figura que adoro), o  grande niteroiense (e torcedor da Acadêmicos do Cubango) Mauro Cezar Pereira e o Flavinho Gomes, que além de ter me levado pro Grande Prêmio trabalha aqui comigo há cinco anos no Fox Sports.

Depois de um bom período fora, o Limite voltou com nova roupagem e novos apresentadores – Renan do Couto, narrador da casa (cria do Grande Prêmio) e o pulha, mentiroso e caluniador Victor Martins, que já aparecia no Sportscenter para falar de automobilismo, afora participações como comentarista nos raros eventos automobilísticos do canal.

Com meia hora de produção, o forte da atração – que tem o patrocínio da cerveja Heineken – é a Fórmula 1.

É super bem-vindo o retorno do Limite.

Quanto mais programas na TV fechada, melhor. E olha que o escriba aqui é de uma emissora concorrente – mas que principalmente respeita e admira os dois colegas que comandam a “nova” atração.

Que pena que no SporTV houve cabeças “pensantes” que simplesmente riscaram do mapa o Linha de Chegada, que enquanto passou pelas mãos do Eduardo “Borrachinha” Abbas e pelas minhas também, com o Reginaldo Leme como apresentador, era outra (boa) coisa.

O Linha como estava antes de ser tirado do ar já estava totalmente fora da proposta anterior. Tomara que um dia repensem as coisas por lá e o Grupo Globo dê ao esporte a motor a importância devida em sua grade de programação.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

14 Comentários

  • Mattar,
    Muito bom que exista mais um programa falando do esporte a motor.
    Espero que o Vitones leve o estilo que usa no Paddock GP para o Limite.
    Bem lembrado o – de início – ótimo Linha de Chegada, que depois foi estragado e enterrado por algum “gênio”.
    Também lembro do outrora ótimo “Auto Esporte” enquanto apresentado pela Silvia Garcia, tempo em que era voltado para verdadeiros entusiastas do automóvel.
    Agora, é um programa com raríssimas matérias úteis, portanto dispensável.
    Abração.

    • Me desculpe, Danir. Mas se não fosse do ramo, não teria tido por tanto tempo no SporTV o Grid Motor e o Linha de Chegada, programas dos quais participei.

      O que falta ali são pessoas que acreditem na viabilidade de programas automobilísticos. Havia dois “jênios” ali, chamados Raul Costa Jr. e Alexandre Boyd, que odiavam automobilismo. Acho que isso diz tudo.

      • lá só passa futebol… no sportv1 passa tiringuitu x joanete fc, que já é o 1598º vt e no sportv2 tá passando jeribinboaquaratimbomirinaçu x voltadosquenãoforam e depois desse jogo vai reprisar tiringuitu x joanete fc,

        capische?
        e automobilismo???? Nhente….

  • Notícia maravilhosa! E do Renando e do Victor espero um programa descontraído (dentro dos limites de uma emissora com o peso da ESPN)

  • O Limite também teve comentários de Cláudio Carsughi, antes da bancada ser formada pelo João, Mauro e Flávio. E que venham mais programas como esses, mas precisam ser colocados em horários mais visíveis. Grande abraço.

  • Desejo muito sucesso a equipe do programa.
    Mudando de assunto: A Globo encerrou o Sinal Verde. Era um bom programa apresentado no Sábado antes dos Grandes Prêmios. Uma pena.

  • Boas novas, legal!
    Do jeito que está no Grupo Globo, acho que o automobilismo vai acabar saindo da TV aberta, e mesmo na fechada tá diminuindo. Exemplo é o pós-corrida da F1, que agora só é veiculado na internet.
    Enfim, ainda bem que temos outras opções!

  • eu tenho algumas edições do quadro “indiana gomes” gravados, inclusive um do Oswaldo Strada, que tem uma puta coleção de FNM…. o Flávio Gomes fala que assiste filme pirata (O Homem Sério) e que esses dvds brotam lá… era legal…
    vamos rever o limite agora… pena que não terá mais o “indiana gomes”

  • Legal ver o Limite em sua nova reencarnação mas é bom ressaltar programas de internet seja no Youtube e mais recentemente de podcasts que nos abastecem de informações.
    Esqueçam automobilismo em TV aberta pois é F1 , Stock , Indy e Truck

  • temos pela primeira vez um carro com capacidade de andar na frente dos gt. porsche, ferrari mercedes e não vi nada a respeito da primeira vitoria do AJR. lamentavel.

    • Amigo, eu estava nas 24h de Le Mans. Não posso chupar cana e assoviar ao mesmo tempo, certo?

      Aliás, há a corrida aqui na íntegra. Você pesquisou? Procurou se informar? Fácil vir aqui e criticar, né não?

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames