Festa da Kawasaki nas 8h de Suzuka: marca vence e o Team SRC France leva o título do FIM EWC

F

RIO DE JANEIRO – As tradicionais 8h de Suzuka, prova final da temporada 2018/19 do FIM Endurance World Championship (EWC) foram uma corrida para ninguém botar defeito. Com grande dose de drama no final, a disputa premiou a Kawasaki duplamente no desfecho do campeonato, que contou com a disputa de cinco provas: o Bol d’Or de Paul Ricard, as 24 Horas de Le Mans, as 8 Horas do Slovakia Ring e também as 8 Horas de Oschersleben.

A disputa assistida por um público de 65,5 mil torcedores (109 mil no fim de semana inteiro, apesar da ameaça de um tufão no sábado) foi encerrada a instantes do seu final. Já era de noite e o líder tinha percorrido 216 voltas, quando justamente a moto com o dorsal #10 sofreu um acidente com Jonathan Rea a bordo. O multicampeão mundial de Superbike dividia a guiada com o turco Toprak Razgatioglu e com o britânico Leon Haslam até cair. A direção de prova deu bandeira vermelha e interrompeu a disputa – o que foi benéfico justamente para os acidentados.

E por que? Porque o regulamento prevê que em casos de bandeira vermelha, seja respeitada a classificação da volta anterior. No 216º giro, a tripulação da Kawasaki Racing Team era líder com 18″720 de vantagem para a Yamaha #21 guiada por Katsuyki Nakasuga/Michael Van den Mark/Alex Lowes, que largaram da pole position. Portanto, mesmo após o acidente, Rea e companhia limitada subiram ao pódio como os vitoriosos da prova, que contou com a participação de 64 máquinas.

Os rumos do campeonato foram igualmente dramáticos, uma vez que o Team SRC Kawasaki France, com o trio Jéremy Guarnoni/David Checa/Randy de Puniet, lutava pelo título contra o time Suzuki Endurance Racing Team, que buscava o 16º troféu de campeão na categoria. Mas a moto #2 de Etienne Masson/Vincent Philippe/Gregg Black não ficou na pista para contar história. Uma quebra de motor – a meros 1min35seg antes da passagem da moto #10 pela linha de chegada antes do seu acidente que definiu a corrida – foi a pá de cal definitiva nas pretensões da equipe, o que ajudou a trinca da máquina #11 a comemorar o campeonato, mesmo chegando a sete voltas do líder, em 11º lugar.

A Honda, dona da pista de Suzuka, subiu ao pódio com o Team Red Bull chegando em 3º e na mesma volta dos vencedores, graças a Stefan Bradl/Ryuichi Kiyonari/Takumi Takahashi. O Team F.C.C. TSR Honda France despediu-se do título conquistado lá mesmo no Japão há um ano atrás com a quarta colocação. A Yoshimura Suzuki Motul Racing terminou a disputa em quinto.

O Mundial de Construtores ficou nas mãos da Yamaha, com as boas performances da equipe YART ao longo do ano, somada ao 2º posto em Suzuka, que foi o suficiente para a marca dos três diapasões deixar para trás as concorrentes Kawasaki, Honda, Suzuki e BMW.

Na classe SST, o 14º lugar geral significou a vitória da equipe Tone RT Syncedge 4413, com a BMW #80 guiada por Tomoya Hoshino/Kokoro Atsumi/Takeshi Ishizuka. Com a ausência da Wepol na última etapa face questões de custos, o Bollinger Team Switzerland acabou com o título da competição dos Independentes, sem vínculo oficial de fábrica.

O campeonato da temporada 2019/20 terá duas etapas ainda neste ano: a novidade é o retorno das 8h de Sepang ao calendário. A corrida da Malásia será noturna e num sábado. Além dela, o Bol d’Or de Paul Ricard abre a série, que será de novo encerrada com a disputa das 8h de Suzuka, antecipadas por conta dos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Confira as datas.

21/22 de setembro – Bol d’Or (Paul Ricard)
14 de dezembro – 8h de Sepang
18/19 de abril – 24h de Le Mans
6 de junho – 8h de Oschersleben
19 de julho – 8h de Suzuka

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

Adicione um Comentário

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames