MENU

22 de agosto de 2019 - 23:48Fórmula 1

Vem, 2021!

f1-divulga-primeiras-imagens-do-desenvolvimento-do-carro-de-2021-no-tunel-de-vento__973239_

RIO DE JANEIRO (Parece promissor…) – A cara da Fórmula 1 a partir de 2021 deve ser isso que vocês estão vendo na imagem acima: o novo regulamento técnico, a sair para daqui a alguns meses (outubro é a previsão) mostra que a tendência é que os carros dependam muito menos dos horríveis penduricalhos que sujam os leiautes dos bólidos da categoria máxima e mais do fundo do carro, que deve desempenhar um papel importante na aderência mecânica, com o uso de novos assoalhos.

Asas traseiras e dianteiras, bem como as derivas laterais, serão mais simplificadas. O pessoal andou implicando com as calotas das rodas, mas para testes aerodinâmicos, é um artefato válido. Até o Halo, horrendo inicialmente, já começa a ficar interessante como artefato de segurança – e até harmonioso.

A ideia de radicalizar e simplificar os carros da categoria – e tomara que eles tenham soluções que os diferenciem uns dos outros, como nos velhos tempos – é reduzir o nível de turbulência que hoje torna impossível que um carro siga grudado no outro. A perda de downforce é calculada em 50% com os carros na atual configuração.

Dentro da nova proposta, reduzir-se-ia essa perda em 40%, deixando-a em aceitáveis dez por cento.

Se o grupo de estudos for bem-sucedido em seu intento e os testes em túnel de vento (a ilustração é de uma maquete nas instalações da Sauber) forem bem-sucedidos, fica a torcida por uma Fórmula 1 muito melhor e mais competitiva.

Vem, 2021!

3 comentários

  1. Antonio Seabra disse:

    E super importante que se reduza o arrasto para permitir que os carros andem mais próximos durante as curvas de alta. Se conseguirem, adeus asas moveis, push-to-pass e outras idiossincrasias que inventaram pra facilitar as ultrapassagens.

    • Antonio Seabra disse:

      complementando: em se aumentando o efeito solo (ground effect) pode-se obter um outro tipo de “ganho” para o espetáculo: como elevando-se a altura do carro do chão, perde-se efeito solo, (pela “quebra do vacuo” que se forma sob o carro) os pilotos terão de evitar passar sobre as zebras altas, sob pena da perda de aderência causada pela redução da pressão negativa sob o carro !!!! isso, somado aos pneus de ombros mais baixos, irá naturalmente fazer com que evite-se passar sobre as zebras. Ponto para o espetaculo !!!

  2. Jonny'O disse:

    Verdade Seabra! Unica coisa que ainda gostaria de ver era baixar o fundo do carro até a linha do inicio dos pneus dianteiros , creio que sairiamos a mesmice de design de 20 anos ou mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *