AsLMS: grid para 2019/20 começa a se desenhar

A
Dentro da tímida – até agora – movimentação de equipes e pilotos para a temporada 2019/20 do Asian Le Mans Series, a Eurasia é a única escuderia com praticamente tudo definido. O time filipino vai alinhar dois Ligier dentro do atual regulamento, buscando a vaga direta para as 24 Horas de Le Mans do próximo ano

RIO DE JANEIRO – Daqui a 30 dias, a temporada 2019/20 do Asian Le Mans Series alça voo com a primeira de quatro etapas a se realizarem num campeonato que vai indicar quatro vagas automáticas às 24 Horas de Le Mans, em junho do próximo ano.

A série asiática, toda desenvolvida no inverno europeu, terá quatro etapas (a Austrália, com uma etapa em Tallem Bend, é a novidade) e o certame está mais uma vez dividido em protótipos LMP2 e LMP3, além dos carros de Grã-Turismo.

Será o primeiro campeonato em que os modelos dentro do regulamento vigente de LMP2 poderão competir – o que não invalida ainda a possibilidade de termos os carros nas antigas regras, com motores de diferentes fabricantes. Tanto que haverá os Judd V8 de 3,6 litros derivados de blocos BMW, concorrendo contra os Nissan V8 4,5 litros.

Mas as estrelas serão os carros atuais com motores Gibson V8 4,2 litros. A previsão inicial é que nove deles estejam no campeonato e pelo menos três já têm pilotos conhecidos.

A filipina Eurasia, em busca do retorno à Sarthe, fechou com cinco pilotos. Num dos carros (serão dois Ligier JS P217), Nick Cassidy estará com Daniel Gaunt e Nobuya Yamanaka. No outro, Aidan Read e Nick Foster foram anunciados.

Já a Carlin, mediante o apoio da Thunderhead, fechou participação com um protótipo Dallara e Jack Manchester, que disputa o ELMS, é o único confirmado até o momento.

Nos LMP2 mais “idosos”, digamos assim, só a Rick Ware Racing apresentou armas e pretende ter um time de pilotos Nascar, formado por Cody Ware, Garrett Smithley, Spencer Boyd e Ryan Sieg.

A classe que no campeonato 2018/19 foi a LMP2 AM, apenas para pilotos de graduação menor, deverá contar com seis carros neste certame.

Cinco escuderias confirmaram planos para a classe LMP3, mas a única com pilotos até aqui fechados foi a Villorba Corse, de Raimondo Amadio: o antigo chefe da equipe Cetilar no ELMS (agora no WEC) terá Alessandro Bressan e Yuki Harata a bordo.

Graff e Nielsen Racing vão estrear os modelos Norma M30 – ano que vem, esses protótipos serão rebatizados Duqueine, quando estrear o novo regulamento.

Entre os GT, efetivamente a única organização que confirmou presença até agora foi a CarGuy Racing, que buscará novamente a vaga para as 24 Horas de Le Mans. Kei Cozzolino e Takeshi Kimura deverão ter a companhia de um piloto oficial da Ferrari.

A Absolute Racing anunciou a intenção de lutar pela vaga, mas não passou disso. Aguarda-se que equipes do Australiano de GT disputem pelo menos a etapa de Tailem Bend – a ausência de uma prova no Japão ceifou qualquer possibilidade de equipes com carros do regulamento GT300 tomarem parte da competição.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

Adicione um Comentário

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames