Poles decisivas de Michelisz no WTCR

P

RIO DE JANEIRO – A final do WTCR será neste domingo com rodada tripla em Sepang (Fox Sports 2 exibe em VT a partir de 16h30) e o requinte de uma última corrida à noite, como fecho de ouro para um campeonato que chegou à sua decisão com quatro pilotos ainda na briga.

Mas os treinos classificatórios apontam para um favorito: Norbert Michelisz. O magiar da Hyundai levou a pontuação máxima das duas sessões classificatórias e será o pole position da primeira bateria e da terceira, a decisiva. Para a corrida #2, com a inversão dos dez primeiros do Q2, quem sai da pole é Ma Qing Hua, com a Alfa Romeo Giulietta.

Com isso, Norbi sai para as três últimas baterias do campeonato com 326 pontos, quinze à frente de Estebán Guerrieri, que parte de décimo da prova #1 e segundo da última, somando assim apenas quatro pontos extras.

Para os adversários da Lynk & Co., agora ficou difícil. Yvan Muller foi apenas décimo-sexto no grid da prova #1, com Thed Björk em antepenúltimo. É bem possível que o sueco saia da dança pelo título já após a primeira bateria da programação.

Nas provas #2 e #3, a situação deles não é menos confiável. Largam respectivamente em décimo-terceiro e décimo-nono.

De volta após a ausência em Macau, já que foi requisitado pela BMW, Augusto Farfus foi bem: ficou com o 6º lugar do grid para as três corridas. João Paulo de Oliveira, que foi inscrito como wild-card, obteve um razoável 13º lugar no grid da prova #1, mas para as demais foi atrapalhado e ficou com o vigésimo-quinto posto entre 30 carros inscritos.

O WTCR terá neste fim de semana a despedida de duas marcas em caráter ‘oficioso’: a Volkswagen e a Audi estão fora para o campeonato 2020. Enquanto a marca dona do Volkswagen Auto Group vai direcionar investimentos de motorsport para os carros elétricos, a marca dos quatro anéis entrelaçados culpa o BoP da categoria por sua saída.

E pode ser que haja mais baixas: a Cupra, divisão esportiva da Seat (também do grupo Volkswagen) pode roer a corda. Outra a também mostrar descontentamento com os rumos do campeonato é a Hyundai. O diretor esportivo Andrea Adamo cobra dos promotores mais responsabilidade sobre o BoP aplicado na categoria.

Triste filme visto em cores vivas no WTCC e que pode ferir de morte um campeonato muito legal pelo confronto de diferentes marcas dentro de um mesmo regulamento – que nem sempre agrada gregos e troianos.

A seguir: cenas dos próximos capítulos…

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

6 Comentários

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames