Vídeos históricos: GP Dino Ferrari (1979)

V

RIO DE JANEIRO – Houve um tempo em que a Fórmula 1 se permitia um calendário mais espaçado do que as hoje absurdas 21 datas confirmadas num ano com 52 semanas, para a temporada de 2020. Podem me chamar de saudosista, mas prefiro muito mais esse lado humano do automobilismo do que o momento atual.

Esse momento de mais espaço no calendário permitia coisas como a do vídeo abaixo: uma corrida extracampeonato realizada no então Autódromo Dino Ferrari, para homologação da pista – que de fato seria usada pela primeira e única vez como sede do GP da Itália em 1980 e, a posteriori, como sede do GP de San Marino por muitos anos, até 2006.

O Grande Prêmio Dino Ferrari foi disputado uma semana após o título de Jody Scheckter em Monza, contando com a participação de 16 carros de doze construtores diferentes.

Ensign e ATS, às voltas com muitos problemas, não compareceram – e nem Renault, Ligier e Williams, assim como Hector Rebaque em sua Lotus particular então rebatizada Rebaque NHR100.

Contudo, foram inscritos os já lentos e ultrapassados FW06 de 1978, que corriam a série Aurora AFX Series, na Inglaterra. Um dos pilotos, aliás, era Giacomo Agostini, a lenda da Motovelocidade, tentando – sem sucesso – emplacar uma carreira como piloto em quatro rodas.

O Copersucar-Fittipaldi foi guiado por Alex Dias Ribeiro, que até teve uma boa atuação enquanto esteve na pista, abandonando com o câmbio quebrado. Ele depois sofreria novo calvário na Fórmula 1 com o inviável F6A nas corridas seguintes, no Canadá e EUA.

A primeira fila do grid foi toda da Ferrari, com Gilles Villeneuve na pole e Jody Scheckter em segundo. Mas a estrela do dia foi Niki Lauda, que venceu com a Brabham Alfa Romeo – pela última vez na equipe de Bernie Ecclestone.

Registre-se: com uma pilotagem inspirada do lendário austríaco, que guiou como nunca numa ‘lenha’ fenomenal contra Villeneuve. Percebam, aliás, o quão eram rápidos os Fórmula 1 em curva por conta do efeito asa, que os pregavam no chão.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

9 Comentários

  • Imagens sensacionais!

    Carros rápidos em curva de alta mas que conseguiam andar no vácuo dos outros.
    Interessante é ver que a aderência mecânica não é tão eficiente, o carro destraciona em quase toda saída de curva, tempos de corrida de gente grande!

  • Video sensacional.
    Nele se pode ver como o Villeneuve se fazia dificil de ultrapassar, mas sem jogar sujo, sem fechar porta jamais. Hoje TODOS fecham a porta de todas as formas, numa tendencia inaugurada ainda no final dos anos 80, mas “aperfeiçoada” por Senna, perpetuada por Schumacher, e a qual o Verstappen tenta agregar um ajuste fino.
    Show de tocada do Villeneuve. O erro….sim, o erro…ele errou ali, no limite, tentado voltar. Mas quem garante que o Lauda, macaco velho, não freiou um pouquinho antes, pra dificultar a manobra do Gilles ???? E só uma hipotese. Mas que ele tenha errado, por erro dele mesmo: esse era o Gilles, errava sim, mas era muito rapido. estava sempre no limite extremo.
    Ele foi para os boxes (talvez trocou pneus, não deu pra ver) e voltou dando show. Era o mais rápido na pista, mas a desvantagem era irrecuperável. mesmo assim, não desistiu de andar rapido. As corridas dele eram contra ele mesmo, os outros eram os outros, e ele sabia que era o melhor deles.
    Gilles não era rapido: era um montro de rapido !!!

    Antonio

    • Não era obrigatória a participação de todas as equipes. Tanto que nem Renault, Ligier e Williams estavam lá. Compareceu com dois carros quem quis. A Brabham foi com um só.

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames