Toyota é pole novamente no WEC com “Pechito” López para as 6h de Monza

T
O imparável López comemora ao lado do seu GR010 Hybrid a pole para as 6h de Monza, terceira etapa do Mundial de Endurance em 2021

RIO DE JANEIRO  – Até agora o fim de semana das 6h de Monza no WEC é todo de José María “Pechito” López. O piloto argentino de 38 anos não foi superado em nenhum treino por qualquer piloto de qualquer equipe, inclusive da própria Toyota. Liderou todos os treinos livres com autoridade e hoje conquistou a pole position para a 3ª etapa do Mundial de Endurance, que larga neste domingo às 7h de Brasília.

“Pechito”, contudo, superou por margem mínima o neozelandês Brendon Hartley no outro carro do construtor oriental. A diferença foi de escassos sessenta e dois milésimos de segundo – 1’35″899 foi o tempo do sul-americano e 1’35″961 foi o que o “Kiwi” alcançou.

Pole em Portimão, a Alpine trabalhou bem após a batida no FP2 e o carro foi competitivo na qualificação: Nico Lapierre ficou a 0″222 da pole position, com o Glickenhaus guiado por Pipo Derani se garantindo em quarto e marcando, em dado momento da sessão de 10 minutos, a pole provisória. O outro modelo da Scuderia Glickenhaus, guiado por Richard Westbrook, foi atrapalhado por um acidente.

A pouco menos de 3min para o fim do treino, Stoffel Vandoorne perdeu o controle do #28 da JOTA, saindo fora da zebra no contorno da segunda perna de Lesmo. O belga acabou ejetado para o lado oposto da pista e bateu na barreira de proteção. No impacto, o carro rodopiou várias vezes em seu eixo e foi rechaçado para o meio da pista. O diretor de prova, o português Eduardo Freitas, deflagrou bandeira vermelha. Depois da interrupção, só havia tempo para uma única volta lançada e ninguém melhorou nada.

Charles Milesi foi beneficiado por uma bandeira vermelha no treino dos Hypercars e LMP2 e fez a pole em Monza para o Team WRT

O francês Charles Milesi reivindicou a pole position entre os 12 inscritos da LMP2, com o tempo de 1’38″527, igualmente superando o principal rival por margem mínima: o português Filipe Albuquerque, da United Autosports USA, foi superado pelo piloto do Team WRT por apenas trinta milésimos.

Felipe Nasr classificou o carro da Risi, que se prepara para as 24h de Le Mans, com a 5ª colocação, atrás também de Ben Hanley (DragonSpeed) e do velocíssimo Nyck de Vries (Racing Team Nederland). A marca do brasileiro foi 1’38″829.

Três por três: terceira pole em três etapas do WEC para Kévin Estre e a Porsche

Pela terceira prova seguida em 2021, Kévin Estre colocou o Porsche #92 que divide com Neel Jani na pole da LMGTE-PRO: o francês não teve a menor cerimônia em suplantar por apenas 0″065 o carro #51 da AF Corse com Ale Pier Guidi, enquanto Gianmaria Bruni ficou com o terceiro tempo e Daniel Serra, que fez a qualificação, acabou em quarto com 1’46″214.

Na LMGTE-AM, Ben Keating mostrou porque é o mais veloz e confiável dos gentleman drivers da categoria. Fez a pole position da divisão com o Aston Martin da TF Sport, marcando 1’47″272, praticamente sete décimos mais rápido que o carro da Cetilar Racing, guiado por Roberto Lacorte – que inclusive, por conta do lastro de performance, é o carro mais pesado do fim de semana com nada menos que 1305 kg.

A segunda posição deveria ser do #83 da AF Corse guiado por François Perrodo no qualifying, mas o tempo do carro que o francês divide com Nicklas Nielsen e Alessio Rovera foi excluído. Assim, a terceira posição ficou com o Porsche #56 do Team Project 1 guiado por Egidio Perfetti, com Christoph Ulrich em quarto no carro extra da AF Corse e o top 5 completado por Francesco Castellacci.

A eliminação do #83 de sua posição original elevou o Aston Martin da NorthWest AMR, dos brasileiros Augusto Farfus e Marcos Gomes, ao 7º lugar do plantel. Paul Dalla Lana fez o tempo de 1’48″457.

Dos dois carros destruídos em acidentes mais cedo, um irremediavelmente ficou fora: o carro #71 inscrito pela Inception w/Optimum Motorsport para Brendan Iribe/Ollie Milroy/Ben Barnicoat teve de fazer ‘forfait’ por conta dos extensos danos. Já o #60 da Iron Lynx acabou não marcando tempo: Claudio Schiavoni saiu apenas para uma volta de instalação, não se sentiu confortável e recolheu.

De acordo com as estratégias já traçadas pelas equipes para as 6h de Monza, André Negrão e Pipo Derani serão, dos sete brasileiros inscritos, os que vão largar. Farfus, Gomes e Fraga não podem por regulamento – os gentleman drivers têm de largar com os LMGTE-AM.  Nasr e Serra fizeram tomada de tempo, mas na hora da largada, darão lugar, respectivamente, a Oliver Jarvis e Miguel Molina.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

Adicione um Comentário

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames