IMSA, 24h de Daytona: chuva atrapalha preparativos pré-corrida

I
Kamui Kobayashi precisou de cinco voltas para fazer o melhor tempo de uma quinta-feira de treinos muito atrapalhada pela chuva. E o frio deve também prejudicar a disputa no fim de semana (Foto: IMSA/Jake Galstad)

RIO DE JANEIRO – No que for da vontade dos céus e de São Pedro, é bom que pilotos e equipes das 24h de Daytona, prova de abertura da IMSA em 2022 neste fim de semana se preparem: após o ROAR Before The Rolex 24, veio a mudança de tempo na Flórida e a previsão não é nada boa – inclusive com temperaturas muito baixas no sábado: inclusive, a mínima prevista é de dois graus.

Negativos.

A máxima em todo evento, estima-se, não ultrapassará 12º C e pelo menos a tendência é que haja sol. Mas pelo menos até amanhã a chuva dará as cartas.

E foi ela quem atrapalhou toda a quinta-feira de treinos abertos após o Motul Pole Award que já definiu o grid de 61 carros nas cinco categorias. Um só treino dos três previstos teve pista mais ou menos seca e nele o japonês Kamui Kobayashi fez a melhor volta do dia no Cadillac DPi da Ally/Action Express – 1’35″470,  quase um segundo e meio abaixo do também companheiro de Toyota no WEC e de Action Express, só que pilotando o #31, o britânico Mike Conway.

A coisa foi tão estranha ao longo do dia que Nico Müller fez o melhor tempo entre os LMP2 com o #20 da High Class Racing e Pato O’Ward fechou o FP1 com a melhor marca da sessão, num último esforço do mexicano com o #81 da DragonSpeed – no treino noturno, a melhor volta foi do #10 da WTR, virando pouco acima de 1’48”. No agregado do dia, Ed Jones foi o segundo melhor da divisão LMP2 e Devlin Defrancesco, o terceiro.

Na LMP3, Felipe Fraga alcançou a melhor volta ao longo das três sessões com o Ligier da Riley Motorsports, marcando 1’43″203. Garett Grist foi o segundo e o experiente português João Barbosa ficou com a terceira posição na divisão.

Entre os modelos de Grã-Turismo, Mikaël Grenier liderou um 1-2 de Mercedes-AMG com o #57 da Winward Racing – 1’46″577 contra 1’46″835 de Maxi Götz, com o #28 da Alegra Motorsports, ambos também no FP2. A Crucial Motorsports ficou em terceiro com Patrick Gallagher e seu McLaren.

O primeiro GTD Pro veio após uma penca de 13 carros da outra subdivisão – Jack Hawksworth andou em 1’48″725 e o segundo melhor piloto da classe hoje foi Dani Juncadella andando em 1’49″639. Um dia, como se nota, sem tanta serventia para os times ante a situação disposta de tempo seco, porém com muito frio no sábado e no domingo. A IMSA programou para amanhã a partir de 11h05 locais, 13h05 de Brasília, o último treino livre com duração de 60 minutos – porque amanhã tem a corrida #2 da Mazda MX-5 Cup e a abertura do IMSA Michelin Pilot Challenge, com 4h de duração.

Para informação das leitoras e leitores do canal, o Grupo Disney não renovou o contrato de transmissão da série e o geoblock no site da IMSA por enquanto inexiste para o público brasileiro. Quem quiser, pode acompanhar a corrida no fim de semana na íntegra, a partir de 15h40 de Brasília – 13h40 na Flórida. O meu canal do YouTube terá boletins ao longo das 24h de Daytona com imagens ao vivo inclusive.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

3 Comentários

  • Lamentável a atuação do grupo Disney em relação ao esporte motorizado.
    Total desprestígio e desrespeito à história dos canais, dos profissionais que neles atuam e ao público interessado. Uma lástima!
    Mas ao menos podemos ver algo no site e acompanhar os seus comentários no Youtube.

    • Mas eu não esperava nada muito diferente. Os direitos que eles tinham ainda vinculados ao Fox Sports dificilmente seriam renovados, se houvesse custo. Como deve ter sido o caso da Nascar e da IMSA, que estão meio que no mesmo guarda-chuva.

      Veremos o que farão (ou não) com o WEC.

  • Realmente lamentável o Grupo Disney, vão perder muita audiência e profissionais especializados,
    qual é a proposta deles?

    24 horas da Disneylândia?

Por Rodrigo Mattar

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames