IDEC Sport lava a alma e vence de forma sensacional as 4h de Monza

I

RIO DE JANEIRO – Campeã do European Le Mans Series há quase três anos, a equipe francesa IDEC Sport lavou a alma e fez as pazes com a vitória na melhor corrida de toda a temporada da série em 2022. Nas 4h de Monza, o trio formado por Paul Lafargue/Paul-Loup Chatin/Patrick Pilet driblou até uma penalização de 20 segundos por infração de pista durante a disputa e triunfou com pouco mais de 13 segundos de frente para a Panis Racing – que defendia a vitória obtida ano passado.

A corrida teve dois fortíssimos acidentes, ambos na Variante Ascari. No primeiro, um contato entre a Ferrari #32 da Rinaldi Racing com o Oreca #30 do Team Duqueine provocou a colisão deste protótipo LMP2 com o Porsche #93 guiado pelo “Magneto” Michael Fassbender – que já tivera um entrevero no início com a Ferrari #55 da Spirit of Race guiada pelo britânico Duncan Cameron. No contato com o protótipo, Fassbender demoliu o Porsche, contudo sem se ferir com gravidade.

Mas o acidente mais violento aconteceu perto do fim da primeira hora de disputa, envolvendo o #3 da United Autosports: o LMP3 guiado por Jim McGuire ‘deu PT’ na colisão com a barreira da Variante Ascari. Kay Van Berlo e Andrew Bentley nem sentaram no carro.

Ao cabo de 121 voltas, a IDEC Sport acabou com a ‘zica’ e Patrick Pilet alcançou seu primeiro triunfo ao volante de um Esporte-Protótipo, numa prova onde a Mühlner Motorsport, sem errar tanto quanto as adversárias, alcançou um surpreendente pódio com o #21 guiado por Mathias Kaiser/Thomas Laurent/Ugo de Wilde.

Líder do campeonato com duas vitórias, a Prema perdeu a chance de manter a invencibilidade por uma penalização de 10 segundos numa infração durante um pit stop. O trio Lorenzo Colombo/Louis Déletraz/Ferdinand Von Habsburg-Löthringen acabou em 5º logo à frente da Nielsen Racing, que fez uma apresentação exemplar para vencer na subclasse LMP2 Pro-Am.

Após o excelente 3º lugar nos treinos classificatórios, o desapontamento foi visível no box da Inter Europol Competition com os problemas apresentados no turno de David Heinemeier-Hänsson a bordo do #43. Mais uma vez, o brasileiro Pietro Fittipaldi, o suíço Fabio Scherer e o colega dinamarquês ficaram fora dos pontos. Não tão pior que o trio pole position da disputa, relegado à 13ª colocação final.

Menos mal que a equipe comandada por Sacha Fassbender fez as pazes com o topo do pódio na LMP3: o #13 de Charles Crews/Nico Pino/Guilherme Oliveira venceu após superar o #6 da 360 Racing guiado por Ross Kaiser/Terrence Woodward/Mark Richards, nos últimos instantes da disputa. Foi a primeira vitória da IE Competition na LMP3 desde a etapa final de 2021, no circuito do Algarve, em Portimão.

Max Koebolt e Jerome de Sadeleer, com um dos protótipos da Eurointernational fecharam o pódio de uma disputa onde os líderes Mike Benham/Maurice Smith/Malthe Jakobsen acabaram alijados após 44 voltas apenas. Mesmo com o abandono, eles seguem no comando da classificação com 43 pontos contra 39 de Alex Kapadia/Nick Adcock/Michael Jensen, da RLR MSport, que chegaram em quarto na classe em Monza.

A IronLynx triunfou na pista com a Ferrari #60 tripulada por Claudio Schiavoni/Matteo Cressoni/Davide Rigon – mas não levou: os comissários desclassificaram os italianos por ajuda ilegal do carro #83 das Iron Dames, que fora quinto colocado no resultado final – para voltar ao pit lane e ao chamado Parc Fermé, o parque fechado onde os veículos ficam intocáveis até a vistoria técnica obrigatória.

Por enquanto, a vitória está nas mãos da Proton Competition e do trio do #77 guiado por Christian Ried/Lorenzo Ferrari/Gianmaria Bruni, que superou por menos de cinco segundos a Ferrari da Kessel/CarGuy com Frederik Schandorff/Takeshi Kimura/Mikkel Jensen. A Absolute Racing herdou a posição de pódio com o Porsche de Alessio Picariello/Martin Rump/Andrew Haryanto. Mas a IronLynx recorreu da decisão e o resultado está oficialmente sub-judice.

A próxima prova do ELMS será no fim de agosto – as 4h de Barcelona, no dia 28.

Sobre o Autor

Rodrigo Mattar

Adicione um Comentário

Reclames

Perfil

Rodrigo Mattar, carioca de 49 anos. Apaixonado por automobilismo desde os nove, é jornalista especializado em esportes a motor desde 1998. Estagiou no Jornal do Brasil e numa assessoria de comunicação antes de ingressar na Rede Globo. Em 2003, foi para o SporTV, onde foi editor dos hoje extintos programas Grid Motor e Linha de Chegada. No mesmo ano, iniciou sua trajetória como comentarista, estreando numa transmissão de uma corrida de Stock Car, realizada no saudoso Autódromo de Jacarepaguá. Há sete anos, está no Fox Sports, atuando como editor responsável do programa Fox Nitro e comentarista de diversas categorias, entre as quais Rali Dakar, Nascar, MXGP, WTCC, WRC, FIA WEC, IMSA, Fórmula E, WTCR e Superbike Series Brasil. Conduz o blog A Mil Por Hora, agora no GRANDE PRÊMIO, desde 2008.

Arquivos

Categorias

Nuvem de Tags

Twitter

Reclames

Facebook

Mais reclames