MENU

13 de setembro de 2016 - 15:22Fórmula 1

“Não teve privilégios”

20163121044300_Prost e Senna_II

Só pode ser brincadeira de Bernie Ecclestone, dizer que Alain Prost “nunca teve privilégios”. Quem acompanha a Fórmula 1 nos últimos 40 anos sabe que o francês foi, disparado, o piloto mais privilegiado da categoria. Quem há de discordar? (Foto: Reprodução Grande Prêmio)

RIO DE JANEIRO - Bernie Ecclestone, o todo-poderoso da Fórmula 1, enlouqueceu de vez. Só pode.

O britânico apontou Alain Prost como o melhor piloto de todos os tempos, em entrevista a Eddie Jordan para o programa “Top Gear”, da BBC. Na frente de Ayrton Senna e Michael Schumacher. E Jochen Rindt, de quem foi manager nos tempos em que o austríaco correu na Brabham, em meados da década de 1960, foi seu piloto favorito. “Éramos muito próximos, companheiros e, inclusive, amigos”, disse Ecclestone.

Consta que quando Rindt morreu em 1970, Bernie chorou compulsivamente.

Voltando ao assunto Prost: segundo ele, o francês “não teve privilégios” e por isso mesmo foi melhor que os dois supracitados.

Loucura do Bernie. Nunca vi uma declaração mais despropositada do dirigente. Se existiu um piloto que teve privilégios na categoria nos últimos 40 anos, esse foi o Prost – disparadamente.

E o que fazia Jean-Marie Balestre por ele?

Sei não, mas se existiu um piloto que nunca teve privilégios, ouso dizer, esse foi Nelson Piquet.

Viver o que viveu na Williams pra ser tricampeão do mundo é coisa pra poucos.

15 comentários

  1. caio murilo disse:

    concordo plenamente rodrigo, falou tudo………..piquet ganhou na raça…….e .entre muitas ajudas a prost, lembro uma que o balestre inverteu a posição do poli position em suzuka,,,senna foi pra parte suja e prost ficou na limpa, um verdadeiro absurdo.

  2. Marchi disse:

    Tio Bernie, o polêmico!

  3. Luis Vieira disse:

    Rodrigo, quase concordo com o Bernie: assisto F1 desde o final dos 70 e na minha opinião o Prost foi o melhor piloto que já vi correr naquela categoria. Pra mim o grande feito dele foi o campeonato de 86, quando com um carro inferior venceu Piquet e Mansell com suas Willians “de outro planeta”. Em 88 e 89 venceu o Senna com o mesmo carro (fez mais pontos em 88, perdeu o campeonato pela ridícula regra dos descartes) e em 90 quase repete o feito com um carro inferior ao do brasileiro. Quando teve o melhor carro, em 93, não deu chance para a concorrência. É um piloto singular, vitorioso e carismático, com um estilo de pilotagem que sempre me agradou. No começo dos 80, quando ainda andava pela Renault, era o piloto que eu mais “temia”, sempre uma ameaça ao então meu ídolo, Piquet. Só não acho que seja o “maior de todos os tempos”: pra mim falta ter feito mais em outras categorias, ter mostrado talento em outras formas de competição automobilística, e assim tenho o meu “trio de ferro”: Mario Andretti, Jacky Ickx e Juan Manuel Fangio.

  4. MarcioD disse:

    Concordo 100% com você Rodrigo, e além do mais estas preferências envolvem uma série de critérios subjetivos onde cada um tem sua opinião. Eu por exemplo sou daqueles que dou mais valor a pilotos mais rápidos e que vençam mais num determinado período, então por exemplo nas temporadas de 88 e 89 onde Prost e Senna correram juntos na mesma equipe, com o mesmo equipamento, Senna conseguiu 26 poles contra 4 do Francês e 14 vitórias contra 11, então pelo MEU CRITÉRIO Senna seria superior a Prost.
    É muito difícil comparar pilotos de épocas diferentes, correndo com carros diferentes, contra oponentes diferentes, em temporadas que tenham nº diferentes de corridas, com companheiros de equipe diferentes, com sistemas de pontuação diferentes,.com regulamentos diferentes e muitas vezes é uma questão de estar no lugar certo na hora certa.
    Eu por exemplo não gosto do sistema de pontuação atual com menor diferença percentual entre o 1º e o 2º, privilegiando mais a regularidade, prefiro um outro dos anos 90 com 10 para o 1º e 6 para o 2º, que privilegia mais a vitória.
    Eu colocaria o Prost nos top 5 da categoria, mas não à frente de Fangio, Clark, Senna e Schumacher, mas é minha opinião, outros pensam de maneira diferente e respeito.
    E o Prost foi sim privilegiado pelo Balestre, que também era Francês e o Piquet foi um dos menos privilegiados, era rápido, desenvolveu e acertou carros, acredito que os seus resultados teriam sido melhores se não tivesse sofrido aquele acidente em Imola 87 e tivesse ido para Mclaren e não para a Lotus em 88 .

  5. Leonardo Silva Conrado disse:

    Concordo 100% com vc Rodrigo Mattar, é só recordar a decisão do Titulo da F1 em 1989 em Suzuka, onde depois de ter vencido o GP do Japão daquele ano, Ayrton Senna foi desclassificado, pelo Jean Marie Balestre, para que o Prost fosse tricampeão. Já está na hora de Bernie Ecclestone, pegar o seu banquinho e sair da F1 de fininho, e deixar que a Liberty Media, assuma a F1 de uma vez, por essas bobagens que ele fala.

  6. Robertom disse:

    Bernie falou…
    Esqueça, é só mais um factóide para criar polêmica na mídia e chamar a atenção para si e para a F1.
    E os caras ficam batendo boca, santa ingenuidade…
    Prost era muito bom, mas não está no patamar dos 4 grandes da história, Fangio, Clark, Senna e Schumacher (em ordem cronológica).

  7. Victor disse:

    Vocês tão doidos. O Senna foi o melhor disparado, o que ele fez com a Tolleman em Mônaco??? As corridas no Brasil?? A de 91 que ele ganhou só com 2 marchas??? E a outra no Brasil em 1993 que ele deu um nó no Damon Hill com a Mclaren dele e ultrapassou e ganhou a corrida. Sendo que a Willians era 10 vezes melhor. E aquela corrida no japao que o Prost covardemente tirou ele, aí o Senna ficou em último, utrapassou 1 a 1 e ficou em primeiro. Aí o Balestre frances, puxa saco do Prost, eliminou o Senna. O Senna até hoje é o recordista de Mônaco, 6 vitórias. Por favor, o Senna tá acima dos demais. Olha o que disse o austríaco tri-campeao Nikki Lauda http://globoesporte.globo.com/motor/formula-1/senna-para-sempre/noticia/2014/05/vinte-anos-depois-niki-lauda-mantem-opiniao-senna-foi-o-melhor-de-todos.html.

  8. Vinicius disse:

    Pior do que privilégios dentro da equipe (segundo piloto declarado; carro melhor; mecânicos e engenheiros apoiando um piloto), são os privilégios políticos, que ficam fora da alçada dos circuitos. E isso Alain Prost teve em sua carreira inteira, com outro francês na presidência da FIA (FISA àquela época). E como dizer que ele não teve privilégios em nenhuma equipe?! Seu quarto título teve um escudeiro claro (Damon Hill) que não podia lutar com Prost pelas vitórias, salvo em caso de problemas ou quando o título já estava decidido!

  9. rubens disse:

    Concordo com voce Rodrigo em numero , genero e grau, parabens

  10. Fernando Silva disse:

    Prost foi sim um dos maiores de todos os tempos…talvez o mais inteligente, mas não o maior de todos…Piquet foi tricampeão sem esses privilégios e ainda sem o apoio da “emissora oficial” no Brasil, que criou em Senna a figura de herói nacional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>