MENU

8 de agosto de 2017 - 10:15IMSA Weather Tech SportsCar Championship

IMSA: Tequila Patrón quebra banca dos Cadillac e vence em Road America

ESM-Road-America-2017-IMSA

RIO DE JANEIRO - Acabou enfim a invencibilidade dos Cadillac DPi-V.R, que vigorava desde a abertura da temporada em Daytona. E foi preciso o talento de um brasileiro para quebrar a banca dos protótipos montados na plataforma Dallara: Pipo Derani, em parceria com Johannes Van Overbeek, foi o grande nome da Continental Tire Road Race Showcase, 9ª etapa da IMSA Weather Tech SportsCar Championship, no circuito de Road America, em Elkhart Lake.

As bandeiras amarelas ao longo da disputa com duração de 2h40min foram determinantes para o resultado final e, na última relargada, Derani decidiu jogar com o que tinha. Deu certo: o piloto do carro #22, que largou em 5º no grid, veio pra cima do Cadillac #10 pole position então guiado por Jordan Taylor e que dominara a primeira parte da corrida com o irmão Ricky na pilotagem, conseguindo uma ultrapassagem que o levou ao 2º posto e foi simplesmente decisiva.

E por que? Simples: o Oreca 07 Gibson LMP2 de Misha Goikhberg/Stephen Simpson vinha numa outra janela de paradas de box e não tinha autonomia suficiente de combustível para terminar a prova com o que restava no tanque. Tanto que a 25 minutos do final, precisaram de mais uma parada e assim caíram para a 8ª colocação.

Ao final da corrida, muito feliz com seu desempenho, Derani confirmou que só tinha uma chance e não podia desperdiçá-la.

“Sabia que a relargada era a oportunidade que eu tinha para superar o #10. Disseram que seria muito difícil porque a pista é de alta pressão aerodinâmica e que quando você fica perto de um adversário você perde downforce. Usei o vácuo para passar por ele (Jordan Taylor) e, por fora, na curva 1, era o único lugar nessas condições. Sabia que ele ia jogar pelo seguro porque eles estão a caminho do título. Fico feliz que isso tenha funcionado, porque a equipe trabalhou muito forte nos últimos dias. Essa vitória significa muito pra mim”, completou Pipo.

Realmente, Jordan preferiu não se arriscar e valeu a pena: o 2º lugar deixou a dupla do #10 cada vez mais isolada na classificação. Faltando duas corridas, eles têm 26 pontos de vantagem – 258 a 232 – para Christian Fittipaldi/João Barbosa. Com o outro Nissan DPi da Tequila Patrón ESM, Scott Sharp/Ryan Dalziel conquistaram um belo terceiro posto.

Por falar na dupla da Action Express, o fim de semana atribulado do carro #5, que culminou em problemas na tomada de tempo, terminou na corrida com um incidente na parada de box, em que o Cadillac nas cores da Mustang Sampling acabou abalroado pelo Ligier JS P217 da equipe Visit Florida Racing, então guiado pelo experiente belga Marc Goossens.

“Mesmo que tivéssemos uma corrida perfeita, acho que nosso limite hoje teria sido um terceiro ou quarto lugar. Mas, o que prejudicou mais a gente foi a batida que eu levei do carro #90 na entrada do box, na minha traseira. Na hora que todo mundo freou para passar a linha de limite de velocidade de 60 por hora, acho que ele ‘esqueceu’ de frear e bateu na minha traseira”, contou Fittipaldi.

“O João saiu com o carro, deu uma volta, mas teve de entrar de novo no box e perdemos praticamente uma volta. E isso atrapalhou a nossa recuperação. Agora é voltar para a oficina, ver todas as coisas boas que a gente fez, aprender com os erros e ir para Laguna Seca”.

Na divisão Prototype Challenge, confirmou-se a expectativa: a dupla Pato O’Ward/James French conquistou por antecipação o último campeonato da categoria na IMSA – já que a partir de 2018, os Oreca FLM09C não correrão mais nos EUA. O carro #38 da Performance Tech Motorsports correu sem sustos, chegou à sétima vitória consecutiva em sete etapas onde os carros da PC competiram e conseguiram abrir mais do que os 36 pontos suficientes para derrotar Don Yount, o único perseguidor. O carro #20 dele e de Buddy Rice acabou perdendo onze voltas e ficou com o 3º lugar, o que liquidou a fatura para o time de Brent O’Neill.

A Chip Ganassi Racing dominou entre os GTLM: o Ford GT EcoBoost #66 de Joey Hand/Dirk Müller tomou as rédeas da disputa e somente por um curto período perdeu a dianteira para o Porsche #912 de Laurens Vanthoor/Gimmi Bruni. De resto, a dupla pole position da categoria não foi incomodada e a diferença, embora tenha sido relativamente pequena – apenas seis décimos de segundo – não demonstrou o equilíbrio de sempre entre os carros.

A Ford ainda teve o outro carro com Ryan Briscoe/Richard Westbrook no pódio, enquanto a Corvette lutou bastante para terminar mais à frente na corrida após um treino difícil. Jan Magnussen e Antonio Garcia salvaram um importante quarto lugar, o que mantém a dupla do carro #3 no comando da classificação com somente oito pontos de avanço para Müller/Hand e nove para Alexander Sims/Bill Auberlen, que se envolveram num ‘enrosco’ com os atuais campeões Oliver Gavin/Tommy Milner, na última volta.

E na classe GTD, não teve pra ninguém, já que Jesse Krohn/Jens Klingmann foram perfeitos e conquistaram a primeira vitória para a Turner Motorsport em 2017. A dupla chegou com 3″163 de vantagem para Patrick Lindsey/Jörg Bergmeister, vencedores na prova anterior em Lime Rock com seu Porsche. Andrew Davis/Lawson Aschenbach fecharam o pódio – com 100% de marcas alemãs, já que a dupla da Stevenson Motorsports corre com Audi R8 LMS.

Apesar da pole position, Corey Lewis/Jeroen Mul não tiveram uma boa corrida e terminaram apenas em décimo-terceiro. Em contrapartida, Christina Nielsen/Alessandro Balzan ficaram com o 5º posto na quadriculada, o que lhes bastou para consolidar a liderança – a dupla tem 254 pontos contra 239 de Ben Keating/Jeroen Bleekemolen, que vêm sendo prejudicados pelos BoP que penalizam em demasia a Mercedes-AMG GT3.

A Paul Miller Racing teve detectada uma irregularidade no Electronic Control Unit (ECU) de seu Lamborghini, confiscado pela IMSA para análise. Os organizadores do campeonato multaram o time em US$ 7,5 mil e a dupla Bryan Sellers/Madison Snow perdeu 15 dos 25 pontos conquistados em Elkhart Lake. Já o brasileiro Oswaldo Negri teve uma corrida para esquecer: acabou abandonando a disputa quando faltava menos de uma hora para o final. O #93 de Andy Lally/Katherine Legge, reconstruído no sábado após um acidente no último treino livre, foi igualmente vítima de mais incidentes que determinaram o abandono dos dois Acura NSX GT3.

A próxima etapa do campeonato será mais um evento isolado das duas categorias Grã-Turismo e será disputada no domingo, dia 27 de agosto, no Virginia International Raceway (VIR), em Alton. Essa corrida marca a volta da Risi Competizione e sua Ferrari 488 GTE, que regressa à série para as três provas finais do calendário.

1 comentário

  1. Fernando Silva disse:

    Uma belíssima vitória da Patron graças , principalmente, ao Derani. O que estão esperando para efetivá-lo em algum time para uma temporada completa??
    Na GTLM parece que a IMSA ainda não encontrou o ponto de equilíbrio ideal no BoP dos carros…depois de várias etapas bem “amarrado”, resolveram liberar mais o Ford GT, em contrapartida, penalizou-se demais os Corvettes (minha impressão…), assim como nas etapas anteriores BMW e Porsche foram favorecidos. Vejo o mesmo problema com a GTD, especificamente com os Mercedes AMG, tanto que o próprio Mestre Edgard frisou na transmissão…mas acredito que, no final das contas, a IMSA vai resolver este caso. O campeonato continua fantástico e ficará ainda melhor com a entrada de competidores do nível de uma Penske!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>