MENU

22 de setembro de 2017 - 20:35IMSA Weather Tech SportsCar Championship

IMSA: Tequila Patrón ESM comanda sexta-feira na Califórnia

dalziel1

Mesmo com mudanças em relação à última corrida, por conta do BoP da IMSA, o Nissan DPi da Tequla Patrón ESM foi o mais rápido da sexta-feira de treinos livres em Laguna Seca (Foto: Rick Dole/IMSA)

RIO DE JANEIRO - Sexta-feira de treinos livres para a penúltima etapa do IMSA Weather Tech SportsCar Championship no Mazda Raceway, em Laguna Seca. Ao longo da sexta-feira, foram realizadas duas sessões de preparação para a America’s Tire 250 que acontece no domingo. E a equipe Tequila Patrón ESM deu as cartas: o carro #2 de Ryan Dalziel/Scott Sharp foi o mais rápido com 1’18″026, 0″086 mais rápido que o Cadillac DPi-V.R dos irmãos Ricky e Jordan Taylor, que lideram o campeonato.

O carro #22 do brasileiro Pipo Derani, que divide a pilotagem com Johannes Van Overbeek, conquistou a terceira posição, com apenas dez milésimos de vantagem para o Cadillac #5 do compatriota Christian Fittipaldi e do português João Barbosa. O melhor dos LMP2 foi o Ligier JS P217 de Marc Goossens/Renger Van der Zande, enquanto os atuais campeões Dane Cameron/Eric Curran ficaram mesmo com a sexta posição.

A única Ferrari 488 GTE do grid da GTLM estabeleceu o melhor tempo em sua categoria, graças a Toni Vilander/Giancarlo Fisichella, com 1’22″635 e mais de quatro décimos adiante da BMW de Bill Auberlen/Alexander Sims, que ainda sonham com o título. Oliver Gavin/Tommy Milner completaram os três primeiros com o Chevrolet Corvette C7-R, enquanto os líderes do campeonato Jan Magnussen/Antonio Garcia não passaram da sétima posição entre os nove carros inscritos.

E na GTD, o brasileiro Oswaldo Negri foi a boa surpresa do dia: estreando pintura nova em seu Acura NSX-GT3, o vencedor da prova ano passado (na classificação geral) marcou 1’25″253 e colocou o carro #86 da Michael Shank Racing à frente do Porsche #28 da Alegra Motorsports, da dupla Patrick Long/Daniel Morad. Noutro bólido do construtor alemão, Patrick Lindsey/Jörg Bergmeister ficaram com a terceira marca, seguidos por Christina Nielsen/Alessandro Balzan – líderes do campeonato e favoritos ao bi.

Usando a dupla da Scuderia Corsa como mote, a Silly Season da temporada 2018 já começou a fervilhar na Califórnia. O jornalista John Dagys, do Sportscar365.com, elencou algumas possíveis mudanças para o próximo ano e o plantel de pilotos brasileiros poderá sofrer algumas mudanças.

A começar pela possível chegada de Hélio Castroneves e Felipe Nasr à competição. Segundo o site, Nasr estaria na marca do pênalti para ser anunciado na Action Express – equipe pela qual inclusive competiu nas 24 Horas de Daytona – ao lado de Eric Curran no carro #31, como substituto de Dane Cameron. Helinho, que não alcançou o título da Fórmula Indy (condição tida como única garantia de sua permanência para uma temporada completa), pode ser anunciado em breve pela Penske para ser parceiro de ninguém menos que Ricky Taylor, no segundo Acura DPi do time.

Creio eu que o anúncio só não foi feito ainda – pelo menos o de Ricky – porque o piloto ainda está sob contrato com a Cadillac.

Sobre Christian Fittipaldi, são fortes os rumores de que o veterano piloto de 46 anos passe a disputar somente as provas do North American Endurance Cup (Daytona, Sebring, Glen e Petit Le Mans). A ideia da Action Express seria a de reunir os portugueses Filipe Albuquerque e João Barbosa no mesmo carro ano que vem.

Na LMGTE-PRO, possíveis mudanças estão a caminho: Gianmaria Bruni e Laurens Vanthoor devem seguir para o programa Porsche do WEC e do Mundial de Endurance devem vir Earl Bamber e Nick Tandy, que ficarão a pé com o fim do programa da marca na classe LMP1. A BMW (ainda sem saber se o time representante nos EUA será a Rahal ou a Andretti) não deverá contar com Martin Tomczyk para o próximo ano, já que o alemão deve integrar o programa do Mundial de Endurance da marca bávara com a equipe MTEK – o canadense Kuno Wittmer é o mais cotado.

E, acreditem, a dupla formada por Christina Nielsen/Alessandro Balzan corre sério risco de ficar a pé para 2018: é que o dinheiro da Weather Tech deve levar o filho do dono da empresa, Cooper MacNeil, direto para o time de Giacomo Mattioli, competindo com Gunnar Jeannette. Eles não ficaram satisfeitos com as constantes mudanças do BoP que penalizaram a Mercedes-AMG GT3 com que competiram nas primeiras corridas e tampouco se mostram dispostos a continuar com o Porsche no próximo ano.

A dança das cadeiras, definitivamente, começou. E as únicas equipes que têm pilotos confirmados são a Tequila Patrón ESM e a CORE Autosport. A Penske, é verdade, já anunciou Juan Pablo Montoya e Dane Cameron. Mas segue hesitando em confirmar Castroneves ao lado de um dos irmãos Metralha, no que seria uma das grandes novidades para a temporada que se inicia em janeiro próximo com a disputa das 24 Horas de Daytona.

5 comentários

  1. rodrigo botana disse:

    mattar, o james davidson e o stefan wilson que correram duas provas esse ano da IMSA esse ano ão correrão mais esse ano de imsa?

  2. Romulo Dias disse:

    Rodrigo,
    De todas as mudanças da dança de cadeiras, a que me deixa mais surpreso é a do Taylor deixar a equipe da família justamente no ano em que deve se tornar campeão ao lado do irmão, na equipe capitaneada pelo pai.
    Eles venceram de tudo neste ano e o título é questão de pouco tempo.
    Você vê alguma chance do Augusto Farfus sair do DTM, onde ele não vem bem já a algum tempo, e ir para as provas de endurance com o BMW-M8?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>