MENU

11 de novembro de 2018 - 18:48Super GT

Super GT: Button e Yamamoto são campeões

501-MK1_1439

Button e Yamamoto comemoram ao lado do veterano chefe de equipe Kunimitsu Takahashi: o britânico conquista seu primeiro título após a aposentadoria na Fórmula 1

RIO DE JANEIRO - Foram 25 anos de espera, mas valeu a pena: o antigo piloto japonês Kunimitsu Takahashi, que tem no currículo uma participação na Fórmula 1 com o 9º lugar no GP do Japão de 1977, finalmente alcança o título do Super GT com sua escuderia. Aos 78 anos, a lenda do automobilismo japonês devolve à Honda um título que a marca não conquistava havia oito anos. E logo na primeira temporada do campeão mundial de Fórmula 1 Jenson Button. Aos 38 anos, o britânico e o seu parceiro Naoki Yamamoto alcançam a glória após uma corrida emocionante no circuito de Twin Ring Motegi.

Bastava à dupla terminar a corrida – e de preferência à frente dos então campeões Nick Cassidy e Ryo Hirakawa, que lutavam pelo bicampeonato. O quarto lugar ao fim da disputa não foi suficiente para eles, mas a 3ª posição de Button e Yamamoto, sim. Com uma vitória e quatro pódios, fecharam o ano com 78 pontos, três à frente dos vice-campeões.

“É uma emoção comparável a do título mundial de Fórmula 1″, exultou Button após a corrida. “Foi uma corrida dura”, disse. “Não foi fácil e isso torna a conquista especial. Esse campeonato é um dos mais disputados e difíceis do mundo”, finalizou. E Jenson não está brincando quando diz que o certame é difícil: nenhuma dupla ou piloto venceu mais de duas vezes na GT500. Em oito corridas, foram oito vencedores diferentes.

Em 25 anos, esta é a quarta vez que um piloto com passagem pela categoria máxima é campeão do Super GT. Os outros três foram André Lotterer, Ralph Firman Jr. e Heikki Kövalainen. E para Naoki Yamamoto, foi o fecho de ouro de um ano inesquecível, já que o piloto oriental ganhou tudo o que disputou. Primeiro a Super Fórmula, onde foi bicampeão. Agora, o Super GT.

A vitória na última etapa ficou com a equipe ARTA, que fechou o campeonato num respeitável 3º lugar, a sete pontos dos campeões. Tomoki Nojiri/Takuya Izawa fizeram a parte deles na pista, mas para reverter a vantagem dos líderes, só vencer a prova não era suficiente. Button/Yamamoto e Hirakawa/Cassidy teriam que ter marcado três pontos ou menos na decisão.

O brasileiro João Paulo de Oliveira e seu parceiro Mitsunori Takaboshi terminaram pela sexta vez nos pontos, mas o resultado foi discreto – um 10º lugar apenas, fechando uma temporada igualmente discreta. A dupla da Kondo Racing figurou na 14ª posição na classificação final do campeonato.

200-MK1_0736

Virada, vitória e título para Haruki Kurosawa e Naoya Gamou, os novos campeões da GT300

Já na GT300, um resultante histórico para a equipe K2 R&D Leon Cvstos: uma virada espetacular de Naoya Gamou/Haruki Kurosawa, que venceram exatamente quando mais precisavam, deu o título à dupla do carro #65 – o segundo título do modelo Mercedes-AMG GT3 na categoria. Os grandes favoritos Shinichi Takagi/Sean Walkinshaw ficaram com a nona posição na última etapa e foram relegados ao vice-campeonato.

Na despedida do modelo Prius Hybrid, Koki Saga/Kohei Hirate conseguiram o 2º lugar e um belo pódio, escudados por Tatsuya Kataoka/Nobuteru Taniguchi, que fecharam o campeonato em quarto lugar, atrás da dupla da equipe APR. Pole position na última etapa, a dupla Kazuki Hiramine/Marco Mapelli não chegou ao final da disputa.

E que venha o próximo campeonato!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>